Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Adiversário do Petro desiste da Babacar Fall

Silva Cacuti - 28 de Março, 2013

Formação petrolífera vai à Supertaça agendada para a Tunísia a procura do seu 19º título

Fotografia: Jornal dos Desportos

Aequipa sénior feminina de andebol do Petro de Luanda tem um novo adversário para a disputa da Supertaça africana Babacar Fall, agendada para 16 de Abril em Hammamet, Tunísia, depois da desistência do África Sport da Costa do Marfim.

O anúncio foi feito por Pedro Godinho, presidente do Comité de Organização de Competições da Confederação Africana de Andebol (CAHB). O responsável que é, também, presidente da Federação Angolana de Andebol anunciou que as petrolíferas defrontam a formação do Espoir Sportif Regiche da Tunísia.

Em caso de vitória, a formação angolana soma o seu 19º título. Na edição de 2012 da Supertaça Babacar Fall, o Petro de Luanda derrotou, por 25-14, o FAP dos Camarões.

A desistência da equipa marfinense implicou alterações nos grupos da primeira fase da Taça das Taças, que se realiza também na Tunísia, de 17 a 28 de Abril. O quadro de equipas inscritas para a Taça das Taças previa 14 equipas masculinas e nove femininas.

O Petro de Luanda encabeça a série A, que integra o HC Heritage, do Congo Democrático, ASE Ariana Tazarka, da Tunísia e o Interclube do Congo Brazzaville.

A série B, em que deviam constar cinco equipas, fica reduzida ao FAP dos Camarões, Gdyel da Argélia, Ariana da Tunísia e o Phoenix do Gabão.Segundo o regulamento da prova, na fase preliminar, as equipas de cada grupo jogam todas contra todas a uma volta, depois disputam os quartos-de-final, meias-finais e final.

O treinador adjunto do Petro de Luanda, Edgar Neto, já considerou equilibrado o grupo em que a equipa vai jogar. Para o técnico, as formações do Heritage e do Inter Club são conhecidas e denotam progressão nas suas últimas presenças em competições continentais. O Tazarka da Tunísia é um desconhecido para o treinador petrolífero. Edgar Neto sabe do investimento que as equipas tunisinas têm feito e o facto de estarem duas nesta prova é esclarecedor, mas o treinador refere que a formação angolana só deve trabalhar para consumar os seus objectivos.