Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Alonso já pensa em 2014

12 de Março, 2013

Piloto espanhol manifesta reservas sobre o próximo

Fotografia: AFP

Com um novo regulamentotécnico previsto para2014, os carros de Fórmula1 vão passar pormudanças significativas. Antesmesmo do começo do Mundialde 2013, o espanhol Fernando Alonso pede que a Ferrari nãosucumba à tentação de iniciar odesenvolvimento do modeloda próxima temporada de formaprecipitada.

Para o actual vice-campeãomundial, a equipa deve investirno carro de 2014 apenas se adiferença de pontos em relaçãoao primeiro colocado seja muitogrande. Caso contrário, a ordemé concentrar todos os esforçosno desenvolvimento domodelo actual.“Será complicado chegar ao meio da temporada e estagnar. Isso só vai acontecer se estivermos50 ou 60 pontos atrás do líder. É algo que não desejamos que aconteça, mas se acontecer, então será melhor concentrarmos em 2014”, afirmou o bicampeão mundial.

Apesar de falar abertamente sobre a possibilidade de chegar a meio do campeonato significativamente atrás do líder, Fernando Alonso diz-se optimista e usa o exemplo do alemão Sebastian Vettel (Red Bull-Renault), que garantiu o seu tricampeonato ao protagonizar uma grande reacção em 2012. “Estar 20 ou 30 pontos à frente ou atrás dá força para continuar a luta, porque ainda faltarão mais sete corridas.

No ano passado, o Vettel estava 45 pontos atrás (em Julho) e venceu o campeonato. Você deve lutar com o que tem”, declarou o companheiro de Felipe Massa. Fernando Alonso ainda lembrou que o regulamento não permite testar nesta temporada equipamentos que serão úteis para a próxima. O Grande Prémio da Austrália, primeira etapa do Mundial de 2013, está marcado para o próximo domingo, na cidade de Melbourne.


Dono da Red Bull
pode libertar Vettel


O alemão Sebastian Vettel tem contrato até final da época mas Dietrich Mateschitz, dono da equipa, já declarou que não tem intenção de se opor à sua saída, caso seja vontade dele.

“Se ele não quiser trabalhar connosco, não fazia muito sentido tentar mantê-lo apenas por causa de um contrato. Se eu fosse um piloto de F1, o meu desejo era certamente tornar-me piloto da Ferrari. Mas agora isso não é problema”, declarou o mandatário ao portal australiano Kleine Zeitung.
Além de falar sobre Vettel e ressaltar a tradição da equipa de Maranello, Mateschitz também comentou sobre a situação do piloto Mark Webber, que vinha sendo contestado por não apresentar resultados semelhantes ao do companheiro.

“Em algumas corridas ele pode mostrar todo o seu potencial. É difícil para ele lutar contra Sebastian, mas a equipa garante equipamento e tratamento igual para ambos os pilotos. Quando Mark está na sua melhor forma, ele é duro de ser vencido até mesmo por Sebastian. Temos a sorte de termos dois verdadeiros número 1”, concluiu.



AUTOMOBILISMO
Ogier vence
Rali do México


O francês Sebastien Ogier venceu o Rali do México, a terceira prova do Mundial cuja liderança reforçou com este êxito, impondo-se pela primeira vez em pisos de terra com o Volkswagen Polo.

Ogier, que chegou ao segundo triunfo consecutivo, depois de ser o mais forte na Suécia, mostrou-se muito autoritário, terminando com 3.26 minutos de vantagem sobre o finlandês Mikko Hirvonen (Citroen DS3) e 4.19 para o belga Thierry Neuville (Ford Fiesta RS).

O gaulês de 29 anos colocou-se no comando logo à sexta das 23 classificativas (foi o mais rápido em 16), beneficiando depois da desistência do norueguês Mads Ostberg, que era o seu mais directo perseguidor.

O espanhol Dani Sordo (Citroen DS3), a 6.06, e  Nasser Al-Attiyhad, do Qatar, (Ford Fiesta RS), a 8.34, completaram o “top 5”.
Sebastien Ogier, que se limitou a gerir a vantagem folgada, lidera agora o Mundial com 74 pontos, seguido do compatriota Sebastien Loeb, (não esteve no México e não pretende fazer todas as provas do campeonato), com 43 e de Mikko Hirvonen com 30.


Piloto inglês morre na Tunísia

A notícia da fatalidade numa das etapas do Rally Tuareg, prova que está a decorrer na Tunísia, foi avançada ao início da manhã de ontem pela
radio Shems, que, todavia, ainda não havia conseguido apurar o nome do malogrado piloto inglês. Sabe-se, sim, que o acidente ocorreu
perto da localidade de Om Ali, em pleno deserto, e na sequência do rebentamento de um pneu.