Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Andy Murray volta a vencer

29 de Setembro, 2014

O escocês Andy Murray volta a erguer troféu um ano depois de conquistar o torneio de Wimbledon

Fotografia: AFP

O escocês Andy Murray conquistou ontem o primeiro título desde Wimbledon do ano passado ao derrotar o espanhol Tommy Robredo por 2 sets a 1 com parciais de 5/7, 7/6 (11-9) e 6/1 no ATP de Shenzhen, na China. Murray esteve cinco vezes às portas da derrota e conseguiu sobreviver a um tenso segundo set.

O experiente espanhol de 32 anos chegou a ter 6-2 no tiebreak, mas não confirmou as suas quatro oportunidades, duas delas com saque a favor e perdeu mais tarde outra oportunidade de liquidar a partida com 7-6. Completamente exausto, não ofereceu resistência ao adversário no set decisivo. A partida durou duas horas e trinta minutos. Robredo também não vence  um torneio desde Julho do ano passado.

"Foi sem dúvida um jogo incrivelmente difícil", analisou o escocês, que perdeu o posto no top dez depois do US Open. O campeão realçou que teve "sorte" no final do segundo set. "Lutei muito, tentei de tudo e felizmente reagi. Tommy fez um grande torneio e provavelmente merecia ter ganho a partida, mas isso, às vezes, acontece no desporto", filosofou.

O título não é suficiente para tirar Murray do 11º posto. O escocês está a mais de 300 pontos do búlgaro Grigor Dimitrov, mas pode ser importante na luta por uma vaga no Finals de Londres. Murray tenta a sua sétima classificação consecutiva, mas está no 10º lugar, mais de 600 pontos atrás do canadense Milos Raonic. Como ganhou convite para jogar ATP 500 Pequim nesta semana, pode aproximar-se mais.

Desde a histórica conquista de Wimbledon do ano passado, o escocês colecciona agora 29 troféus na carreira e melhora o seu recorde da época para 29 vitórias e 14 derrotas. Já Robredo perdeu as duas finais que disputou  este ano (a outra foi em Umag para Pablo Cuevas) e não escondeu a frustração: "Ser vice num torneio importante é óptimo, mas é difícil aceitar uma derrota como esta. De qualquer forma, Andy não se entregou".  Em duplas, Jean-Julien Rojer e Horia Tecau facturaram o sexto troféu da parceira em 2014 ao superar os australianos Sam Groth e Chris Guccione, por 6/4 e 7/6 (7-4).

ATP 500 PEQUIM
Ausente do circuito desde a derrota inesperada em Wimbledon, o espanhol Rafael Nadal vai ter um experiente adversário na sua estreia no ATP 500 de Pequim, onde foi finalista no ano passado. O vice-líder do ranking vai enfrentar o francês Richard Gasquet, a quem  superou em todos os 12 confrontos já disputados.

Caso mantenha a escrita, Nadal pode cruzar-se com Ivo Karlovic na segunda ronda e enfrentar o imprevisível Ernests Gulbis nos quartos-de-final. O letão estreia contra o italiano Fabio Fognini. O lado inferior da chave tem ainda Tomas Berdych e John Isner como principais nomes. Actual campeão de Pequim, o sérvio Novak Djokovic tem uma chave bem dura.

 O líder do ranking estreia contra o espanhol Guillermo Garcia-López, especialista em quadra dura e, se vencer, vai cruzar-se com Lukas Rosol ou Vasek Pospisil. O provável adversário dos quartos-de-final é o búlgaro Grigor Dimitrov, que faz o primeiro jogo com Fernando Verdasco. Vencedor do US Open e estrela do momento, o croata Marin Cilic é outro forte candidato no torneio. Na estreia defronta Yan Bai e depois João Sousa. Andy Murray entra como cabeça de série quatro.

ATP 250 DE KUALA LUMPUR
Niki Nishikori conquista torneio na Malásia

O japonês Kei Nishikori conquistou ontem o ATP 250 de Kuala Lumpur ao derrotar o francês Julien Benneteau em dois sets equilibrados e com parciais de 7/6 (7-4) e 6/4. A sensação da época 2014 deu mais um passo em direcção à sua primeira participação no Finals de Londres. O finalista do US Open e actual oitavo do ranking chega assim ao seu terceiro título da época, juntando-o aos de Memphis, também sobre piso sintético, e ao de Barcelona, uma conquista inédita sobre o saibro. Nishikori ainda foi vice-campeão em Madrid e em Nova Iorque.

