Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Adeptos da Sauber exigem um Raikkonen competitivo

15 de Dezembro, 2018

Kimi Raikkonen a par do ingls Lewis Hamilton e do alemo Sebastian Vettel dos pilotos mais bem sucedidos a nvel de ttulos

Fotografia: Dr

O finlandês Kimi Raikkonen, assim como o inglês Lewis Hamilton e o alemão Sebastian Vettel, estará entre os pilotos mais bem sucedidos a nível de títulos, vitórias e poles na grelha de pilotos de 2019. Com os seus 39 anos de idade, será o piloto mais velho do pelotão. Ao contrário de Alonso, que apesar dos seus 37 anos de idade continuava a ser um dos pilotos mais bem competitivos da Fórmula 1 a nível de corrida, entre as equipas do segundo pelotão, Kimi Raikkonen já deveria ser aposentado ou dar lugar a outros mais jovens e mais competitivos.
Raikkonen substituiu o alemão Michael Schumacher na Ferrari, em 2007, e sagrou-se campeão, com um tremendo e incrível “golpe de sorte”, bateu os pilotos da McLaren Fernando Alonso e Lewis Hamilton, que lideravam o campeonato e chegaram na última corrida com melhor posição na pontuação. O último estava com o título nas mãos, mas acabou por o perder de uma  maneira infantil, pelas asneiras nas últimas duas corridas.
Como diz a velha máxima, “os bons filhos sempre voltam a casa”, Kimi volta a correr na Sauber, equipa pela qual se estreou na Fórmula 1, e  já correu na McLaren, Ferrari e na Lotus. A Sauber poderia contratar pilotos como o francês Esteban Ocon, o belga Stoffel Vandoorn, o russo Sergey Sirothink ou ir buscar outros de categorias inferiores, como fizeram a McLaren, a Torro Rosso e a Williams.
A Sauber, por usar motores Ferraris, já deveria “acordar” e não cometer os erros da escuderia “mãe”, a Ferrari, pois nesta os recém-chegados à equipa (Alonso e Vettel) voavam e conseguiam lutar por vitórias, enquanto Kimi andava em passos de “cágado”. Será que com um carro muito inferior, Raikkonen poderá ajudar a equipa a desenvolver?  De realçar, que mesmo com um carro bem competitivo, ele não conseguiu ajudar a Ferrari a sagrar-se campeão. Acredita-se que a Sauber não tomou a decisão certa ao contratar Raikkonen. Se o italiano Antonio Giovizziani for com a missão bem estuda, poderá “esfolar\" Kimi Raikkonen e batê-lo sem piedade, pois a Fórmula 1 é como um jogo de xadrez, o peão pode ser a “chave” da vitória.
A questão idade e a falta de competitividade (em relação aos seus colegas de equipas), poderão ser um bom motivo para a Sauber não cometer este tipo de erros. Raikkonen fará 39 anos de idade no próximo ano e de “avô” a Ferrari já está farta, razão pela qual decidiu não continuar a cometer os mesmos erros. Kimi e Alonso foram os campeões de Fórmula 1 mais mal sucedidos dos cinco últimos anos (2014, 2015, 2016, 2017 e 2018). Ao contrário de Raikkonen, Alonso tinha nas mãos carro um pouco competitivo, razão pela qual não conseguia obter poles, vitórias e campeonatos nos últimos anos, pois a Mercedes e a Ferrari estavam e estão bem servidas com Lewis e Sebasttian, embora este último tenha cometido erros crassos nas duas últimas temporadas.
Apesar de o finlandês ter conseguido dar o último titulo de pilotos à Ferrari (em 2007) e a última vitória da equipa em 2018, no Grande Prémio dos Estados Unidos da América, Raikkonen  foi mesmo descartado pela Ferrari do campeonato de 2019. Para muitos, a Ferrari tomou esta decisão muito tarde, já que parecia não estar tão interessada em ter tão cedo uma dupla de pilotos equilibrada, como as formadas por Hamilton e Rosberg da Mercedes, Ricciardo e Verstappen da Red Bull ou a de Pérez e Ocon da Force India.
A esperança é a ultima coisa a morrer. Mas parece que, tal como para Alonso em 2018,  a de Raikkonen por bons resultados em 2019 vai mesmo morrer e o piloto terminará os últimos anos na Fórmula 1 de maneira triste, pois será o  campeão que vai levar mais voltas de avanço. Dificilmente conseguirá poles, pódios, vitórias. Pela  forma como correu pela escuderia do “Cavalinho Rampante” (Ferrari) é bem possível que, na Sauber, ele se arrastará para pontuar. Na sua última época na Ferrari, Raikkonen conseguiu sair em terceiro no campeonato, o que foi muito bom, porque senão sairia em quarto ou abaixo disto. A pergunta dos fãs da Sauber é: será Raikkonen capaz de trazer melhores resultados, que os do monegasco Charles Leclerc em 2018, no campeonato de 2019?
Se não acontecer o desejado, eles (fãs) irão exigir a cabeça de Kimi Raikkonen, a retirada dos mentores da ideia de levá-lo à equipa ou criarem um  clima, para ele se demitir antes do fim do campeonato.