Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angola desce no ranking

Álvaro Alexandre - Goa - 30 de Janeiro, 2014

Fraca produção de ténis de mesa e do voleibol de praia inviabiliza objectivos da direcção do Ministério da Juventude e Desportos

Fotografia: Santos Pedro

Angola baixou dois lugares no ranking dos países da Comunidade de Países de Língua Oficial Portuguesa ao qualificar-se na quinta posição dos III Jogos da Lusofonia de 2014, disputados de 18 a 29 do corrente, em Goa. Na edição anterior, realizada em 2009, em Portugal, o país ficou na terceira posição.

Com uma delegação composta por 116 membros, superada apenas pelos anfitriões, Angola não conseguiu melhorar a classificação obtida em Portugal. As 14 medalhas, das quais quatro de ouro, uma de prata e nove de bronze, tiveram mais peso na tabela de classificação do que as 26 conseguidas em Goa, quatro anos depois.

O Ministério da Juventude e Desportos, através do Comité Olímpico Angolano, apostou no basquetebol, atletismo, judo, ténis de mesa, voleibol de praia  e taekwando. O investimento humano e financeiro reverteu-se em fracasso.   Angola conquistou cinco medalhas de ouro, oito de prata e 13 de bronze.

O comportamento das selecções foi diferenciado. Algumas tiveram maior atitude que as outras. O atletismo foi o rei das conquistas das medalhas. Contribuiu na conta geral com 11, distribuídas em três de ouro, quatro de prata e quatro de bronze. A medalha de ouro foi colocada ao pescoço de Felismina Cavela (800 m), Osvaldo Morais (100 m) e Alexandre João (10 km).

A  de prata, ao de Felismina Cavela (1500 m), Whitney Barata (100 m), Francisco Caluvi (10 km) e Ernestina Paulino (10 km). A de bronze, ao de Alexandre João (1500), Mauro Gaspar (100 km), Kevin Fernandes (400 km) e Ernestina Paulino (5000 km).
O judo foi a segunda modalidade que mais contribuiu no pecúlio do país.

A selecção de André de Sousa totalizou nove medalhas. Antónia de Fátima “Faia” e Mário Rafael conquistaram o ouro. Araith Carvalho, prata. Antunes Vunge (-66kg), Bruna de Freitas (-57kg), Frederico João (-90kg), Wilson Afonso (-81kg), Rita Augusto (-63kg) e Hilário Paulo (-52kg) conquistaram a medalha de bronze nos III Jogos da Lusofonia.

O taekwondo superou a prestação dos Jogos da Lusofonia de 2009, disputados em Lisboa, onde Sandra António e Makila Carlos conseguiram medalhas de bronze. Em Goa, O espírito guerreiro de Manuel Uyango (-58kg) fê-lo atingir a medalha de prata. Rosalina Canduco (-49kg), Suzaneth Salomão (-57kg) e Sandra António (+67kg) conquistaram medalhas de bronze. Angola competiu nas modalidades de voleibol de praia, taekwondo, ténis de mesa, basquetebol, judo e atletismo.

MEDALHAS
Angola em quinto


A República de Angola ficou em quinto lugar nos III Jogos da Lusofonia que decorreu, de 18 a 29 do corrente, na cidade indiana de Goa. A delegação nacional acumulou 26 medalhas, dos quais cinco de ouro, oito de prata e 13 de bronze. O quadro geral foi dominado pela Índia, a anfitriã do evento desportivo, com 85 medalhas no geral. Os caseiros conseguiram 31 de ouro, 26 de prata e 28 de bronze.

Nas posições imediatas ficaram Portugal com 45 no total (18 de ouro, 16 de prata e 11 de bronze), Macau com 35 (14 ouro, 7 prata e 14 bronze), Sri Lanka com 31 (7 ouro, 11 prata e 13 bronze), Angola com 26 (5 ouro, 8 prata e 13 de bronze), Moçambique com 13 (4 ouro, 4 prata e 5 bronze), Guiné Bissau com 3 (2 ouro e 1 prata), Cabo Verde com 12 (1 ouro, 6 prata e 5 bronze), São Tomé e Príncipe com 1 de prata e Timor Leste com 1 de bronze.

TORNEIO
Manuel Barros
vence “Handicaps”


Manuel Barros, atleta da equipa Volvo, venceu, no campo do Morro dos Veados, a 16ª edição do torneio Revisão de Handicaps e Convívio, com um total de 70 tacadas (-2) 2 (4 e 13) na modalidade de Strokeplay.  Francisco dos Santos (Ensa), com 71 (-1) 1 (11), ficou em segundo lugar, seguido de Nicolau Mateus (Ouro Negro Explo), com 71 (-1) 1 (14), Gabriel Guilherme (Ouro Negro Explo), com 71 (-1) 1(16),  António Avelino (Ouro Negro Explo), com 72 (e) 1(16),  Manuel Dias (individual), com 73 (+1).  H. Monteiro dos Santos (Ouro Negro Explo), com 74 (+2) 1 (12), e João Cortêz (Ensa), com 74 (+2) 1 (10).              ROSA NAPOLEÃO

MISSÃO
Basquetebol falha objectivo


O objectivo traçado pela direcção da Federação para os III Jogos da Lusofonia realizados em Goa, foi frustrado. O rejuvenescimento das selecções nacionais, masculina e feminina é apontado como a principal causa do fracasso.

Nas duas frentes, Angola ficou no segundo posto com a medalha de prata ao peito. Em masculino, os indianos foram os carrascos e, em feminino, Moçambique, com sentimento de vingança, não facilitou as meninas de Elisa Pires, na última jornada do torneio de basquetebol dos III Jogos da Lusofonia de 2014.

VOLEIBOL DE PRAIA
E TÉNIS DE MESA


O voleibol de praia e o ténis de mesa tiveram um desempenho sem notoriedade.  Os atletas das duas selecções apresentaram exibições aquém das expectativas. A única posição merecedora de realce é os quartos - de- finais alcançados por uma das duplas de cada modalidade.

No voleibol de praia, a dupla Dário e Edson atenuou a honra, enquanto no ténis de mesa, a dupla feminina composta por Ruth Tavares e Isabel Albino atingiu o feito.
O chefe da delegação angolana Carlos Rosa disse na hora de balanço que há grande perspectiva para as selecções de ténis de mesa.

Os adolescentes formados na China deixaram indícios de que Angola pode vir a ter uma grande selecção.  No que concerne ao voleibol de praia, o também presidente da Federação Angolana de Atletismo, Carlos Rosa, apontou o “egocentrismo e vaidade” como a causa do fracasso da selecção nacional. Os atletas escolhidos para representar o país desprezaram os adversários na hora de pontuar.
Álvaro Alexandre - GOA