Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angola ocupa último lugar

Àlvaro Alexandre - 02 de Novembro, 2013

Rui Adriano e pupilos saem felizes da competição apesar da colecção da derrota

Fotografia: M.Machangongo

Angola quedou-se na sexta e última posição da IV edição do Campeonato Africano de Basquetebol em cadeira de roda ao perder ontem, no pavilhão principal da Cidadela Desportiva, diante da selecção da Nigéria, por 48-51, no jogo qualificativo do quinto lugar.

Depois de perderem na fase regular, os angolanos entraram no jogo com objectivo de ajustar as contas. Fruto da pressão e ansiedade, nervosismo tomou conta do conjunto de Rui Adriano. Os primeiros ataques foram efectuados da pior forma, produzindo falhanços consecutivos.

Passados dois minutos, os ânimos baixaram de nível e da mão milagrosa de Manuel Jamba, da selecção nacional, sairam os quatro primeiros pontos.

Os nigerianos, através Peter Ogunyemi, partiram ao ataque e converteram os primeiros pontos. O ponto galvanizou os forasteiros e partiram em cima dos angolanos. Aos nove minutos de jogos, os nigerianos assumiram a liderança do marcador. Lukuman Ibrahim apostou nos lançamentos exteriores e teve sucesso. No fim do primeiro quarto, Angola perdia por 8-10.

No segundo quarto, Angola reagiu e voltou a tomar a liderança do placard. A equipa de Adoki Oberenien reagiu e empatou aos 12 pontos, o primeiro da partida, quando decorria cinco minutos.

A voluntariedade dos angolanos saiu da cartola e com espírito de bravura fecharam os nigerianos. Num espaço de um minuto converteu seis pontos contra zero dos adversários. 18-12 era o resultado.

Quando tudo parecia que a selecção manteria galvanizada, a história inverteu. Os nigerianos agigantaram-se e num ápice fizeram uma excelente recuperação. A dois minutos do fim do período, registou-se o segundo empate da partida a 20 pontos.

A Nigéria passou adiante aos 23 minutos e Angola voltou a empatar. Era o terceiro da partida. O equilíbrio dominou o quarto até chegar ao intervalo.

No terceiro quarto, Angola dominou os primeiros tempos, quando converteu oito pontos contra nenhum da Nigéria. Tudo apontava para caminhada da vitória. Os nigerianos tiraram a última força e viraram a seu favor no final do período: 36-38.

No último quarto, os nigerianos entraram decididos a errar menos e montaram um sistema defensivo que impediu a produtividade dos angolanos. No final a sorte foi madrasta para os angolanos: 48-51. 


FICHA TÉCNICA

Pavilhão:
Cidadela Desportiva
Assistência:150 espectadores
Árbitros: Mustafa Wael (Egipto), Rabah Halimi, (Argélia) e Karim Boudra (Argélia)
 
ANGOLA (48): António Martins (4), Adilson João (0), António Pedro (0.),  Kananito Alexandre (2), Alberto Dembe (2), Alcino Panzo (4), Celestino Nguimbi (10), Américo Chicomo (0 ),  António Manuel (0), Manuel Jamba (20),  Alberto Gaspar (4) e Eduardo Sampaio (2)
Treinador: Raul Adriano

NIGÉRIA (51):  Musbahu Shittu (7), Oluwaseun Akinde (0), Olatunji  Lawal (0), Lukuman Ibrahim (25), Audu Mohamed (0),  Hammed Ougunbona (1),  Richard Okigbazi (2),  Emmanuel Adteayo  (15), Segun  Bailey (0), Peter Ogunyemi (1), Lucky Okungbowa (0), Saheed Adebayo (0).
Treinador: Oberenien  T. Adoki

Marcha do marcador:
8-10, 22-22, 36-38 e 48-51


FINAL
Argélia carimba passe


A selecção da  Argélia carimbou ontem o passe para a final do Campeonato Africano em cadeiras de rodas, ao vencer, no pavilhão principal da Cidadela Desportiva, a formação do Marrocos por 63-50 em jogo das meias-finais.

A equipa argelina entrou determinada no jogo, mas não teve sucesso no primeiro ataque. Uma perda de bola custou-lhe dois pontos a favor dos adversários. O equilíbrio prometia um duelo rijo até ao final. A supremacia argelina veio ao de cima e começou a distanciar-se no resultado. 13-9 era o resultado a meio do primeiro quarto.

