Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angola perde com Argélia

Hélder Jeremias - 28 de Outubro, 2013

Angolanos voltam a perder na Cidadela Desportiva e a repetição do quarto lugar do campeonato anterior está cada vez mais distante

Fotografia: M. Machangomgo

A Selecção Nacional de Basquetebol deu mostras de ascendência competitiva, apesar de consentir ontem, à noite, no pavilhão principal da Cidadela, diante da Argélia, a sua segunda derrota consecutiva, desta feita por 70-39, na partida que encerrou a segunda jornada da IV edição do Africano em cadeiras de rodas, com palco em Luanda até 2 de Novembro.

No primeiro período, a Selecção Nacional parecia determinada em conseguir o primeiro resultado favorável, ao inaugurar o marcador. A intenção foi travada pelo desempenho dos argelinos que, desde cedo se agigantaram tecnicamente. Os angolanos apresentaram dificuldades nos mais variados domínios, o que se agravou com as tentativas mal sucedidas de lançamentos exteriores. Face à displicência dos anfitriões, a selecção adversária aumentou o pecúlio no marcador por 14 pontos de diferença (20-06).

A situação pouco se alterou no período seguinte, muito embora se tenha notado maior atitude dos atletas nacionais ao primarem pelo jogo colectivo, em detrimento das acções individuais. Todavia, era ainda evidente o desprimor táctico, face a um plantel que interpretou com certa propriedade as orientações da equipa técnica e tirou partido da eficácia nos lançamentos debaixo do cesto para elevar a produtividade para 29 pontos favoráveis contra apenas cinco de Angola. No intervalo, Angola perdia por 11- 39.

No decorrer do terceiro quarto, a Selecção Nacional subiu de rendimento e o factor inibidor pareceu ser superado de forma paulatina. Os angolanos mostraram-se mais ousados na zona de rigor defensivo contrário, a par da ligeira melhoria na concretização de pontos. Porém, a distância obtida pelos argelinos nos dois primeiros tempos foi decisiva para que a larga vantagem se mantivesse no placard. No final do terceiro quarto registou-se 29-56 favoráveis aos argelinos e no final da partida 40-70.

ANGOLAX EGIPTO

A Selecção Nacional de Basquetebol em cadeira de rodas volta a ter um teste difícil hoje, a partir das 18h30, quando entrar para a quadra do pavilhão da Cidadela Desportiva à procura da primeira vitória no Afrobasket que o país acolhe de 26 do presente a 2 de Novembro. O adversário da terceira jornada chama-se Egipto. Os Faraós, que na III edição da competição, realizada em 2011 no Reino do Marrocos, arrebataram a medalha de bronze, têm os seus objectivos bem vincados na prova, o que passa pela melhoria da classificação.

Depois de ter iniciado a campanha com derrota frente a África do Sul, campeã em título, e ter vencido ontem o Marrocos por nove pontos (59-50), aposta todas as cartas no confronto com a equipa anfitriã. Apesar do favoritismo do Egipto, equipa cujo país não albergou a presente prova devido a instabilidade política, Angola tem uma palavra a dizer: os pupilos de Raúl Adriano procuram dignificar o país com uma partida equilibrada.

ENTRE ÁRABES
Egipto conquista primeiros pontos


A selecção do Egipto conseguiu ontem, no pavilhão da Cidade Desportiva, somar a primeira vitória ao derrotar o Marrocos por 59-50, na segunda partida da II jornada do IV edição do Campeonato Africano de Basquetebol em cadeira de rodas. As equipas entraram para o confronto retraídas e nenhuma dava sinal de assumir o curso do jogo. Para corrigir uma infracção cometida pelo atleta marroquino Mohamed Oulini, a equipa de arbitragem castigou com dois lances livres. O Egipto, através de Touba Issa, desperdiçou a oportunidade de somar os dois primeiros pontos.

O desejo de vencer era grande e depois de algumas jogadas de insistências, Mahoud Sabry fez funcionar o placard com um triplo, dando os três pontos aos egípcios. No ataque, o marroquino Zouhair Challat reduziu a um ponto. Insatisfeitos com a actuação dos adversários, os atletas da selecção do Egipto aumentaram o desempenho com lançamentos eficientes. Na quadra assistia-se a um grupo de “faraós” gigantes. A diferença no placard aumentou num ápice.

Do lado dos marroquinos, era visível o espírito de luta e o sacrifício para encurtar a diferença. Aos oito minutos, do primeiro quarto, Marrocos perdia por 7-13. Os seis pontos de diferença foram superados em dois minutos, quando os egípcios “esqueceram-se” da linha restritiva dos adversários. O bloqueio marroquino surtiu efeito e paralisou o placard. Ao curto intervalo, as duas equipas estavam empatadas a 13 pontos. De regresso à quadra, Marrocos aproveitou parte do ritmo do primeiro quarto para adiantar-se na partida. A proeza coube a Mokktar El Gazzioui e El Hadaoui que elevaram para 16 pontos contra 13 do opositor.

