Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angola exibe potncia no Africano de Sambo

Francisco Carvalho - 16 de Junho, 2018

Eduardo Kano ( direita) numa sesso de formao com especialistas russos em Marrocos

Fotografia: DR

Sambo. Um nome. Uma família. Um clã. Na história de Angola é sinónimo de médicos, músicos, intelectuais. Guerreiros em busca de desafios longe do mundo fascinante do desporto. Na era de mudanças, Sambo também ganha uma nova nomenclatura: é um desporto de combate.
A Selecção Nacional de Sambo está de malas aviadas para a Tunísia, palco do 13º Campeonato Africano a decorrer de 21 a 26 do corrente na cidade de Tunis. A delegação angolana, chefiada por Eduardo Kano, seleccionador e promotor do desporto em Angola, viaja na próxima terça-feira.
Em declarações ao Jornal dos Desportos, Eduardo kano assegurou que o país vai a Tunis para exibir \"o trabalho\" desenvolvido nos últimos seis meses. Os cinco atletas eleitos vão competir nas especialidades de sambo desportivo e sambo combate nas categorias de 90 e 82 quilogramas.
A Selecção Nacional é composta por 10 atletas, mas por dificuldades económicas apenas cinco estão \"autorizados\" para representar as cores de Angola. A triagem acontece no final da sessão da tarde, na próxima segunda-feira, na escola sedeada no Distrito da Samba.
Eduardo Kano reiterou que vai ser difícil escolher os cinco atletas. Os dez disponíveis apresentam competências desportivas acima da média, segundo o treinador.
É pela segunda vez que Angola participa na competição continental. A primeira ocorreu em 2015, com Eduardo Kano a vestir as cores da bandeira nacional no último lugar do pódio (medalha de bronze). A boa prestação em Casablanca, Marrocos, faz de Angola uma \"potência\" a abater.
O país regressa a um palco do campeonato africano três anos depois. As dificuldades económicas impediram a Eduardo kano defender a medalha de bronze. Durante a ausência, criou as condições materiais para fomentar o Sambo no país. Duas escolas movimentam dezenas de crianças nos Distritos da Samba e do Palanca.
Eduardo kano tem presença registada no campeonato do mundo realizada no Japão, em 2014. Na estreia, o angolano quedou-se na 12ª posição da categoria de -100 quilogramas.Em Abril de 2018, recebeu um convite da Federação Internacional de Sambo para participar do Seminário de formação de treinador e de arbitragem. O evento contou com a participação da Confederação Africana em Casablanca, Marrocos.
A presença de Angola na 13ª edição do Africano, em Tunis, resulta da boa qualificação obtida na formação de treinador. Doravante, o país passa a constar do leque de países com a implementação do Sambo. A expansão do desporto em Angola consta de um programa elaborado pela comissão instaladora da Associação de Luanda.
 Em Angola, o desporto é praticado desde 2014. O mentor do desporto, Eduardo Kano, tem a graduação de Godan 5º Dan, cinturão preto, graduado pelo Instituto Internacional do Kodokan, Japão, no dia 26 de Março de 2014.
Sambo é uma arte marcial mista, moderna e desenvolvida no início do século XX na extinta União Soviética, É reconhecido como desporto desde 1938, no limiar da segunda guerra mundial, e congrega todas as distâncias de combates: punhos, cotovelos, joelhos, pernas, queda, projecções, raspagens, chaves e todos os tipos de submissões.
Sambo (na sua versão desportiva) é uma das quatro principais formas de wrestling amador competitivo praticada juntamente com grego-romano, estilo livre de luta (olímpica) e judo. O desporto é superintendido pela Federação Internacional de Sambo Amador (FIAS).
A palavra Sambo é um acrónimo em russo \"SAMozashchita Bez Oruzhiya\", que significa autodefesa sem armas. O praticante de Sambo é conhecido por sambista.