Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Alonso traça objectivos

19 de Maio, 2014

Piloto espanhol alega que a Ferrari luta pelo segundo lugar no Mundial de construtores depois da supremacia da Mercedes

Fotografia: AFP

Com a experiência de ter disputado 12 épocas da Fórmula 1, Fernando Alonso não esconde que a Mercedes está inalcançável este ano. O bicampeão nos anos de 2005 e 2006 ao ver o domínio da equipa adversária, garante que a meta da Ferrari é buscar o segundo lugar no Campeonato Mundial de Construtores.“Precisamos de fazer melhor. A Mercedes está fora do alcance, mas temos potencial para lutar com outras equipas, então a segunda posição é a nossa meta”, afirmou o espanhol.

A diferença da sua equipa em relação à líder da temporada ficou ainda mais evidente no GP de Espanha.  Alonso ficou em sexto  enquanto o seu companheiro Kimi Raikkonen terminou em sétimo, Lewis Hamilton e Nico Rosberg mantiveram o domínio e garantiram a primeira e a segunda colocação, respectivamente.Além de ressaltar o bom desempenho da Mercedes, o espanhol fez questão de demonstrar o seu descontentamento à situação actual, principalmente porque a prova realizada em Barcelona vencida por ele em 2013, marca um ano sem vitórias da Ferrari na categoria.“Infelizmente, tem passado muito tempo.

Nós não fomos capazes de lutar por vitórias nos últimos 12 meses,  queremos fazer melhor”, concluiu.Actualmente, Alonso é o terceiro colocado no Mundial de Pilotos, o que o deixa em primeiro após a dupla da Mercedes. Já no Mundial de Construtores, a Ferrari também ocupa o terceiro lugar, com 66 pontos, 18 a menos do que a Red Bull.

LOTUS RECUPERA

A Lotus foi uma das equipas que mais sofreu com os novos motores no início da temporada e enfrentou uma fase conturbada nas primeiras corridas, porém, está a  recuperar nas últimas provas. A melhoria é destacada pelos próprios membros da equipa, que mostram mais confiança em traçar uma meta para o Mundial.“Em teoria, estamos bem atrás da Mercedes, como todos, mas mais perto da Red Bull o que nos torna capazes de lutar e vencer qualquer outro carro. Queremos lutar pelo terceiro ou quarto lugar no campeonato. Um quarto do campeonato já foi, com equipas a tirar pontos uns aos outros. Não é fácil para ninguém, tirar a Mercedes. Temos de continuar a trabalhar”, afirmou Gerard López, dono da Lotus.

A equipa ficou mais confiante no Grande Prémio de Espanha, no qual Romain Grosjean cruzou a linha de chegada em oitavo e somou os primeiros pontos da montadora. Para a equipa, o resultado podia  ter sido ainda melhor, caso o piloto não tivesse problemas no  carro durante a prova.“Tivemos um problema electrônico no carro do Romain por algumas voltas, e isso,  custou-nos  a luta com a Ferrari porque  afastamo-nos  de Kimi Raikkonen e Fernando Alonso. Então, talvez o resultado fosse diferente, a lutar pelo quinto ou sexto”, concluiu o dirigente.