Com a campanha brilhante, o japonês ocupa o sexto lugar no ranking da época com 3.845 pontos, mais de 300 acima do espanhol David Ferrer e do tcheco Tomas Berdych. Os oito mais bem colocados até ao final de Outubro disputam o Finals de Londres. Nenhum tenista asiático competiu no torneio criado em 1970 que encerra a época.

Benneteau, por sua vez, soma a 10ª final da carreira desde que se tornou profissional, no ano 2000, e nunca venceu. Na partida de ontem, Benneteau teve as suas oportunidades. Vindo de uma grande vitória sobre Ernests Gulbis, começou com uma quebra prematura no primeiro set, mas, apesar de ter evitado nove de dez break-points, cedeu o empate e viu adiada a decisão ir ao tiebreak. Prevaleceu a consistência de Nishikori.

O japonês ganhou confiança no segundo set e fechou a partida com 72 por cento dos pontos vencidos com o serviço. Com o sexto título da carreira, Nishikori disputa o ATP 500 de Tóquio, onde deve estrear-se amanhã com o croata Ivan Dodig. Na final de duplas, o veterano Leander Paes  juntou-se ao polaco Marcin Matkowski para erguer o 54º troféu da carreira como duplista, onde já teve 98 diferentes parceiros.

O indiano de 41 anos vence ao menos um ATP por época desde 1997, mas não erguia um troféu desde o US Open do ano passado. Na final, Paes e Matkowski derrotaram o britânico Jamie Murray e o australiano John Peers, por 3/6, 7/6 (7-5) e 10/5.

ATP 250 DE KUALA LUMPUR
Niki Nishikori conquista torneio na Malásia

O japonês Kei Nishikori conquistou ontem o ATP 250 de Kuala Lumpur ao derrotar o francês Julien Benneteau em dois sets equilibrados e com parciais de 7/6 (7-4) e 6/4. A sensação da época 2014 deu mais um passo em direcção à sua primeira participação no Finals de Londres. O finalista do US Open e actual oitavo do ranking chega assim ao seu terceiro título da época, juntando-o aos de Memphis, também sobre piso sintético, e ao de Barcelona, uma conquista inédita sobre o saibro. Nishikori ainda foi vice-campeão em Madrid e em Nova Iorque.

Com a campanha brilhante, o japonês ocupa o sexto lugar no ranking da época com 3.845 pontos, mais de 300 acima do espanhol David Ferrer e do tcheco Tomas Berdych. Os oito mais bem colocados até ao final de Outubro disputam o Finals de Londres. Nenhum tenista asiático competiu no torneio criado em 1970 que encerra a época.

Benneteau, por sua vez, soma a 10ª final da carreira desde que se tornou profissional, no ano 2000, e nunca venceu. Na partida de ontem, Benneteau teve as suas oportunidades. Vindo de uma grande vitória sobre Ernests Gulbis, começou com uma quebra prematura no primeiro set, mas, apesar de ter evitado nove de dez break-points, cedeu o empate e viu adiada a decisão ir ao tiebreak. Prevaleceu a consistência de Nishikori. O japonês ganhou confiança no segundo set e fechou a partida com 72 por cento dos pontos vencidos com o serviço.

Com o sexto título da carreira, Nishikori disputa o ATP 500 de Tóquio, onde deve estrear-se amanhã com o croata Ivan Dodig. Na final de duplas, o veterano Leander Paes  juntou-se ao polaco Marcin Matkowski para erguer o 54º troféu da carreira como duplista, onde já teve 98 diferentes parceiros. O indiano de 41 anos vence ao menos um ATP por época desde 1997, mas não erguia um troféu desde o US Open do ano passado. Na final, Paes e Matkowski derrotaram o britânico Jamie Murray e o australiano John Peers, por 3/6, 7/6 (7-5) e 10/5.