Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angola Campeã Africana de Vela

Francisco Carvalho - 11 de Outubro, 2016

Concentração na largada

Fotografia: Dombele bernardo

A insónia tomou conta dos principais candidatos ao título da edição de 2016 do Campeonato Africano de Vela, da classe optimist, que vai decorrer até quinta-feira, na Baía da Ilha de Luanda. Depois da disputa das seis primeiras regatas da prova individual, os angolanos Osvaldo da Gama e Lourenço Simão são os alvos a abater pelo sul-africano Matt Gavin Ashwell e o moçambicano Titos Cossa, nas seis últimas regatas previstas para amanhã e quinta-feira.

À entrada da sétima regata, o equilíbrio domina a tabela de classificação geral. O angolano Osvaldo da Gama lidera a competição africana com 11.0 pontos, depois de superar o colega de equipa, Lourenço Simão, no segundo dia da prova. A troca de posições espelha a ansiedade que paira no grupo de Angola.

Motivados pelo público na praia da Ilha de Cabo e revestido de sentimento patriótico, Osvaldo da Gama e Lourenço Simão buscam o título continental pela primeira vez na carreira.

Com olhos no lugar mais alto do pódio, está também o sul-africano Matt Gavin Ashwell. O forasteiro ocupa o terceiro lugar da tabela de classificação com 31 pontos, os mesmos de Lourenço Simão. A boa performance exibida nas quatro primeiras regatas indiciam o alto nível de competitividade até o final da competição. Na segunda regata, o representante da África do Sul foi mais veloz.

Na primeira regata, foi o segundo, e na quarta, o terceiro. Matt Gavin Ashwell é um nome a ter em conta na recta final da prova individual. A desilusão vem do Índico. Depois de prometerem o assalto à primeira posição, os moçambicanos enfrentam dificuldades para tornar o sonho, em realidade.

Os rapazes do técnico Sanches... só com um milagre podem alcançar a medalha de ouro. Titos Cossa é o melhor posicionado do grupo, na sétima posição da tabela geral, com 72 pontos. O quinto lugar na segunda regata é até o momento, a sua melhor classificação.

Abel Manhique é outro jovem moçambicano com prestação irregular na prova. A sua melhor classificação foi o sétimo lugar na terceira e na quinta regatas. Na tabela geral, ocupa o 12º lugar.

A maior decepção vem da Argélia. Os campeões africanos estão muito abaixo das performances que apresentaram na edição passada em "casa". O melhor classificado na prova de Angola é Zakari Hichem Mokhtari, que ocupa a 11ª posição da tabela geral com 81 pontos.

À entrada da sétima regata, a melhor classificação do argelino foi o terceiro lugar, na segunda regata. O segundo melhor argelino na prova é Aniz Harcuz, com 109 pontos, ocupa a 18ª posição. O oitavo lugar na sexta regata é a melhor classificação na prova.

Título
Angola é campeã africana


A selecção de Angola é a nova campeão africana por equipa de vela, da classe Optimist. A equipa  liderada por Moisés Camota subiu ontem ao pódio mais alto da competição que decorre na Baía de Luanda. As quatro equipas angolanas bateram-se com valentia pela dignidade da bandeira  nacional e inscreveram o nome do país na história da vela continental.

Depois de muitos meses de superação e entrega ao trabalho, os jovens Osvaldo da Gama, Lourenço Simão, Decaprio Fernando e João Luacuti, pela selecção A; Emílio de Rosário, Benilson NZunzi, João Artur e Osvaldo Carlos, na B, bem como de Graciano Novaz, Ronâncio Paulo, Guilherme Neto e Eduardo João na selecção C elevaram-se ante a forte concorrência de Moçambique e da África do Sul.

Dotados de boa preparação psicológica, os angolanos souberam gerir o cansaço provocado pela espera do vento. A prova estava agendada para o turno da manhã, as condições climatéricas não facilitaram. A organização teve de "rogar a Deus" para que as águas marítimas da Ilha de Cabo "desbravassem" a maldição. É assim que, no cair da tarde, os ventos chegaram para o gáudio dos concorrentes.

Com vento moderado, os angolanos exploraram melhor o espaço de disputa e, no final, o sorriso de felicidade ficou estampado no rosto de cada integrante. Era o culminar de uma longa missão. Com abnegação e patriotismo, a África tem um novo campeão: Angola.
FRANCISCO CARVALHO

FEMININO
Angolanas afastadas do pódio


A participação das angolanas no Campeonato Africano de Vela, da classe Optimist que decorre na Baía da Ilha de Cabo, em Luanda, está longe da meta esperada pela equipa técnica. Aline Lourenço é a melhor da selecção nacional e ocupa a quinta posição da tabela feminina. Com 182 pontos, ocupa o 32º lugar da tabela geral.  Longe do pódio estão também Maria Júlio e Juliana Miguel. As duas ocupam a sétima e oitava posições da classificação feminina com 231 e 236 pontos.

A ascensão das atletas angolanas ao topo da tabela feminina, é comparável a um conto de fadas. Do sonho à realidade, a moçambicana Denise Parruque é a líder invicta com 73 pontos. Em seis regatas disputadas, a "irmã" do Indico é a oitava posicionada da tabela geral. A boa performance de Parruque coloca-a na rota "marítima" para o pódio do Campeonato Africano de Angola. Na primeira regata, foi a quinta classificada da tabela geral, e na sexta regata, desceu um degrau (sexto).

No encalço de Denise Parruque está a sul-africana Chiara Fruet com 98 pontos, a menina das terras de Nelson Mandela ocupa o segundo lugar da classificação feminina e 14º da tabela geral. O quarto lugar da tabela geral na sexta regata é a sua melhor classificação até o momento. Na quarta regata, Denise  Fruet foi a sexta classificada da tabela geral, e na segunda regata, a nona.

Nas próximas seis regatas, a moçambicana Denise Parruque e a sul-africana Chiara Fruet vão travar forte despique pela liderança da prova feminina.
Sem possibilidade de erguer o troféu continental, tal como as angolanas, estão as argelinas Rym Isra Dia e Racha Touabi, na terceira e quarta posições, com 143 e 148 pontos. A representante da Tanzânia, Duncan Hawksworth, ocupa a sexta posição com 219 pontos.
FRANCISCO CARVALHO