Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

frica do Sul vence a Nigria

Hlder Jeremias - 28 de Outubro, 2013

Campees africanos medem foras hoje com marroquinos em jogo da terceira jornada

Fotografia: M. Machangomgo

A selecção sul-africana voltou a exibir o seu potencial na defesa do título continental, ao vencer, ontem, à tarde, no pavilhão principal da Cidadela Desportiva, a formação da Nigéria por 55-43, em jogo referente à segunda jornada da fase final da IV edição do Campeonato Africano de Basquetebol em cadeiras de rodas (Afrobasket), que Luanda alberga até 2 de Novembro.

Depois de um início complicado, na primeira jornada, na qual tiveram grandes dificuldades para vencer o Egipto, os sul-africanos apareceram ontem mais precavidos na vertente defensiva diante dos nigerianos. Na finalização, os campeões africanos apresentaram-se pouco esclarecidos, uma réplica da jornada anterior. Houve inúmeras perdas de bolas que permitiram ao adversário tirar vantagens com contra-ataques e encurtar a diferença.

A Nigéria, que tem nos extremos Kapetayo  e Librahim, como unidades mais sonantes, não deixou os seus créditos em mãos alheias e tirou o maior rendimento da ineficácia ofensiva do adversário. No entanto, a equipa sul-africana esteve refém do mau posicionamento dos atletas, mas aliada à forte capacidade defensiva. Os nigerianos ganharam a maior parte das recuperações.

Os sul-africanos, às ordens de Frank Blen começaram por fazer a sua melhor exibição no primeiro quarto, marcada pela displicência e boa arrumação dos atletas na quadra do jogo. A estratégia criou grandes dificuldades aos nigerianos pela forma eficiente com que se locomoviam sobre as cadeiras e efectuaram o bloqueio. No final do quarto, o placard apontou 12 pontos de vantagem (32-20).

O segundo período foi improdutivo para ambos os plantéis, não obstante a Nigéria aparecer mais determinada na defesa. O equilíbrio dominou toda o período e as dusas equipas foram ao intervalo sem converte ponto, permanecendo o resultado do primeiro quarto: (32-20).

Após o intervalo, a África do Sul voltou a impor o seu jogo defensivo e potenciou o ataque com mais ousadia de Luvuyo Nbande, Mpho Mokoketsi e Shane Williams. A nova estratégia resultou na subida dos números nos dois tempos finais em que venceram por 47-30 e 55-43. A África do Sul volta a jogar hoje, às 16h15, diante do Marrocos, a contar para a terceira jornada da competição, em antecâmara ao confronto diante de Angola, marcado para amanhã às 18 horas.

FICHA TÉCNICA
Pavihão Principal da Cidadela Desportiva, jogo da segunda jornada da IV edição do Afrobasket em cadeira de rodas entre as selecções da África do Sul e da Nigéria, sob arbitragem do trio Rabah, Simão e Net:

NIGÉRIA - M Shittu(2), O Akinde(4), N Lawal(2), L Ibrahim(10), M Audu(2), H Ongunbona(1), R Okigrazi(0), K Apetayo(14), S Bailey(0), T Ongunyema(0), L Okunbowa(8), S Aderayo(8)
Treinador: Adoki O.T.

ÁFRICA DO SUL - Cecil Dumond(0), Kyle Moocketsi(4), Ralph Williams(0), Rakgesting Molete(2), Samuela Van Niekerik (0), Shaun Hartinick(0), Mpho Mokoketsi(14), Thabane Tshange(7), Jacob Volloen (0), Shane Williams(10), Luvuyo Nbande(18)
Técnico: Frank Blen

TÉCNICO DA NIGÉRIA
“Ainda temos mais jogos”

O técnico da Nigéria, Odeki Oberiniet, de 56 anos de idade, era um homem feliz no final do jogo, apesar do desaire diante dos campeões africanos. Para o técnico, o jogo diante da Argélia, hoje, vai ser determinante para as ambições do conjunto, que passa por estar no pódio mais alto no dia 2 de Novembro.

“Fomos derrotados, mas estou convicto que podemos chegar mais longe por tudo quanto mostrámos nesse campeonato. Somos uma equipa a ter em consideração nas contas finais da competição africana”, disse. Odeki Oberiniet manifestou que o campeonato que se realiza em Angola “proporciona um convívio excelente entre todos os africanos presentes”.

SELECÇÃO DA NIGÉRIA
ACUSOU O CANSAÇO

A prestação da Nigéria no campeonato africano teve uma apreciação do especialista Paulino Fernandes. O jornalista afirmou que a equipa de Odeki Oberiniet acusou em demasia o desgaste da partida da véspera, onde foi submetida a uma intensa capacidade de intervenção. A África do Sul neutralizou muitos bloqueios que serviram da chave da vitória dos campeões.“A Nigéria tudo fez para tentar contrariar o poderio dos sul-africanos e deu mostras de estar neste campeonato com uma forte consistência na organização táctica, mas faltou apenas a finalização ideal,” concluiu.

A África do Sul, esclareceu Paulino Fernandes, é uma equipa experiente que sabe estar organizada tacticamente. Durante o jogo baseou o seu jogo na estratégia dos bloqueios, que nessa especialidade de basquetebol de cadeiras de rodas joga um papel fundamental na entrada de atletas de lançamentos sem qualquer problema na área restritiva.
JOÃO FRANCISCO