Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angola falha participao internacional

ROSA NAPOLEO - 28 de Dezembro, 2019

Fotografia: ANTNIO SOARES | EDIES NOVEMBRO | CABINDA

O ano de 2019 foi madrasta para a ginástica nacional. A equipa liderada por Auzílio Jacob não conquistou nenhuma medalha, um facto de registo negativo. Ao contrário de outros anos, a ginástica nacional não embarcou muitas vezes para a alta competição, quer em África quer no Mundo. A modalidade restringiu-se a cumprir na íntegra o calendário de competições internas. As condições financeiras do país são apontadas como as causas que levaram a viver a nova realidade.
Em 2019, a ginástica limitou-se a participar dos Jogos Africanos de Rabat, onde não conseguiu subir ao pódio. A participação contou com os ginastas Xavier Bernardo, Domingos Muatxicumba, Pedro Sacupuepua, Evaristo Tchikungo e Horácio Pitra Grós, sob a orientação do técnico Cláudio Costa.
No seio da colectividade de dirigentes, o consenso gira à volta da esperança de dias melhores. Todos os esforços foram feitos para contornar os constrangimentos financeiros. Para a história ficam as ausências de Angola nas competições internacionais.
Recorde que, em 2018, a ginástica conquistou 33 medalhas (dez de ouro, 15 de prata e oito de bronze) no Campeonato Africano da Zona 5, disputado na cidade de Pretória, África do Sul. No mesmo ano, conquistou 60 medalhas no Africano do Egipto. O feito deu acesso aos Jogos Olímpicos da Juventude na Argentina.