Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Alonso triunfa no Grande Premio da China de Formula 1

15 de Abril, 2013

Alonso controlou a corrida do princípio ao fim

Fotografia: AFP

O Grande Prémio da China de Fórmula 1 foi completamente dominado ontem pela Ferrari de Fernando Alonso. Após largar em terceiro, o espanhol assumiu a liderança na quinta volta, teve uma estratégia perfeita na troca de pneus e acelerou o suficiente para conseguir a vitória.

A dúvida até final só ficou por conta das disputas pela segunda e terceira posição, conseguidas por Kimi Raikkonen e Lewis Hamilton, respectivamente. O brasileiro Felipe Massa, após largar em quinto e ter problemas na estratégia, terminou em sexto.

O resultado final só ficou pendente porque, durante a corrida, os comissários da Fórmula 1 anunciaram que vão investigar um incidente com diversos carros. A suspeita é que os pilotos utilizaram a asa aberta num trecho que estava com bandeira amarela, o que é proibido pelo regulamento. Vettel e Raikkonen, por exemplo, estão entre os investigados.

Se nada for alterado no resultado final, Vettel continua na liderança do Mundial de pilotos da F1, agora com 52 pontos. Atrás dele está Kimi Raikkonen, com 49, seguido do vencedor do dia, Fernando Alonso, com 43. Lewis Hamilton (40), Felipe Massa (30) e Mark Webber (26) completam a lista dos que têm oportunidade de lutar pelo título da temporada.

A partida aconteceu sem acidentes no autódromo de Xangai, mas ficou marcada pela péssima saída de Raikkonen. O finlandês caiu da segunda para a quarta posição e Felipe Massa foi quem aproveitou melhor isso - ultrapassou Nico Rosberg também e ficou em terceiro, atrás apenas de Fernando Alonso e Lewis Hamilton.

Alonso e Massa protagonizaram na quinta volta uma ultrapassagem dupla sobre Hamilton.

Depois disso, a maioria dos pilotos teve que ir para as boxes para trocar pneus, o que foi prejudicial para Massa. Ele teve que esperar por Alonso e, quando voltou do pit stop, enfrentou mais tráfego e por isso perdeu duas posições, para Hamilton e Raikkonen. Com pneus médios, Hulkenberg passou a liderar a corrida e parou na 15ª volta, deixando a ponta para Jenson Button.

Fernando Alonso assumiu a liderança na quinta volta, acelerou firme e terminou na frente sem sustos.

Na frente, Fernando Alonso voltou a brilhar, ultrapassou Button e assumiu a liderança. Mesmo assim, o inglês impressionou por só ter feito o seu primeiro pit stop na 24ª volta, enquanto Massa já tinha feito duas paragens até então. Ou seja, de certa forma, a corrida ficou dividida em duas: parte dos pilotos tinha feito mais paragens para trocar pneus e ficou para trás momentaneamente, enquanto outros avançaram por terem andado com pneus mais duradouros desde o começo.

Mas Fernando Alonso soube manter a vantagem quando ficou na liderança, já que estava com pneus macios e ficou com grande vantagem em relação aos demais. Sebastian Vettel, em corrida de recuperação, tornou-se a principal ameaça ao espanhol, mas teve que fazer uma paragem no final que o atrapalhou. Por isso, o caminho ficou livre para Alonso confirmar a sua posição tranquilamente, mesmo com mais uma paragem nas boxes.


FORMULA 1
Webber penalizado no Bahrein


O australiano Mark Webber vai ter uma penalização de três lugares na grelha de partida para o Grande Prémio do Bahrein de Fórmula 1, depois de ter sido ontem considerado culpado de um acidente na prova da China. O australiano da Red Bull teve um mau fim-de-semana em Xangai, na terceira prova do Mundial e, depois dos problemas na qualificação que o obrigaram a partir das boxes para a corrida de ontem, foi agora penalizado pelo incidente com o francês Jean-Eric Vergne (Toro Rosso).

Os comissários do GP da China consideraram Webber culpado do toque em Vergne, que danificou a frente do seu Red Bull, que veio a perder pouco depois uma roda, forçando o australiano a abandonar.

O mexicano Esteban Gutierrez (Suber) também foi penalizado pelos comissários e vai perder cinco lugares na grelha de partida no Bahrein, devido ao seu acidente com o alemão Adrian Sutil (Force India), que levou os dois pilotos a desistirem.