Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angola supera a Namíbia em Luanda

09 de Junho, 2014

Combates estiveram inseridos nas comemorações do aniversário do Ministério do Interior

Fotografia: Nuno Flash

A selecção angolana de boxe dominou sábado o Top Internacional da modalidade, ao derrotar a sua congénere namibiana por 18 pontos a seis, no pavilhão 28 de Fevereiro, em Luanda.Dos oito combates realizados nas categorias de 52 a 81 Kgs, os anfitriões apenas perderam um, que opôs Francisco Gomes a  Michel Benhara (60), em que o pugilista angolano foi incapaz de contrariar os propósitos do visitante.Nas demais pelejas, para além do triunfo de Raimundo Vidal, por abandono no segundo ronde de Ebenestus Kahangundue, nos 75, proezas para Miguel Kembo (52), Kilombo Massala (56), Manuel Victor André (60), Carlos Zinga (64), Nsingui Lando (69) e Morais Quarta (81) sobre Jafet Amukua, Mathew Kasolo, Nathanael Kakololo, Abel Mikasius e Paulinus Ndjolonimu.

A anteceder os combates dos masculinos, estiveram as senhoras no ringue. Rosa Quitade (56), Paula do Nascimento (60) e Juliana dos Santos (64), todas do Interclube, venceram Marta Sebastião, Luzolo Cristina e Belinha da Silva, afectas ao Team Áfricagolf-2.   O Top Internacional também está inserido nas actividades do 35º aniversário do Ministério do Interior, que se assinala a 22 de Junho, cuja equipa domina o boxe angolano, e faz parte da preparação da selecção nacional, para o Campeonato Africano, a realizar-se de 14 a 21 deste mês, na cidade sul-africana do Cabo.As federações de Angola e Namíbia possuem acordo de cooperação, que permite o intercâmbio entre equipas dos dois países da região austral do continente, que vão estar  no Africano do Cabo.

 No final, o presidente da Federação Angolana de Boxe (Faboxe), Carlos Luís, expressou satisfação pelo resultado dos pugilistas nacionais e pelo intercâmbio mantido com os namibianos.“Estamos bastante satisfeitos pela presença dos nossos irmãos namibianos, que nos permitiram conviver e testar os nossos pugilistas”. Vamos continuar a cooperar para o bem dos nossos países”, disse, lamentado a ausência de Cabo Verde, por razões internas e justificáveis.Aos consagrados, em ambos os sexos, foram entregues medalhas, em cerimónia assistida, entre outras personalidades, pelo presidente do Interclube, Alves Simões, bem como o responsável pela alta competição do Ministério da Juventude e Desportos, Moisés Graneira.