Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angolano no CISM augura mais benefcios do pas

30 de Novembro, 2016

O chefe da delegação angolana ao gabinete da região leste/sul de África do Conselho Internacional do Desporto Militar (CISM-ESALO), Joselino Bento, defendeu ontem, em Luanda, a necessidade do melhoramento da organização interna, para que o país possa beneficiar das potencialidades da instituição.

Ao falar à margem da cerimónia de abertura da 33ª Assembleia Geral Regional do órgão, que decorre de 29 de Novembro a 3 de Dezembro próximo, na capital do país, o tenente-coronel afirmou à Angop que as acções organizativas devem passar pela implementação das resoluções do primeiro simpósio sobre o desporto militar angolano, realizado em 2015.            
  
“No simpósio recolhemos importantes contribuições de entidades nacionais e estrangeiras sobre a organização do desporto militar, que temos de materializar. Existem enormes benefícios em ser membro do CISM e devemos aproveitar a ocasião em que um angolano está como membro do comité de directores da instituição mundial, no caso o coronel Nelson Lopes Kataxo. Por isso, só uma melhor organização permite colher importantes benefícios competitivos e outros, para o nosso país”, disse

Acrescentou nunca ser demais lembrar que Angola é membro efectivo e activo do CISM e consequentemente do seu apêndice regional, designado Gabinete de Ligação D\'África Leste/Sul (CISM-ESALO), há 25 anos, que deverão ser aproveitados no desenvolvimento do desporto nacional.      
A possibilidade de Angola organizar em 2018 a 73ª Assembleia geral e Congresso do CISM-Mundial, ao invés de 2022, por desistência do Gabão, o aproveitamento da experiência e influências do angolano Nelson Kataxo, condecorado com a medalha de oficial da instituição, a passagem da presidência do gabinete regional da Namíbia, para Angola, entre outros, também mereceram referências por parte do dirigente.

Angola, com esta assembleia regional, perfaz a quarta realização. Em 2000 organizou uma reunião do Comité Executivo do CISM Mundial. E em 2012, a reunião da organização do desporto militar em África (OSMA), também designada de CISM-África

Quanto ao fórum, foi aberto hoje pelo secretário de Estado da Defesa para recursos materiais, o General Salviano Cerqueira “Kianda”, em representação do ministro da Defesa Nacional, João Lourenço.

O país, que vai assumir a presidência do CISM-ESALO, em substituição da Namíbia, nos próximos quatro anos, também poderá a partir de 2020 albergar a sede permanente do gabinete da região leste/sul de África, sob proposta dos países membros. Durante este evento regional, Angola vai receber da Namíbia o testemunho da sede e presidência rotativa da organização.

O encontro conta com a presença da África do Sul, Botswana, Lesotho, Malawi, Namíbia (presidente cessante), Swazilândia, Tanzânia, Zâmbia e Zimbabwe. Madagáscar é um membro inactivo por não ter as suas contas actualizadas, enquanto Moçambique é observador.

Esta será a quarta vez que o país acolhe a conferência depois de 1991, 2004 e 2013. Angola aderiu o Conselho Internacional do Desporto Militar (CISM-ESALO), em 1991, em Arusha (Tanzânia), após a extinção do Comité Desportivo do Exército dos países do bloco socialistas (SKDA).

O CISM é uma das maiores organizações multidisciplinares do mundo, responsável por organizar vários eventos desportivos para as forças armadas. Integra 134 países e foi criado a 18 de Fevereiro de 1948 por cinco países (Bélgica, Dinamarca, França, Holanda e Luxemburgo).

Jogos mundiais militares de verão e de inverno, campeonatos mundiais militares, troféu mundial militar de futebol e os jogos mundiais militares de cadetes, entre outras, fazem parte das competições.