Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angola procura medalha de ouro

Pedro Futa - 12 de Agosto, 2019

Fotografia: Jornal dos Desportos

A Selecção Nacional procura conquistar a medalha de ouro na prova de meia-maratona, que encerra hoje, a disciplina de atletismo inserido na 10ª edição dos Jogos da Sarpcco, a partir das 9h00, prova a disputar-se num percurso de 21 quilómetros, com partida defronte ao edifício D12 da Centralidade do Kilamba e com chegada defronte ao Instituto Nacional de Educação Física (INEF).
Em declarações ao Jornal dos Desportos, o seleccionador angolano, Augusto Seco, revelou estarem as condições preparadas, para atingirem o objectivo preconizado.
\"Temos condições de efectuar uma excelente prova, a Polícia Nacional dispôs de todos os recursos para que não falte nada aos atletas e o nosso objectivo é conquistar a medalha de ouro\",revelou.
Segundo Augusto Seco, estão inscritas para essa competição 56 atletas, sendo 35 masculino e 21 feminino.
Ontem, as oito selecções que participam na prova, mormente, Angola, África do Sul, Botswana, e-swatini, Namíbia, Moçambique, Zimbabwe e Zâmbia, fizeram o reconhecimento do percurso.

ZIMBABWE QUER
CONSOLIDAR VANTAGEM

A selecção do Zimbabwe pretende hoje consolidar a vantagem no quadro geral de medalhas, na meia-maratona.
Em entrevista à nossa reportagem, o fundista Ncube Nonizdzashe, do Zimbabwe, mostrou-se confiante em atingir o objectivo pretendido pela sua equipa.
\"Estamos muito próximos de alcançar o objectivo, porque nesse momento estamos em vantagem com 47 medalhas, mas o nosso principal adversário é a Namíbia, que vem a seguir com 32 e vai ser muito difícil eles atingirem a nossa marca\",disse.
O fundista namibiano Matheus Kadhungula, medalha de ouro na prova de corta mato, pretende repetir a proeza na meia-maratona.
\"O meu objectivo é vencer mas sei que não será uma tarefa fácil, porque as outras selecções são fortes e correm por equipa, mas tudo farei para levar o ouro ao meu país\",disse.
O Zimbabwe lidera o quadro geral de medalhas com 47 medalhas, sendo 14 de ouro, 17 de prata e 16 de bronze, a Namíbia vem a seguir com 32, sendo 14 de ouro, 12 de prata e seis de bronze, Angola ocupa a terceira posição com 20, cinco de ouro, cinco de prata e 10 de bronze.