Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Agentes defendem aproveitamento das infra-estruturas desportivas

12 de Agosto, 2017

Os agentes desportivos angolanos defenderam maior aproveitamento das infra-estruturas desportivas

Fotografia: Rogério Tuti| Edições Novembro

Os agentes desportivos angolanos defenderam maior aproveitamento das infra-estruturas desportivas em todo território nacional. Atletas, dirigentes, técnicos, agentes e imprensa desportivos defenderam esta posição durante o encontro que mantiveram com o candidato do MPLA à Presidente da República, João Lourenço, na última quinta-feira no Centro de Conferência de Belas, em Luanda.

Em declarações à imprensa, o presidente do Comité Olímpico Angolano (COA), Gustavo da Conceição, destacou os feitos e a intervenção do Presidente da República, José Eduardo dos Santos, no desporto nacional.

Gustavo da Conceição, que também já foi presidente da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), salientou que o desporto também contribuiu para a paz e a democracia no país.

O presidente da Federação Angolana de Andebol, Pedro Godinho, defendeu igualmente a implementação de uma política que regule a reforma dos atletas, quando terminam as suas carreiras.

Entre as preocupações, Pedro Godinho pediu ao candidato do MPLA, caso vença as eleições de 23 do corrente, para dar atenção especial à aplicação da Lei do Mecenato para a melhoria das condições de vida dos desportistas e dos antigos desportistas.

O antigo presidente da Federação Angolana de Futebol (FAF), Armando Machado, enalteceu o interesse do candidato do MPLA à Presidente da República, João Lourenço, com o desporto nacional.

Armando Machado frisou que o desporto nacional teve altos e baixos nos últimos anos, mas ainda assim é visível a preocupação do Estado para a sua melhoria. Investir no desporto é \"investir nos jovens, é investir na força motora do desenvolvimento do país, segundo Machado.

Por outro lado, os clubes, representados por Tomás Faria, presidente do Petro de Luanda, falaram do desaparecimento dos campos, equipas e espaços que contribuíram no surgimento de muitos jogadores, hoje lendas no desporto nacional.

Os clubes pediram maior rigor na planificação das receitas que o Estado dispõe para o desporto nacional.

Foram ainda apresentadas as preocupações da Associação Mulher e Desporto (AMUD), representada pela sua presidente, Odeth Tavares, a do Comité Paralímpico Angolano (CPA), representado pelo seu presidente, Leonel da Rocha Pinto.

O Desporto Escolar foi representado por Domingos Torres, enquanto a Associação dos Atletas Olímpico esteve com Nádia Cruz e José Sayovo. Vaz Kinguri falou em nome da imprensa desportiva.