Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Andy Murray estreia com vitória

16 de Novembro, 2016

Murray que tem a oportunidade de carimbar a vaga

Fotografia: AFP

Na primeira partida como número 1 do mundo, Andy Murray estreou-se com o pé direito no ATP Finals, ao derrotar em Londres o croata Marin Cilic (N.7), por 6-2 e 6-3. Foi a 22ª vitória seguida do escocês, que precisou de 1h30 para derrotar o croata.

"Não foi a minha melhor partida, mas o ambiente foi incrível, hoje", comemorou Murray que tem a oportunidade de carimbar a vaga para as meias-finais que se disputam hoje, caso derrote o japonês Kei Nishikori (número 5).

De facto, o britânico não teve uma grande actuação, mas venceu sem sustos, tirou a dor na coxa que sentiu no segundo set, depois de uma passada. Murray está invicto em Londres neste ano, com 13 vitórias obtidas na relva, no torneio de Queen´s e em Wimbledon, onde conquistou o bicampeonato.
"Fui sólido nos pontos mais importantes.

A confiança acumulada nas outras partidas, certamente, ajudou", admitiu o novo líder do ranking, que salvou quatro dos cinco 'break' points que teve contra ele, e converteu quatro das suas cinco oportunidades de quebra.

O ATP Finals reúne os oito melhores da temporada, divididos em dois grupos de quatro. Todos os tenistas de cada chave enfrentam-se na primeira fase e os dois melhores avançam para as meias-finais.

JOGOS OLÍMPICOS

Ron Dennis pode
deixar a presidência


Sem realizar uma temporada satisfatória na Fórmula 1, em 2016, a McLaren continua a passar por um momento administrativo delicado. E, Ron Dennis, chefe da equipa inglesa há 35 anos, pode sofrer as consequências da má gestão, corre o risco de ser deposto do cargo de presidente.

Segundo informa o jornal BBC, accionistas que detém parte dos direitos da equipa vão solicitar a Dennis, que abandone a presidência. Sem a intenção de renunciar, o director já recorreu para a Suprema Corte, para evitar que a sua empresa o despeça, o provável é que não haja  alternativa a não ser aceitar a decisão.

Dennis possui actualmente 25 por cento das acções da McLaren, enquanto um fundo de investimento do Bahrein, o Mumtalakat, possui 50 por cento. Os 25 por cento restantes  está em mãos de Mansour Ojjeh, antigo amigo e sócio de Ron, que agora age em conjunto com a companhia árabe para tirá-lo dos cargos executivos.

Caso a renúncia ocorra, consequências devem abater-se sobre a gestão da McLaren, já que Dennis deu plenos poderes dentro da equipa, recentemente, a Jost Capito, ex-director da Volkswagen Motorsport, que compete em rallis, e essa decisão podia ser revogada também, e intensificar a turbulência vivida pela histórica equipa por onde corre Fernando Alonso.