Face à pressão psicológica, os marroquinos acusaram desacertos nos lançamentos, apesar de ganharem muitos ressaltos ofensivos. No final do quarto, os areglinos já vencia por 23-11. O destaque nesse período vai no base Guedoun Nadir, com 14 pontos, e o extremo Ayache Billel a dar grande contribuição.

No segundo quarto, a Argélia entrou mais precavida na defesa e pressionou com intensidade no jogo exterior. Os bloqueios dos marroquinos e pressão sobre homem com bola não surtiram efeitos positivos. O equilíbrio voltou a quadra e houve um hiato forte na pontuação. A Argélia terminou o quarto com um pecúlio de 35-18.

Após o intervalo, Marrocos despertou, bloqueou o adversário, ganhou ressaltos e acertou nos lances livres, reduzindo a desvantagem em 36-22. A boa safra de Marrocos não durou muito tempo. Os argelinos ergueram-se e com determinação na finalização ofuscaram os adversários, que não teve estratégia para se livrar da forte pressão. No placard, o resultado era de 50-36.

No último quarto, as principais unidades de Marrocos voltaram a tirar rendimentos da desatenção dos argelinos e reduziram o marcador em 58-46. O técnico argelino altera o sistema táctico e volta a beneficiar dos falhanços dos atacantes marroquinos. A cada ataque uma safra e no final, os argelinos venceram em 63-50. ROSA NAPOLEÃO


FICHA TÉCNICA


Pavilhão Principal da Cidadela Desportiva, jogo da meia-final da IV edição do Afrobasket em cadeira de rodas entre as selecções da Argélia e Egipto, sob arbitragem do trio Rabah, Simão e Net.

ARGÉLIA
(63)- Zadi Omar (2), Bekhedda Fatah (0), Rezoune Walid (0), Daoudi Samir (4), Baulafa Zouhir (0), Guedoun Nabi (11), Ait Ahamed Allal (0), Badache Lakkhadar (5), Ladjadjat Samir (4), Gharbouudj Abenou (0), Mokhfi Ahmed (0), Ayache Billet (9).
Treinador: Tofik Madour

MARROCOS (50): Challat Zouhair (0), Oulini Mohamed (4), Ighoud Anouar (0), Essahiri Najib (0), Fathi Mohamed (0), El Ghazzioui Mokhtar (0), Gani Abdelilh (0), Bakhtali Mohammed (0), El Hamyani Samir (4), Maataoui Rida (4), Akrin Mehdi (0), El Hadaoui Abdelhak (6).
Treinador: Steven Caine
 
Marcha do marcador:
23-11; 35-18; 58-46 e 63-50


CONSTATAÇÃO
Fair Play
domina a prova


O Campeonato Africano de Basquetebol em cadeira de rodas encerra hoje na Cidadela Desportiva e disputa-se sob o signo de “fair play”, segundo a Secretária de Estado da Família e Promoção da Mulher, Ana Paula Sacramento.

A governante disse que independentemente dos resultados desportivos é necessário que se continue a sensibilizar as pessoas com necessidades especiais para a adesão ao desporto. Ana Paula Sacramento afirmou que falta às famílias informação sobre as oportunidades e igualdade de direitos. “O desporto é uma boa maneira de fazer diplomacia e partilha de experiência”, frisou a governante para quem o Governo de Angola está presente na organização do evento continental desde o primeiro momento.

Ana Paula Sacramento disse que a organização do campeonato (após a desistência do Egipto) significa que Angola é um povo acolhedor que sabe assumir as suas responsabilidades.

“Temos uma paz que nos permite organizar vários eventos e o desporto une os povos e encurta as distâncias”, frisou.


DECLARAÇÕES

STEVEN CAINE
Técnico de Marrocos


“Vamos lutar por bronze”
O seleccionador de Marrocos, Steven Caire,  lamentou o facto da sua equipa não ter conseguido vencer a Argélia. “Fizemos tudo, mas infelizmente não conseguimos. O nosso objectivo era o primeiro lugar ou o segundo; vamos lutar agora para o terceiro e temos uma equipa jovem que acredita na vitória”, reconheceu.


MADOUR TOFK
Técnico da Argélia


“Acredito no título”

O seleccionador da Argélia, Madour Tofik, afirmou que a vitória contra o Marrocos foi sofrida, mas os objectivos foram alcançados.

“Estivemos como sempre muito bem; colocámos a  funcionar as nossas técnicas e mais uma vez conseguimos a vitória. Espero vencer o jogo da final amanhã (hoje) e levar a Taça”, prometeu.