Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Andebol com evoluo satisfatria

Gaudncio Hamelay, no Lubango - 20 de Agosto, 2018

Fotografia: Jos Cola| Edies Novembro

A modalidade de andebol na província do Namíbe, cidade de Moçâmedes, que já esteve “numa fase moribunda”, actualmente está, a cada dia que passa, a conhecer uma evolução satisfatória.
A apreciação é do secretário-geral do Atlético do Namíbe, Rui David, que lembrou que naquela província já tiveram um andebol muito mais renhido, tendo registado uma baixa em alguns anos. “Mas este ano já se notou que o andebol está a melhorar”, reconheceu.
Rui David salientou que, se os dirigentes desportivos tiverem aquela amabilidade de alavancar essa modalidade, está em crer que melhores dias virão para o andebol na província do Namíbe.
 “Se notarem, o andebol no Namíbe, sempre esteve nas competições nacionais. Quer dizer que o andebol estava moribundo, mas agora está a cada dia que passa a evoluir”, explicou.
 Apontou que o andebol na província do Namíbe, está a ser praticado maioritariamente pela classe feminina, que movimenta 5 equipas juvenis e várias outras nos escalões de iniciados.
O Atlético do Namíbe, particularizou o dirigente, está a trabalhar com os escalões de iniciados, juvenis, juniores, em ambos os sexos. Rui David ressaltou que, na presente época desportiva, estão igualmente a fazer experiência com uma equipa da categoria de seniores. “Quer dizer que se nós podermos puxar as outras equipas, para irem ao encontro destas competições, vamos ter mais equipas no Namíbe”, garantiu.
Em declaração ao Jornal dos Desportos, citou que a modalidade de andebol, no Atlético do Namíbe, é movimentada por 186 atletas nos escalões de infantis em ambos os sexos.
Rui David disse que se houver mais incentivos, no sentido de que aqueles que gostam de trabalhar em prol do desenvolvimento desportivo serem apoios pelo governo, “se calhar teríamos o desporto a evoluir melhor a nível da região sul”.     
 “Soubemos que temos um senão, que é a questão gestão financeira. Essa crise abalou com todos e em todas as estruturas. Vontade já se nota que existe, porque se veres todos aqueles indivíduos, que gostam do desporto, estão sempre inseridos em fazer alguma coisa. Porém, se houver mais incentivos, de certeza que teríamos o desporto a evoluir melhor”, defendeu.