Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Andy Murray recusa Vila Olímpica

05 de Maio, 2016

Andy Murray recusa Vila Olímpica

Fotografia: AFP

contrário de Rafael Nadal, que garantiu que vai hospedar-se no local como a maioria dos atletas costumam fazer, o britânico vai dividir um apartamento com o restante da sua equipa, acredita ser um dos ingredientes para uma receita de sucesso que tem como resultado final a tão sonhada medalha de ouro.“Não ficarei na Vila, ficarei num apartamento com os meus colegas de equipa”, disse Murray após vencer o tcheco Radek Stepanek por 2 sets a 1 na estreia no Masters 1000 de Madrid. Assim como em Londres 2012, quando também recusou a Vila Olímpica, o actual número dois do mundo mira a concentração total para facturar o bi -campeonato nas Olimpíadas.

“Para ser honesto tive óptimos momentos quando fiquei na Vila em Pequim, mas o meu ténis foi bem mau lá. Fiz algo diferente durante Londres e deu-me certo. A minha função é tentar jogar o melhor possível e conquistar uma medalha para o meu país”, comentou o número dois do mundo.Andy Murray não vai ser o único tenista que preferiu não  hospedar-se na Vila Olímpica. Roger Federer, um de seus rivais, deve ficar numa mansão em Angra dos Reis, que pertence a Jorge Paulo Lemann, um dos mais poderosos empresários brasileiros e ex-campeão brasileiro de ténis.


JANELA OLÍMPICA
ANTI-DOPING

Wada aposta em exames preliminares

A Agência Mundial Antidoping (Wada) e a Organização Regional Anti-doping da América do Sul (ORAD-SAM) informaram hoje que vão colocar em prática uma campanha de exames antidoping "eficiente e inteligente" antes do começo dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em Agosto."Os exames fora da competição serão coordenados a partir do escritório regional.

O que estamos a definir é como será esse plano de controles em cada um dos países, em que momentos vamos começar a controlar e quais modalidades serão controladas, além de quando os exames vão acontecer", disse a directora regional latino-americana da Wada, María José Pesce, à Agência Efe, após reunião realizada em Assunção entre representantes das duas entidades para aprovar planos estratégicos e operacionais.

"O nosso intuito é fazer exames eficientes e inteligentes, geralmente realizados fora de competição e voltados para atletas que vão participar nos Jogos Olímpicos", completou.Ainda de acordo com a dirigente, o objectivo principal da medida é garantir que os Jogos do Rio sejam 100 por cento limpos. "Não é para castigar os que se dopam, mas para garantir que os 99 por cento dos atletas que competem de maneira limpa possam participar de um desporto livre de doping", destacou.A reunião realizada na capital paraguaia é a segunda feita pela ORAD-SAM. Está previsto um outro encontro ainda neste ano em Lima