Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Agentes da Hula capacitados em matrias sobre liderana

Gaudncio Hamelay-Lubango - 25 de Julho, 2019

Vinte e sete formandos fizeram parte da aco de refrescamento

Fotografia: Edies Novembro

Os dirigentes desportivos da província da Huíla foram potencializados com ferramentas necessárias, que lhes conferem capacidade de imprimir nova dinâmica, nas áreas de actuação com sucesso.
 Temas “Liderança Situacional”, “Liderança de Resolução de Conflitos” e a “Liderança Motivacional”, entre vários, dominaram na Mediateca do Lubango, durante três dias, a acção formativa promovidas pelo gabinete da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos da Huíla.
 A formação ministrada pelo prelector Manuel Rangel, ex-director para Área de Formação dos Escuteiros, à nível da África Austral, contou com a participação de 27 formandos, em representação do Sporting Clube do Lubango, Sport Lubango e Benfica, Clube Desportivo da Huíla, Ferroviário da Huíla, Interclube da Huíla, as Associações provinciais de Xadrez, Basquetebol, Futebol, alguns elementos singulares e público em geral.
 Manuel Rangel enumerou, que ao longo da formação de capacitação, chamou-lhe a atenção por parte dos participantes, o ponto concernente à liderança situacional.
 Esclareceu que por envolver maior perspicácia do líder e capacidade de avaliação dos seus liderados e a resolução de conflitos com base em situações encontradas, foi o tema que mais teve participação calorosa dos formandos.
“Falamos sobre liderança, que é um tanto ou quanto complexa e notamos realmente o interesse que os participantes tiveram com relação aos vários temas  abordados nesta acção formativa”, destacou Manuel Rangel.
 O prelector citou, durante o decorrer do evento, e que deu para notar que há uma necessidade grande de continuar com esse projecto de formação, porque os participantes mostraram o desejo e necessidade de superação.
 “E, só conseguimos fazer, com a realização de mais formações dirigidas, para que as pessoas compreendam a nova dinâmica que hoje está a ser implementada, no mundo da globalização. Por isso, o conselho que deixo, é que nunca devemos desprezar ou banalizar uma formação”, sublinhou.
 Acrescentou que as formações eleva-nos, sempre, a compreender o contexto em que estamos e ajudam também a desenvolver capacidades, assim como, dão outras valências para potenciar os nossos projectos.
 A base fundamental da formação assentou no perfil dos líderes, que sejam capazes de liderar o desporto nacional. Daí, adiantou Manuel Rangel, partilhou-se nas sessões de formação, taxativamente, várias vertentes das lideranças e tipologia de líderes que se desejam para gerir o desporto.
 Apontou que os novos paradigmas exigem que tenhamos líderes capazes de trabalhar em prol do desenvolvimento do desporto. “No entanto, temos de ter líderes capazes que estão à altura de dar ferramentas necessárias, para que estes líderes consigam trabalhar”, referiu.
 Manuel Rangel afirmou que para o perfil de um líder desportivo, basicamente tem de estar identificado com a causa. “Se não estiver identificado com a causa, que quer liderar, não adianta estar na liderança”, apelou.

Reacção
Prelector Lunda quer melhorias nas actuações dos líderes


A melhoria no rendimento de actuação dos líderes desportivos,  para permitir desenvolver as modalidades que dirigem, constitui o foco principal da realização da recém terminada acção de formação, destacou o director do gabinete provincial da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos da Huíla.
 Osvaldo Lunda anunciou, que o órgão que dirige tem programadas várias acções de formação, quer a nível de dirigentes, treinadores, professores e para os que praticam desporto.
 “Nós, já fizemos algumas formações e queremos continuar. Essa, é uma formação de liderança. Como dirigentes desportivos achamos que precisamos ter mais uma ferramenta, de forma a melhorar a vossa actuação, junto dos vossos liderados.
 Queremos melhorar, não só neste nível, mas outros, principalmente, a nível dos treinadores”, indicou.
 Osvaldo Lunda salientou no discurso de encerramento, que pretende criar muitas formações para os treinadores e alertou que em breve, só pode exercer a carreira de treinador, aquele que tiver formação nessa área.
 “Percebemos que tem muita gente talentosa e habilidosa, que foram bons jogadores. Mas ter sido bom jogador, não quer dizer que é bom treinador. Precisa -se  de aprender a ser treinador, caso não, vamos fazer o que gostamos de dizer, em vez de nós estarmos a treinar, estamos a mutilar os jovens porque não percebemos de algumas técnicas”, preveniu.
 Por essa razão, Osvaldo Lunda afirmou que só podemos exigir trabalho bem feito, se conseguimos potencializar e municiar as pessoas com ferramentas certas. “E, se não passarem pela formação, não vai ser possível fazê-lo. Esta, é a dinâmica que queremos imprimir relativamente a área do desporto, porque queremos ter bons resultados”, asseverou.