Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Alonso mantém cautela

16 de Abril, 2013

O espanhol Fernando Alonso não acredita que o domínio que teve no Grande Prémio da China de Fórmula 1 possa ser um indicativo de que a Ferrari estará na luta pela vitória na maioria das corridas até ao fim do ano. Na prova deste domingo, o espanhol largou da terceira posição, mas assumiu a liderança já na quinta volta e manteve um ritmo forte até garantir o triunfo sem ser incomodado pelos rivais.

“Acho que é um pouco cedo para dizer. Precisamos de esperar até ao fim do Verão para ver se seremos um candidato claro. Espero que estejamos nesse grupo e que Felipe Massa também, o que mostraria que o carro está bem”, disse Fernando Alonso. “Neste  momento, creio que a Lotus-renault, a Red Bull-Mercedes e a Mercedes estão na mesma posição que nós”, frisou.

O resultado da corrida em Xangai foi importante também para Fernando Alonso não se distanciar da luta pela liderança da temporada. O espanhol desistiu no Grande Prémio da Malásia, prova anterior do calendário, e viu os seus rivais distanciarem-se na tabela classificativa, situação já bem diferente após a prova da China.

A primeira posição do “mundial” ainda está nas mãos do alemão Sebastian Vettel, da Red Bull-Renault, que soma 52 pontos, mas agora recebe mais pressão de Kimi Raikkonen, da Lotus-Renault, que soma 49, e do próprio Fernando Alonso, terceiro colocado com 43.

“A equipa fez um trabalho perfeito com a afinação do carro e tivemos execução e tempos perfeitos de ‘pit stop’. Então, no fim, a vitória é uma boa recompensa para toda a equipa e bem merecida após a decepção na Malásia. Precisamos de seguir nessa direcção, sem riscos extras, e com sorte conseguiremos outro pódio no Bahrein”, admitiu.

MASSA CULPA PNEUS
O brasileiro Felipe Massa atribuiu a um problema nos pneus a sua queda de rendimento durante o Grande Prémio da China. O piloto da Ferrari começou bem a prova, pulando da quinta para a segunda posição nas voltas iniciais, mas teve dificuldades para manter o ritmo após o seu segundo “pit stop” e cruzou a linha de chegada apenas na sexta colocação.


Chefe da Red Bull nega conspiração

O chefe da Red Bull-Renault, Christian Horner, negou as acusações segundo as quais a equipa teria prejudicado, deliberadamente, Mark Webber no GP da China, no passado fim-de-semana.

“Isso é uma asneira completa”, respondeu Christian Horner em entrevista ao site da revista Autosport. “Esqueça essa conspiração. Estamos aqui para pôr dois carros na pista e levá-los a competir no máximo possível”, sublinhou o chefe da Red Bull-Renault, que ironizou a possibilidade de sabotagem, dizendo que “quem vê conspiração contra um piloto não sabe para onde está a olhar”.

Mark Webber não leva boas lembranças do Grande Prémio da China de 2013. O australiano foi punido por falta de combustível depois da sessão qualificativa e largou da grelha no último lugar.

Na prova, sofreu com erros da Red Bull-Renault num “pit stop”. A roda do carro desprendeu-se e abandonou a corrida. Antes disso, tinha colidido com o Toro Rosso-Ferrari de Jean-Éric Vergne.

Mark Webber enfrenta um começo de época atribulado. Após um sexto lugar na abertura da temporada, na Austrália, o piloto ficou próximo da vitória no GP da Malásia, mas viu o seu companheiro de equipa, Sebastian Vettel, ultrapassá-lo e conseguir o triunfo.

No último domingo, além de ter abandonado a prova, foi punido devido ao acidente e perderá três posições na grelha da próxima prova, no Bahrein.

Interlagos pode sair do “mundial” em 2014

O organizador do Campeonato do Mundo de Fórmula 1, Bernie Ecclestone, afirmou que o Grande Prémio do Brasil, em Interlagos, sairá do calendário de 2014.

Segundo Bernie Ecclestone essa possibilidade só será afastada caso o autódromo da cidade de S. Paulo passe por reformas e atenda às exigências da FIA até à definição das provas da próxima temporada.

De acordo com o empresário britânico, o traçado de Interlagos “é um dos melhores do Mundo”, mas “a estrutura à disposição das equipas é a pior” de todas as provas.