Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Amigos da Picada já em solo nacional

Joaquim Suami, em Cabinda - 28 de Junho, 2017

Angolanos percorreram 8,6 mil quilómetros por estrada

Fotografia: Vigas da Purificação | Edições Novembro

Os Amigos da Picada, que promoveram o Raid África Internacional, já se encontram em território nacional, depois de percorrer 8,6 mil quilómetros por estradas de Angola, Namíbia, Botswana, Moçambique, Swazilândia e África do Sul e vice-versa. A delegação de 18 motoqueiros partiu da cidade de Benguela a 8 do corrente e estão a caminho das acácias rubras, o ponto final do "tour" desportivo.

Durante 22 dias de turismo desportivo por estrada, os motoqueiros da Associação dos Amigos da Picada, acompanhados por 14 pessoas distribuídos em cinco viaturas de apoio, aproveitaram para conhecer as culturas, usos, costumes e alimentação típica dos países africanos, bem como transmitiram mensagens de amor ao próximo, de união entre os povos africanos às pessoas de diferentes vilas e cidades da África Austral.  

Júlio Silva, representante da província Cabinda no Raid África Internacional, disse estar satisfeito por participar pela primeira vez num "tour" desportivo, "que vai ficar gravado na memória".

Referiu que está a gostar da convivência com outros motoqueiros que não se cansam de lhe transmitir a experiência nesse tipo de eventos desportivos.

Durante o Raid África Internacional, Júlio Silva informou que não houve dificuldades técnicas e administrativas. A delegação percorreu mais de sete mil quilómetros até chegar a Angola sem sobressaltos. A estratégia do sucesso foi manter a mesma velocidade atrás do líder do grupo.

"Não houve dificuldades e avarias durante o nosso percurso. Apenas pequenos desgastes, o que é normal. Gostamos da aventura. Encontrámos estradas excelentes, com rectas e poucas montanhas. O frio constituiu o nosso maior "inimigo". Não estamos habituados a esse tipo de clima. De resto, foi bom. Tudo correu muito bem", disse.

Na qualidade de estreante, Júlio Silva percorreu na terceira posição para adquirir a experiência.

"Andei em terceiro a acompanhar o líder por ser novo nessas andanças. Todos tomam conta de mim. São excelentes companheiros. Somos uma delegação de 24 pessoas, mas estamos como se fosse um só. Em Benguela, vou receber um colete com as cores de Angola e dos países que passamos para ser considerado um profissional", disse.

A próxima edição do tour desportivo vai decorrer de 2 a 11 de Novembro do ano em curso, com percurso Luanda, Zaire, RDC, Cabinda e Luanda, em saudação ao 42º aniversário da independência nacional.