Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angola arrebata sete medalhas

27 de Abril, 2015

O combinado nacional regressa hoje ao país com um pecúlio de sete medalhas na bagagem

Fotografia: José Cola

Sete medalhas das quais duas de ouro, quatro de bronze e uma de prata é o pecúlio da Selecção Nacional de atletismo no Open-Brasil Caixa Lotarias terminado sábado em São Paulo, Brasil.

Na prova, em que Angola participou pela terceira vez consecutiva (depois de 2013 e 2014), o grande destaque foi Alberto Lussasse (Bié – classe T46), ao conquistar as duas únicas medalhas de ouro, nos 1500 com o tempo de 04:23.89 e nos 800 metros, 02:04.06. Befília Buiyo, também da província do Bié, arrebatou a prata nos 400 metros para invisuais (classe T11) cronometrando 02:51, numa final disputada a duas séries em que Esperança Gicaso, da província de Luanda ficou pela melhoria da marca.  

As três medalhas de bronze foram conquistadas, respectivamente, por António Rock, no lançamento de peso classe F56, Rodé Fernandes, nos 400 metros T12, e Octávio dos Santos, duas vezes nos 200 e 400m T11.
O combinado nacional regressa hoje ao país.

JOVENS CHAMADAS
A APOSTAR NA FORMAÇÃO

O presidente da Federação Angolana de Atletismo, Carlos Rosa, apelou no sábado, na cidade do Lubango, província da Huíla, a juventude a manter o seu interesse pela prática da modalidade, mas sem descurar a formação académica.

O apelo foi feito durante  o acto de lançamento de um projecto de massificação do atletismo na província da Huíla, denominado ”OKUHATECA”, encabeçado pela antiga estrela do atletismo nacional Ana Isabel. Salientou a importância da formação no país, pois é garante para que efectivamente surjam novos talentos como foram Ana Isabel, João Tyamba, entre outros nomes, para que se possa inverter o quadro do atletismo no país.

Para que tal desiderato seja concretizado, urge primar pela formação de qualidade dos técnicos e dos monitores. Reiterou a necessidade de os atletas continuarem também a formação académica, por considerar que as duas se complementam.

”Devemos praticar  desporto, pois o desporto é saúde, mas acima de tudo os estudos em primeiro lugar  e que numa perspectiva futura surjam novos campeões, com um calibre igual ou superior ao que a Huíla sempre nos acostumou”, realçou.


Gesto
Atleta paralímpica
beneficia de residência


A atleta paralímpica Befilia Mbuia beneficiou na última semana de uma residência do tipo T3, pelos feitos que a mesma tem alcançado nos últimos tempos, na modalidade de atletismo.

A atleta em causa é deficiente visual e neste momento encontra-se no Brasil, onde participou numa competição internacional de atletismo.

Na ocasião, o governador da província do Bié, Álvaro de Boavida Neto, enalteceu os feitos da atleta, tendo encorajado no sentido de continuar com a mesma determinação, de forma a levar vários títulos a esta região, no decurso da sua carreira.

O governador Álvaro de Boavida Neto sublinhou que a entrega simboliza o reconhecimento que o Governo tem prestado a alguns atletas, que continuam a destacar-se em diversas modalidades.  Befilia Mbuia já conquistou várias taças da modalidade, quer provinciais, nacionais e internacionais.


BREVE
Campeã olímpica de atletismo nuncia aposentadoria

A campeã olímpica Maurren Maggi anunciou que este é seu último ano competindo no atletismo. Durante uma transmissão do Esporte Espetacular, em que é comentarista, confirmou que está na temporada final da sua carreira, e que em 2016 ficará dedicada exclusivamente aos trabalhos com a Globo, principalmente no período das Olimpíadas do Rio de Janeiro. O anúncio já estava programado para acontecer durante a transmissão de um evento de atletismo no Rio, com a presença de Usain Bolt.