Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angola ascende no ranking

Álvaro Alexandre - 07 de Novembro, 2013

Resultados individuais de angolanos nos últimos torneios internacionais permitiram a subida no ranking da Federação Internacional

Fotografia: Jornal dos Desportos

Angola ascendeu ao 94º lugar do ranking da Federação Internacional de Xadrez (Fide), actualizado no dia 1 do mês em curso, na cidade de Atenas, pelo Conselho de Revisão do elo internacional.O país conta agora com 2215 pontos no quadro classificativo mundial liderado pela Rússia, com 2743 pontos. Antes da actualização, Angola ocupava a 93ª posição.

A Argélia é o país africano melhor posicionado no ranking da Fide. Os argelinos ocupam o 70º lugar com 2320 pontos. O representante africano tem um Grande Mestre e dez Mestres Internacionais.Na lista dos dez países do Mundo que comandam o rating internacional, e a seguir à Rússia, estão a Ucrânia (2704), China (2673), França (2666), Arménia (2658), Hungria (2658), Estados Unidos (2648), Índia (2644), Holanda (2637) e Israel (2632).A Rússia tem 221 Grandes Mestres e 501 Mestres Internacionais. A Ucrânia, segundo colocado, tem 81 Grandes Mestres e 196 Mestres Internacionais e a China conta com 34 Grandes Mestres e 25 Mestres Internacionais.

Angola tem registado na Fide sete Mestres Internacionais. A melhoria de um lugar foi possível graças aos resultados individuais obtidos nos torneios no mês transacto. O primeiro registo do rating (ranking) foi obtido por Cláudio Félix (2051), Jesus Pimentel (2068), Celso Baltazar (1954), Esperança Caxita (1706) e Maria Domingos (1477). O Mestre Internacional Adérito Pedro continua a liderar a classe dos xadrezistas nacionais com 2323 pontos.

Fazem parte dos primeiros dez classificados do ranking nacional os Mestres Fide Catarino Domingos (2273), Eduardo Pascoal (2253) e os candidatos a Mestre João Simões (2226), Sérgio Miguel (2196), Tito Agostinho (2192) e os Mestres Internacionais Armindo de Sousa (2187) e Amorim Agnelo (2179), o Mestre Fide Ediberto Domingos (2161) e o Mestre Internacional Erikson Soares (2159). Na classe feminina, as melhores classificadas são Valquíria Rocha (1800), Sónia Rosalina (1777), Esperança Caxita (1706), Engrácia Oliveira (1656), Margarida Sussu (1609), Irineia Gabriel (1540), Domingas Tavares (1506) e Maria Domingos (1477).

Antigo campeão
Kasparov quer obter a nacionalidade letã


Garry Kasparov, antigo campeão mundial de xadrez, e grande opositor político do presidente russo, Vladimir Putin, iniciou o processo para obter a nacionalidade letã, anunciou em Riga um dos seus agentes, Arturs Avotins.Kasparov escreveu a quatro dos cinco partidos do parlamento da Letónia a pedir ajuda para obter a segunda nacionalidade.

«A carta é autêntica e nós apresentamo-la como seus representantes. Vamos começar as discussões com os partidos», indicou o agente do xadrezista russo à AFP. Kasparov espera, assim, obter a segunda nacionalidade, o que lhe permite agir, «sem restrições, em actividades políticas, em defesa da democracia, da paz e da justiça na Rússia e noutros países, que não respeitem os direitos humanos e atropelem os padrões democráticos», conforme frisou na carta, enviada aos partidos letões.

Vários líderes políticos, incluindo, Ainars Latkovskis, da coligação Unidade, confirmaram ter recebido a carta, a qual, não foi enviada ao Centro de Harmonia, coligação da oposição, que tem um acordo de cooperação com a Rússia Unida, partido de Vladimir Putin.A lei letã permite, depois deste ano, a dupla nacionalidade.

Garry Kasparov, de 50 anos, foi campeão mundial de xadrez seis vezes, no período entre 1985 e 2000. É um dos fundadores do partido de oposição «A Outra Rússia e Solidariedade» e tornou-se um dos principais contestatários do Kremlin.Nos anos mais recentes, o antigo líder do ranking mundial de xadrez faz, principalmente, de porta-voz da oposição no estrangeiro.O russo anunciou, em Junho, em Genebra, que não voltava ao seu país natal, com medo de perseguição devido às actividades políticas.