Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angola faz a estreia com oitavo lugar no Africano

Rosa Napoleo - 27 de Fevereiro, 2020

Florinda de Carvalho lvaro estreou-se no campeonato africano

Fotografia: DR

Com duas vitórias em quatro jogos, Florinda de Carvalho Álvaro terminou no oitavo lugar da  classificação geral do Campeonato Africano de Esgrima que decorreu no Ghana. A atleta angolana de 14 anos derrotou nas poules as atiradoras do Senegal e da Nigéria e cedeu vantagens às do Egipto e do Togo. As derrotas afastaram-na do quadro de medalhas na prova de estreia.  

Em declarações ao Jornal dos Desportos, o presidente da Federação Angolana de Esgrima, Domingos Pascoal, disse que o resultado não surpreende a direcção. A menina tem grande potencial.

"Angola participou pela primeira vez na competição. A Florinda nunca havia competido com atletas africanos. Foi difícil, mas conseguimos um resultado que nos arvora, felizmente", disse.

Domingos Pascoal justifica que "a Florinda é uma atleta angolana que faz a carreira em Lisboa, a Federação acompanha o  trabalho e tem bom nível competitivo".Apesar de não se obter medalhas, a atleta optou por uma performance elegível, segundo Pascoal.

"A Florinda respondeu positivamente aos princípios de fair-play; soube respeitar o adversário e terminou em grande na categoria. As duas vitórias permitem-lhe competir no torneio pré-olímpico que vai apurar os atletas aos Jogos Olímpicos da Juventude a decorrer em Dakar em 2022", disse.

O presidente de direcção sustenta que Angola "ainda pode ganhar um boleto para representar o continente no próximo mundial em Abril deste anos nos Estados Unidos da América".  

Domingos Pascoal salientou a importância da participação  de Angola na competição, uma vez que está a aprender os passos. 

"A modalidade dá os primeiros passos e o resultado leva-nos a repensar naquilo que tem sido feito em prol da esgrima. É muito difícil fazer esgrima nas condições actuais. Para o Africano, a atleta viajou com a ajuda dos próprios pais e dos nossos patrocinadores. Isso deve mudar. Esperamos que a Federação Internacional cubra o próximo Campeonato Mundial", desejou o dirigente.

Questionado sobre a renovação de mandatos previsto para este ano, o dirigente angolano disse que vai dar continuidade aos programas de acção apresentados aos leitores.

"Vamos reflectir todos esses aspectos no próximo mandato para que a esgrima evolua da forma que desejamos", disse.