Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Andy Murray pode terminar o ano no Topo do Ranking

24 de Novembro, 2016

Andy Murray pode comandar o ATP pelo menos até à temporada de saibro

Fotografia: AFP

Pela primeira vez desde 2004, um nome que não os do suíço Roger Federer, do espanhol Rafael Nadal, e do sérvio Novak Djokovic, termina o ano como número 1 do mundo. Coube ao britânico Andy Murray quebrar a sequência, algo que fez com maestria após um segundo semestre de gala, e coroado com o título do ATP Finals de domingo.

Depois de tornar-se 26º a ocupar a liderança do ranking, o escocês foi o 17º a terminar a temporada. Murray tem 905 pontos de vantagem sobre Djokovic, tem tudo para continuar a comandar a ATP pelo menos até a temporada de saibro. Embora possa perder 275 pontos, pelo título da Copa Davis do ano passado, e defenda o vice -campeonato no Australian Open, Murray vai ver o rival sérvio defender o título, o que dá uma vantagem de 600 pontos ao britânico. Além disso, ele praticamente não conquistou pontos nos meses seguintes.

Murray disputou a Copa Davis, em Fevereiro e em Março, parou na terceira jornada nos Masters 1000 de Indian Wells e Miami. Nesse período, Djokovic fez os quartos de final no ATP 500 de Dubai, e conquistou os títulos nos dois Masters 1000 norte-americanos. Os dois primeiros do ranking estão bem à frente dos demais. Djokovic tem mais do que o dobro de pontos do perseguidor mais próximo, o canadiano Milos Raonic, que soma 5.450 pontos e está 6.330 atrás do sérvio.

Depois de terminar a temporada, a lutar pela liderança do ranking mundial, Andy Murray e Novak Djokovic têm um novo duelo na primeira semana de 2017. Os dois melhores jogadores da actualidade estão inscritos para o ATP 250 de Doha, que começa a 2 de Janeiro.Djokovic é o actual detentor do título,  participou das duas últimas edições do torneio.  Murray foi finalista em 2007 e é  bicampeão nos dois anos seguintes. Depois disso, o britânico só disputou a competição mais uma vez, em 2013.

O checo Tomas Berdych, número 10 do mundo e semifinalista em 2016, pode estar de volta ao torneio, e deve ser o terceiro top 10 inscrito. Outro que vai aparecer entre os favoritos, é o belga David Goffin, 11º do ranking mundial.Também devem figurar como cabeças de série, o francês campeão de 2012, Jo-Wilfried Tsonga, o croata Ivo Karlovic, o alemão Philipp Kohlschreiber e o cipriota Marcos Baghdatis. A lista fecha no 75º colocado francês Paul -Henri Mathieu.Nenhum brasileiro está inscrito para a chave principal, mas João Souza, o Feijão, é um dos alternantes e precisa de 19 desistências. O mais provável é que o actual 122º do ranking participe da qualificativa, no fim de semana anterior.