Os pupilos do Ibrhaim Younis, seleccionador do Egipto, partiram atrás do prejuízo e conseguiram aproximar-se. A diferença ficou mínima: 19-20, a meio do quarto. Num lance de contra-ataque, o Egipto passou para a frente (21-20), com a finalização perfeita de Mhmoud Khaled. O técnico marroquino Steven Caine pediu  um desconto de tempo nos últimos três minutos para redefinir a estratégia. No reatamento da partida, o grupo entrou com boa disposição e fizeram a reviravolta do resultado, chegando ao intervalo com uma vitória de 34-26.

O terceiro quarto foi o mais disputado da partida. Os conjuntos apostaram nos bloqueios defensivos para dificultar os ataques dos adversários. O Egipto conseguiu suportar a pressão do jogo e com serenidade geriu os oito pontos de diferença, terminando o período em 44 contra 41. No último quarto, o Egipto abrandou as acções tácticas do adversário criando desespero ao Marrocos. Os faraós conseguiram amealhar quinze pontos contra 9 dos marroquinos.
ÁLVARO ALEXANDRE 

DECLARAÇÕES
STEVEN CAIRE
Técnico de Marrocos

“Perdemos a auto confiança”


O técnico dos Marrocos, Steven Caine, entristecido pela segunda derrota consecutiva, desta vez diante do Egipto, por 50-59, avançou que vão tentar obter a vitória no próximo jogo diante da Nigéria para reconstituir a confiança. “A equipa perdeu a auto-estima, pois nos momentos críticos”, disse

IBRHAIM YOUNIS
Técnico egípcio

“Fomos Superiores”


O seleccionador egípcio Ibrhaim Younis satisfeito com a vitória diante da selecção dos Marrocos disse que foram superiores ao longo da partida.
“Conheço bem o meu adversário e somos da mesma região; a vitória não estava em causa, pois com dificuldades ou sem elas o triunfo não iria escapar”, disse. O desaire diante da África do Sul na primeira jornada do Campeonato Africano, por 44-63, já foi esquecido.  “A derrota contra a África do Sul faz parte do passado e os sul-africanos são melhores que nós.

FICHA TÉCNICA
Pavilhão:
Cidadela Desportiva
Assistência: 200 espectadores
Árbitros: Charles Foster (África do Sul),  Gomm (África do Sul) e Boudra (Argélia).
EGIPTO (59) : Touba Issa (0), Mahoud Sabry (8), Mohamed Farg (6), Samy  El Sabaawy (6), Hassan Mohamed (7), Ashsaraf Abou Zied (7),  Mhmoud Khaled (11), Wallied Aly (5) Mhmoud Mahomed (0), Ahmed Fathy (5), Mohamed  Hassanein  (0), Ashraf ZAghilol (4)
Técnico: Ibrhaim Younis

MARROCOS (50): Zouhair Challat (2), Mohamed Oulini (6), Anouar Ighoud (2), Najib Issahiri (2), Mohamed Fathi (0), Mohtar El Gazzioui (0), Abdelilah Gani (7), Mohamed Bakatali (0), Samir El Hamyani (18), Reda Maataoui (0), Mehdir Akrim(6) e El Hadaoui (7).
Técnico: Steven Caine

Marcha do marcador:
13-13; 34-26; 44-41 e  59-50

FICHA TÉCNICA
Cidadela Desportiva, partida da segunda jornada da quarta edição do Afrobasket em cadeira de rodas entre Angola e a Argélia, sob a arbitragem do trio Youssef, Babatunde e Mustafa, as equipas alinharam:

ANGOLA – Martins Afonso (2), João Adilson (4), Pedro António (0), Kananito Alexandre (3), Dembe Alberto (0), Panzo Alcino (0), Ngumbi Celestino (1), Chicomo Américo (7), Manuel António (2), Jamba Manuel (18), Gaspar Alberto (2), Sampaio Eduardo (1).
Treinador: Raul Adriano

ARGÉLIA – Zidi Omar (9), Berkhedd Fatah (1), Rezoune Walid (0), Daoudi Samir (2), Boulafa Zouhir (24), Guedoume Nabil (0), Ait Ahamed Allal (3) Badache Lakhdar (2), Ladajdja T Samir (14), Gharboudj Abdenol (0 ), Mokhfi Ahmed (0), Ayache Billel (15)
Técnico: Toufik Meddour

DECLARAÇÕES
MADOUR TOFIK
Técnico da Argélia

“Encontramos facilidades”

O técnico da Argélia, Madour Tofik, afirmou que a sua equipa está a cumprir com os objectivos traçados. “Estamos a caminhar bem, conseguimos duas e no jogo de hoje encontrámos facilidades que nos permitiu vencer”, disse.

RAUL ADRIANO
Técnico de Angola
Baixa altura ditou derrota


O técnico da Selecção Nacional, Raul Adriano, disse que a equipa poderia ter feito mais. Raul Adriano apontou a baixa altura como a causa da derrota. “Este facto permitiu ao adversário penetrar com maior facilidade e pontuar”, lamentou.