Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Ana Lima realça "dever cumprido"

Rosa Napoleão - 12 de Maio, 2015

Sentimento do dever cumprido

Fotografia: Jornal dos Desportos

O sentimento do dever cumprido esteve patente nas palavras da vice-presidente da Federação Angolana de Natação, Ana Lima, que manifestou a satisfação pela conquista do segundo lugar do pódio no terminado Campeonato da Zona IV, que se disputou na piscina olímpica de Alvalade. 

Em declarações ao Jornal dos Desportos, Ana Lima afirmou que os nadadores nacionais fizeram uma boa prova ao superar todas as participações anteriores. Para a dirigente, o país está de “parabéns” por superar a Zâmbia e Quénia, dois países da linha de frente da natação em África. Ana Lima revelou que viveu “momentos conturbados" face à força da África do Sul. Durante algumas provas, a dirigente realçou que o grupo pensou em não atingir a meta desejada.

“Passamos momentos difíceis até à última prova por causa da África da Sul, que estava sempre em vantagem. Foi trabalhoso, mas o resultado final foi satisfatório quer na obtenção de medalhas quer a classificação”, disse. Quanto à organização, Ana Lima assegura que não foi registado conflitos ou desavenças entre atletas, bem como do público. Durante os cinco dias, o programa foi cumprido na íntegra, o que deixa o comité organizador “satisfeito” .

RECONHECIMENTO
Técnico moçambicano
enaltece a organização


O técnico moçambicano Frederico dos Santos considerou “impressionante” a organização da 13ª edição do Campeonato Africano da Zona IV, que Angola acolheu de seis a nove do corrente, na piscina de Alvalade em Luanda, pela primeira vez. O especialista ressaltou que o nível organizacional foi semelhante ao de outras competições da zona austral do continente.

“Toda esta organização foi boa, porque o velhinho complexo da piscina de Alvalade foi reabilitado e muito bem e  com tudo isso, quem ganha é a natação angolana”, disse. Quanto ao nível competitivo da prova, Frederico dos Santos referiu que esteve alto.

“Pude notar que a evolução da natação na região austral está boa, em particular a dos angolanos, que conseguiram mobilizar atletas e formar uma selecção bem composta e equilibrada em todos os escalões. Essa organização colocou a equipa angolana em  bom nível competitivo”, disse. O técnico moçambicano ressaltou, que a mesma evolução não se pode dizer do Botswana, “porque não participou com os seus melhores nadadores” e do Zimbabwe que também não participou da competição. Quanto à África do Sul, “como sempre, esteve em grande mesmo com a rotatividade que faz dos seus atletas”.

 Frederico dos Santos justificou que os seus oito atletas fizeram bons resultados, mesmo em número reduzido, perante os dinossauros como a África do Sul e Zâmbia. Moçambique classificou-se em quarto lugar com 47 medalhas.        
Rosa Panzo