Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Advogado acusa testemunha

08 de Março, 2014

Julgamento de Oscar Pistorius deve prosseguir até ao dia 20 deste mês na cidade sul-africana de Pretória de acordo com a justiça

Fotografia: AFP

O advogado de Oscar Pistorius acusou uma importante testemunha de alterar o seu depoimento, em conivência com a esposa, para "incriminar" o atleta, que está a ser julgado num tribunal de Pretória acusado do assassinato da namorada no ano passado.

Com uma estratégia para demolir os depoimentos contra o seu cliente, Barry Roux tentou demonstrar que a primeira descrição feita por Charl Johnson, vizinho do atleta, sobre o que aconteceu na noite da tragédia, era diferente do seu depoimento ao júri.

"Existe uma intenção de o senhor incriminar", disse Roux, antes de acrescentar que Johnson entrou em acordo com a mulher, Michelle Burger, que prestou depoimento antes.

"O senhor quer afastar qualquer dúvida de que, na realidade, esta versão é também a versão da sua mulher", disse Roux apontando para a testemunha.

Johnson, técnico de informática, negou ter modificado o seu depoimento em acordo com a esposa. O casal declarou ao tribunal que ouviu gritos e depois tiros no apartamento de Pistorius na noite de 14 de Fevereiro de 2013.

O atleta paralímpico insiste que matou por engano a namorada Reeva Steenkamp, pois acreditava que estava a atirar contra um ladrão escondido no banheiro.

Na segunda-feira, no começo do julgamento, Pistorius declarou-se "inocente" do assassínio, uma acusação que pode resultar numa pena de 25 anos de prisão.

Mais cedo, Roux pediu desculpas a Johnson por ter divulgado publicamente na sala de audiências o seu número de telefone.

Johnson disse ao tribunal na quarta-feira que a sua privacidade foi “seriamente ameaçada" e afirmou ter recebido ligações e mensagens com ameaças.
O processo deve prosseguir até ao dia 20 deste mês.