Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Actualização da Mercedes assusta Red Bull

10 de Setembro, 2015

Chris Horner deposita esperança na Ásia

Fotografia: AFP

A actualização feita pela Mercedes nos motores dos carros de Lewis Hamilton e Nico Rosberg é “assustadora”, conforme Christian Horner, chefe da Red Bull. O dirigente reconheceu que equipa de Brackley “está nesse momento noutro nível competitivo”.O mundo da F1 já está acostumado ao domínio da Mercedes em 2015, mas o desempenho da equipa prateada em Monza assusta muitos adversários. A Mercedes lançou mão a todas as suas sete fichas de desenvolvimento para actualizar o seu propulsor para o GP da Itália e Lewis Hamilton desfilou a sua boa forma, no circuito italiano, embora Rosberg tenha sofrido com um vazamento no sistema de resfrescamento, já no fim da corrida.

Líder do Mundial, Lewis Hamilton conquistou a pole, a 11ª da época com 0s234 de vantagem sobre Kimi Raikkonen, o segundo na grelha. Na corrida, Lewis Hamilton recebeu a bandeira axadrezada com 25s042 de vantagem sobre Sebastian Vettel e ampliou para 53 pontos a margem na classificação.Daniil Kvyat foi o melhor representante da Red Bull nas classificativas, 14º lugar a 2s399 mais lento que Hamilton. Na corrida, colocou a equipa de energéticos na oitava posição, a uma volta de avanço do vencedor, Lewis Hamilton.

O domínio do piloto da Mercedes começou nos primeiros treinos livres e Hamilton não teve trabalho para bater o companheiro de equipa. Ricciardo foi o melhor representante da Red Bull, mas não conseguiu baixar de 1s943 de atraso, para o número 44.“Na sexta-feira, foi assustador. O passo pareceu significativo e bastante preocupante, apesar de terem algum problema com Nico Rosberg no domingo, com a danificação de motor”, disse Christian Horner.

O dirigente destacou o ritmo de Lewis Hamilton. Além da pole position e da vitória, o piloto inglês também foi autor da melhor volta da disputa:1min26s672.”“Na corrida, vimos o tipo de ritmo que Lewis tinha no final, com um pneu médio gasto, e foi bem incrível”, elogiou. Em jeito de comentário, disse que “Hamilton estava apenas a controlar a vantagem durante a corrida, o que dá a Mercedes uma posição claramente acima de todas as outras equipas”.

A dupla da Red Bull largou no fundo da grelha por conta da punição por troca de motor. A classificação final foi “a melhor que podiam”, segundo Chris Horner.“Fizemos o melhor da nossa estratégia, os pit-stops foram bons, os pilotos fizeram um bom trabalho, depois de começar no fim da grelha, resultante da punição”, avaliou.

As esperanças da Red Bull vão para Singapura dentro dez dias onde deve representar a melhor oportunidade, depois de Spa -Francorchamps e de Monza, os circuitos mais difíceis para a equipa taurina.A potência é crucial em todas as pistas, mas tem um efeito maior em circuitos como esse (Monza) do que, por exemplo, em Singapura”, frisou.

HAMILTON E ROSBERG
Luta para o título continua


O chefe da Mercedes, Toto Wolff, descartou qualquer ordem da equipa com relação à disputa do título de 2015. Nico Rosberg está a 53 pontos do líder, Lewis Hamilton. Para o austríaco, a luta ainda não terminou e o alemão está livre para lutar até ao fim com o companheiro de equipa.Por conta da vitória de Hamilton e do revés sofrido pelo Rosberg, o inglês soma agora 252 pontos no topo da tabela, contra 199 do alemão. Terceiro classificado, Sebastian Vettel, está a apenas 21 pontos de Nico e pode representar uma ameaça à intenção de dobradinha da Mercedes no fim do ano.

Nico Rosberg não viveu um bom fim de semana e abandonou a disputa a duas voltas do fim, por conta de uma falha de motor. O colega de equipa obteve a sétima vitória da época.Questionado se a Mercedes pode já dar por encerrada a disputa devido à enorme diferença entre os dois líderes, Wolff respondeu: "Não". O responsável descartou ordens de equipa para proteger Lewis Hamilton.

"Ainda temos sete provas pela frente e 175 pontos em jogo. Portanto, ainda não há nada decidido", completou o austríaco à revista 'SpeedWeek'."Vamos deixá-lo lutar até o fim, assim como fizemos no ano passado", acrescentou.Embora decepcionado com o abandono no GP da Itália e os problemas com motor, Nico Rosberg também  recusou-se a jogar a toalha e disse que vai continuar a lutar até a prova final.“Sei que preciso de uma pequena fórmula milagrosa se o campeonato permanecer como está”, disse ao jornal Bild.O alemão afirmou, que apesar de tudo, o seu espírito de luta “ainda está vivo” e “a palavra desistir” não tem espaço no seu vocabulário. “Acredito que posso ser campeão do mundo”, disse.