Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angola fica no pdio e vai ao Mundial

Silva Cacuti - 29 de Janeiro, 2018

Pupilos de Filipe Cruz superaram os morroquinos no sbado

Fotografia: Jornal dos Desportos

A Selecção Nacional volta a estar entre os representantes continentais, no Campeonato Mundial de andebol sénior masculino. A selecção conquistou o direito de jogar no mundial de 2019, a ser organizado pela Alemanha e Dinamarca, ao derrotar no sábado a similar de Marrocos, no jogo de atribuição do terceiro lugar da 23ª edição do Campeonato Africano que se disputou de 17 a 27 do corrente, em Libreville, Gabão.
A selecção de Angola venceu a de Marrocos por 29-26, com favoráveis 17-13 ao intervalo.
É a segunda qualificação consecutiva com a chancela do treinador Filipe Cruz. O técnico comandou a Selecção Nacional no \"africano\" do Cairo em 2016, em que a selecção nacional obteve o segundo bronze continental.
Jogar em mundiais masculino, era nos últimos tempos um privilégio para o Egipto, Argélia, Tunísia e Marrocos.
A Argélia foi a primeira equipa africana a jogar em mundiais, jogou em 1974, 1982, 1986 e 1990. Em 1993, na Suécia, a África foi representada pelo Egipto e a partir de 1995 o continente passou a ter três representantes.
Na edição de 2005, na prova mundial que se jogou na Tunísia, Angola participou pela primeira vez e  ficou em 20º lugar, de entre 24 selecções. No campeonato africano de 2004 no Egipto, a Selecção Nacional  obteve pela primeira vez o bronze continental.
Em 2007 na Alemanha, fruto do bom desempenho da Tunísia no mundial que acolheu e obteve o quarto lugar, Angola apanhou uma boleia e jogou o mundial, mesmo como a quarta classificada do africano de 2006. Nessa prova, Angola queda-se em 21º lugar. Angola voltou a representar o continente ao conquistar mais um bronze continental, o segundo da sua história, em 2017. Neste mundial disputado em França, a Selecção Nacional fez a pior prestação e ficou em último lugar. Foi comandada por Alexandre Machado.

BRONZE CHEGA
AMANHÃ AO PAÍS

A Selecção Nacional de andebol sénior masculina, medalha de bronze da 23ª edição do Campeonato Africano de andebol sénior masculino, chega amanhã  nas primeiras horas do dia, no voo da Royal Marrocos, proveniente de Casablanca, Marrocos.
Integram a comitiva, o antigo árbitro internacional, Francisco Nascimento, que chefiou a delegação. O médico João Mulima, Filipe Cruz técnico principal, Júlio Caxito (adjunto), João Chiloia (seccionista/estatístico), Agostinho Nazaré (fisioterapeuta) e os atletas Geovani Muachissengue, Cláudio Lopes, Fábio Lopes (guarda-redes),Gabriel Teca, Agnelo Kitongo, Aguinaldo Tati (Pivot), Edivaldo Ferreira, Mário Tati (meia-distância esquerda), Feliciano Couveiro, Adelino Pestana (meia- distância direita), Adilson Maneco, Elias António, Elsimar Santos (pontas- esquerda), Nestor Kinanga e Otiniel Pascoal (ponta - direita).
A selecção nacional jogou a primeira frase inserida no grupo B, ao lado do Egipto, Marrocos, RDC e Nigéria. Na primeira fase, a selecção nacional venceu a Nigéria (29-16), RDC (28-23), Marrocos (32-21) e perdeu com Egipto por 20-25.
Nos quartos-de-final, Angola venceu a Argélia por 29-27 e nas meias-finais perdeu para a Tunísia, por 14-34.

Reconhecimento
Pedro Godinho valoriza apuramento


O presidente da Federação Angolana de Andebol, Pedro Godinho, ao reagir à conquista da medalha de bronze continental, pela Selecção Nacional sénior masculina, desculpou-se aos angolanos pelo facto da selecção falhar a final, mas valorizou o apuramento ao mundial.
Pedro Godinho não falou ao pormenor das insuficiências que a equipa encontrou para participar neste campeonato africano, preferiu falar da \"conjuntura\" e assinalou o espírito de missão do grupo.
\"Na conjuntura actual, era difícil fazer melhor. Fizemos a preparação possível, os rapazes imbuídos de elevado espírito de missão, superaram-se a si mesmos. São os meus heróis! Argélia e Marrocos surgiram para nos tirar do pódio e do mundial.
À sociedade em geral, pedimos que nos desculpem, ainda não foi desta a ambicionada final, vamos representar com dignidade os 23 milhões de angolanos e a nossa Bandeira Nacional  vai estar exposta durante os 21 dias de Mundial, na Alemanha e Dinamarca, em 2019\", disse.    S.C

Reações
Banho de felicitações

A conquista da medalha de bronze pela Selecção Nacional de andebol sénior masculina  foi saudada pela ministra da Juventude e Desportos, Ana Paula Sacramento Neto que através  de uma nota chegada à nossa redacção, destacou o espírito guerreiro e patriótico demonstrado pelo sete nacional, durante os dias de competição.
\"Sentimo-nos regozijados com a vitória e pelo facto de estarmos no pódio da mais alta roda do andebol masculino continental. Aos briosos atletas, à equipa técnica e à Federação Angolana de Andebol desejo as minhas sinceras felicitações. Bem haja o andebol nacional, na semana em que se assinala mais um aniversário do desporto nacional. Viva Angola!\", escreveu a antiga andebolista que é a actual ministra da Juventude e Desportos.  Entre as felicitações endereçadas ao sete nacional,  de realçar também as palavras de Simão Cassule Filho, presidente da Associação Provincial de Andebol de Luanda (Apal).  Simão filho começou por notar que os integrantes da comitiva angolana, à excepção de Edivaldo Ferreira \"Moreno\", actuam em clubes da capital, sob jurisdição da Apal, acrescentou também um apelo à sociedade angolana, para \"ver com outros olhos\" o andebol masculino angolano.
\"A Apal congratula-se com a manutenção do terceiro lugar continental e felicita a selecção nacional sénior masculina pelo grandioso feito. Aproveitamos a ocasião para apelar  às instituições públicas e privadas, a juntarem-se  aos esforços dos andebolistas para que possamos dar o passo que falta para jogarmos finais e talvez, sermos campeões.