Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angola decide passagem s "meias"

Teresa Luis, Rabat - 26 de Agosto, 2019

Fotografia: Jornal dos Desportos

A Selecção Nacional sénior feminina de andebol defronta hoje, a partir das 14h00, no Pavilhão Mohamed V, em Rabat, Marrocos, a congénere do Uganda, em partida a cantar para os quartos-de-final dos 12º Jogos Africanos, com o pensamento virado para o alcance do passe para as meias-finais da referida competição.
Habituadas a jogar em grandes palcos, as campeãs africanas são claramente favoritas à passagem  para as meias-finais, dado que terão pela frente uma selecção com objectivos modestos.
Durante a fase preliminar, as Perolas às ordens de Morten Soubak terminaram invictas, somando com isso, oito pontos. O desnível competitivo das ugandesas faz antever um desafio quase de sentido único. O Uganda deve apostar na defesa para evitar uma derrota avolumada. No outro desafio, o mais equilibrado, Congo Democrático joga frente à Tunísia. Congolesas e tunisinas entram em igualdade de circunstância. A eficiência no ataque e a coesão na defesa podem definir a selecção apurada. Seis pontos do Congo e quatro do combinado magrebino foi o saldo da fase de grupos.A Guiné defronta a Argélia na decisão para as \"meias\". Embora menos dotadas de argumentos técnicos e tácticos, as guineenses querem contrariar os propósitos das argelinas. A Argélia somou seis pontos, na primeira etapa da prova, ao passo que a Guiné totalizou quatro.
Marrocos tenta a qualificação para as “meias” diante dos Camarões. Além do apoio do público, a selecção anfitriã precisa de estar em dia sim, caso queira vergar a congénere camaronesa. As camaronesas chegam a fase eliminatória com oito pontos, mais seis em relação às marroquinas.
A última jornada produziu os seguintes resultados: Guiné-Nigéria (31-28),  Argélia-Uganda (33-28), Angola-Congo Democrático (27-21) e Camarões-Tunísia (32-25).
Em masculinos, Angola discute o acesso às meias-finais frente à Zâmbia. Os Guerreiros de Filipe Cruz em princípio são favoritos à vitória. O “sete” nacional somou sete pontos, na fase preliminar, enquanto os zambianos só averbaram derrotas.
Apenas quatro selecções integraram o Grupo A, e Zâmbia foi a última colocada. No outro desafio, Egipto mede forças com a Nigéria. Os egípcios, detentores do título, têm bagagem competitiva que lhes permite triunfar.
Marrocos e Congo Democrático protagonizam o “duelo” menos desnivelado. A jogarem em casa, os marroquinos aspiram carimbar o passe para a etapa seguinte. Os congoleses precisam de abordar o desafio com a mestria que se impõe.
Ainda hoje, a Guiné joga frente à Argélia. Ontem, foram registados os seguintes resultados em masculinos: Zâmbia-Guiné (33-41), Congo Democrático-Nigéria (21-21), Angola-Argélia (26-26), e o Egipto-Marrocos (32-27).