Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Andrea Dovizioso vence GP da Itália

05 de Junho, 2017

Andrea Dovizioso da Ducati venceu a sexta prova do mundial de velocidade

Fotografia: AFP

O piloto italiano Andrea Dovizioso (Ducati) venceu ontem o Grande Prémio de Itália de MotoGP, sexta prova do Mundial de motociclismo de velocidade, resistindo aos ataques dos adversários e a uma intoxicação alimentar.Dovizioso, que abdicou do ‘warm up’ matinal para evitar maior desgaste físico, tendo apenas entrado em pista na última volta para praticar a saída das ‘boxes’, impôs-se ao espanhol Maverick Viñales (Yamaha) e ao compatriota Danilo Petrucci (Ducati), segundo e terceiro classificados.

Viñales, líder do campeonato, que tinha partido da "pole position", terminou a 1,281 segundos de Dovizioso e Petrucci gastou mais 2,334, enquanto o herói local, o italiano Valentino Rossi (Yamaha) foi o quarto a cruzar a meta, a 3,685 do vencedor.O campeão em exercício, o espanhol Marc Marquez (Honda), foi apenas sexto posicionado na corrida realizada no circuito de Mugello, ficando ainda mais longe de Viñales, que lidera o Mundial com 105, contra 79 de Dovizioso, 75 de Rossi e 68 de Marquez e do espanhol Dani Pedrosa (Honda).

O português Miguel Oliveira (KTM) terminou no quinto lugar da corrida de Moto2, vencida pelo italiano Mattia Pasini (Kalex), que se estreou a vencer na categoria intermédia, à frente do suíço Thomas Luthi (Kalex) e do espanhol Alex Marquez (Kalex). O italiano Franco Morbidelli (Kalex), quarto na corrida de ontem, segue na liderança da classificação de pilotos, com 113 pontos, mais 13 do que Luthi, enquanto Oliveira – que hoje gastou mais 5,124 segundos do que Pasini - segue no quarto lugar, com 70.

Na classe inferior - Moto3 – também houve um estreante a subir ao primeiro lugar do pódio, o italiano Andrea Migno (KTM), que superou o compatriota Fabio Di Giannantonio (Honda) e o espanhol Juanfran Guevara (KTM), segundo e terceiro colocados.Após o "warm up", os pilotos do Mundial de motociclismo observaram 69 segundos de silêncio em memória do norte-americano Nicky Hayden, que competia habitualmente com o dorsal 69 e que morreu a 22 de Maio em consequência dos ferimentos sofridos por um atropelamento enquanto praticava ciclismo.