Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angola est em risco de falhar apuramento

Silva Cacuti - 10 de Fevereiro, 2020

Antnio da Luz pede apoio ao Executivo para levar a seleco ao Brasil

Fotografia: Contreiras Pipa| Edies Novembro

O Comité Paralímpico Angolano (CPA) concentrou desde 15 de Janeiro a selecção nacional de atletismo adaptado que trabalha para participar do meeting internacional de São Paulo, Brasil, prova qualificativa aos Jogos Paralímpicos de Tóquio '2020. O grupo não dispõe de condições financeiras para manter a preparação nem para garantir a participação na competição, anunciou António da Luz, secretário-geral.
A preparação e a participação na competição internacional de São Paulo estão orçados em 150 milhões de kwanzas, segundo o dirigente.
António Da Luz revelou que da parte do Ministério da Juventude e Desportos desconhece qual é o valor a ser disponibilizado e, pior, não se sabe quando vai ser cedido. O responsável refere que o ideal seria a disponibilização do valor no ano anterior (2019).
"Não se sabe, se vamos ao meeting de São Paulo. Até hoje (quinta-feira), não temos verbas disponíveis. Se não formos a São Paulo, a nossa participação nos Jogos Paralímicos de Tóquio fica reduzida ao 'wild card' (carta convite), que implicaria levar apenas um atleta masculino e outro feminino", disse.Da Luz esclarece as consequências resultantes da ausência do país na competição brasileira.
"Angola já não está a este nível. Só fomos aos Jogos por via do 'wild Card' em 1996. De lá para cá, sempre fomos por mérito. Seria uma decepção, não só para Angola como também a nível internacional. Angola já atingiu um estatuto (por mérito próprio que o distingue de outras nações) e seria um descalabro se formos aos Jogos por via do 'wild card'", lamentou.
Diante dos receios, o executivo do CPA apelou a uma melhor forma de encarar o desporto adaptado tanto pelas estruturas governativas como empresariais do país.
"O apelo que faço ao Governo de Angola e ao nossos empresários é no sentido de olharem um pouco mais para essa franja da sociedade, em especial, para os desportistas que têm a missão de ir a Tóquio tentar conquistar medalhas. Por favor, não nos tirem este direito. Temos possibilidades de obter medalhas em Tóquio. Gostaríamos de ter as condições financeiras para ir a São Paulo, em Março, e qualificarmo-nos por mérito para Tóquio'2020", disse.
Para disputar o meeting de São Paulo, de 23 a 29 de Março, o seleccionador nacional José Manuel, também conhecido por Zeman, trabalha com José Chamoleia, Esperança Gicaso, Emeloide Adelino, Juliana Moko, Regina Dumbo e Befilia Buyo (T11); Rita Lucunde, Oliveira André(t12) e Manuel Jaime (T46).
Estão ao dispor do treinador os guias Márcio Neto, Abel Narciso, Ngoy Pierrot, Eduardo Chimboto, José Hipapa e Nicolau Palanca. Domingos Sapalo é o treinador adjunto, Constância Tomás é a fisioterapeuta e Donana Sambelela é a auxiliar. SILVA CACUTI