Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Amanda Nunes está insatisfeita

06 de Julho, 2017

Amanda Nunes é um tractor

Fotografia: Christian Petersen | AFP

Tanto é que das suas 18 apresentações no MMA (14 vitórias e quatro derrotas), a ‘Leoa’ chegou ao final do tempo regulamentar, em apenas duas ocasiões. Mesmo assim, os resultados no cage não lhe garantem o devido reconhecimento.

Em conversa com jornalistas, através de uma video conferência, na terça-feira (4), Amanda afirmou, que embora o cenário esteja a  melhorar, ela ainda sente que não recebe os méritos na mesma proporção que conquista o seu espaço no desporto. Afinal, antes mesmo de enfrentar Ronda Rousey, em Dezembro, a brasileira já questionava a falta de divulgação do seu nome na véspera do duelo.

“Da forma que foi promovida aquela luta, foi um choque o resultado. Dalí em diante, quem não conhecia a Amanda Nunes, passou a conhecer.
Mudou muita coisa, mas as vezes, é um pouco triste. As pessoas ainda olham as vezes, e falam: ‘Você é a menina que ganhou da Ronda’. Não falam: ‘É a Amanda Nunes campeã, que ganhou a Ronda’. É um pouco triste às vezes. Mas já está mais tranquilo. Está a melhorar”, narrou.

Escalada para enfrentar Valentina Shevchenko no sábado (8), em Las Vegas (EUA), na luta principal do UFC 213, a peso-galo Romário afirmou que a disputa  tem um papel importante na sua carreira. Após vencer as atletas mais famosas da divisão, a desforra com a campeã mundial de muay thai seria a consolidação do início de seu legado, e consequentemente, a virada de mesa para que seu seus méritos sejam reconhecidos em larga escala.

“Acredito que sou a atleta que tenho de continua a provar. Ganhar e continuar até chegar o momento em que as pessoas me olhem como campeã. Mais uma luta que continuo a provar, essa desforra… Depois dessa luta as pessoas começam a chamar-me  campeã, reconhecerem-me. Tudo leva tempo. Se você não tem promoção da media para ajudar, você tem de fazer isso. Eu sou essa atleta”, enfatizou.
Deixou claro que esse assunto ainda não foi superado mesmo após a conquista do título, a  brasileira voltou a afirmar publicamente que merece ser promovida como a campeã que é. Os efeitos dessa promoção, no entanto, já lhe fogem do controlo.

“Eu sou campeã, sou a melhor do mundo. Não é que sou a pessoa do MMA. Sou a campeã, tenho que ser promovida como campeã. Coisa que conquistei com meu trabalho. Se isso me faz a pessoa do MMA…”, finalizou.