Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angolanos regressam alegres

Silva Cacuti, Rio de Janeiro - 20 de Agosto, 2016

Angolanos começam a regressar ao país após presença no maior evento desportivo do ano

Fotografia: Kindala Manuel

Parte da Missão Angolana nos jogos olímpicos do Rio de Janeiro deixa a cidade amanhã, domingo, dia marcado para a cerimónia de encerramento. A partida para o aeroporto do Galeão, -Tom Jobim deve acontecer antes da cerimónia de encerramento da olimpíada.

A guarda-redes Cristina Branco será a porta bandeira da missão angolana na cerimónia de encerramento. Luisa Kiala, que tinha sido porta bandeira da abertura, segundo apuramos, embarca para Luanda no primeiro grupo que terá 22 pessoas. Os restantes integrantes regressam no dia 25 de Agosto.

Assim como a festa de abertura, a cerimónia de encerramento dos Jogos Olímpicos também será dirigida por Fernando Meirelles, Daniela Thomas e Andrucha Waddginton e vai repetir o espírito ecológico da festa que marcou o início do evento.

A Serra da Capivara, no Piauí, será homenageada, com referências a pinturas rupestres e às rendeiras da região. Cerca de 12 mil voluntários vão participar da festa.

O presidente interino Michel Temer já afirmou que não vai estar presente no evento e será substituído por Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados.

A cerimónia de encerramento, segundo apuramos, terá ingressos a rondar os 400 e 800 dólares, em moeda local, dependendo da categoria escolhida, e estão à venda no site oficial do evento. Os ingressos mais baratos de Cerca de USD 50 a 300 já estão esgotados.

NO AEROPORTO
Além do show de encerramento os angolanos não vão assistir o programa da empresa que gere o aeroporto Galeão Tom Jobim que agendou para o dia  22 de Agosto a realização de shows de samba e bossa-nova para os cerca de 85 mil passageiros esperados naquele dia.

Os shows serão em pleno aeroporto e visa a despedida dos turistas que vieram para a Rio-2016.

A agenda prevê, à tarde, apresentações de 30 ritmistas da Mangueira e, à noite, show de bossa-nova da família Jobim, com Paulo e Daniel, filho e neto do mestre, acompanhados de Paulo Braga, Rodrigo Villa e Jaques Morelenbaum.

Neste dia, 22, a operação do aeroporto Galeão registará um recorde de voos charter (aqueles que não têm voos regulares no aeroporto), Serão 46 aviões de companhias aéreas internacionais que pousarão no aeroporto carioca.

No campeonato mundial de futebol, em 2014, por exemplo, o maior registo desses voos foi de menos de 10 aviões em um único dia.


UNIÃO AFRICANA
Próximos Jogos da Zona V abordados no Rio


A preparação dos próximos Jogos Desportivos da Região V da União Africana, marcados para Luanda, de 09 a 19 de Dezembro, foi tema de conversa no Rio de Janeiro, entre membros da respectiva zona desportiva continental, à margem dos Jogos olímpicos que encerram domingo.

A informação foi prestada pelo secretário-geral do Comité Olímpico Angolano (COA), António Monteiro “Bambino”, momentos antes de regressar ao país, mas não avançou pormenores, pelo facto de a instituição que representa não estar envolvida na organização do evento pluridesportivo destinado a menores de 17 anos, excepto para o desporto adaptado.

 “Somos alheios à realização destes Jogos, pois não estamos inseridos na sua organização. Por isso, vamos apresentar as preocupações às autoridades”, disse o SG, para justificando assim não poder dar pormenores das reuniões mantidas com delegações os países envolvidos.

Os Jogos da SADC serão disputados nas modalidades de futebol, basquetebol, atletismo, ténis, boxe, natação, netball e desporto adaptado, na cidade de Luanda.


DECATLO
Eaton revalida título


O norte-americano Ashton Eaton, recordista e bicampeão do mundo, revalidou na quinta-feira o título olímpico de decatlo no Rio2016, contabilizando um total de 8.893 pontos, igualando o recorde olímpico do checo Roman Sebrle, obtido em Atenas2004.

Após as 10 provas, Eaton, que não é derrotado desde os Mundiais de 2011, conquistou mais 59 pontos do que o francês Kevin Mayer (8.834), segundo classificado, enquanto o canadiano Damian Warner, vice-campeão do mundo, assegurou a medalha de bronze, com 8.666.

O cubano Leonel Suarez, medalha de bronze em Londres2012, não foi além do sexto lugar, com 8.460.


BASQUETEBOL
Estados Unidos e Espanha
disputam a final feminina


Os Estados Unidos e a surpreendente Espanha vão disputar hoje o título olímpico de basquetebol feminino, na final dos Jogos Rio2016, em que as norte-americanas visam a sexta medalha de ouro consecutiva.

Com sete títulos em 10 torneios olímpicos, os Estados Unidos terão pela frente um adversário que foi semifinalista pela primeira vez.

Na fase de grupos, quando se defrontaram, as americanas, que somam 47 triunfos consecutivos em desafios dos Jogos Olímpicos, venceram por uma diferença de 40 pontos (103-63).

Com uma defesa forte, a Espanha foi a primeira finalista após bater a campeã europeia Sérvia, por 68-54, num jogo em que liderou todos os parciais (20-9, 33-28 e 53-38).

A França ainda resistiu até ao intervalo, cedendo por 40-36, mas os quatro pontos de diferença para os Estados Unidos passaram a 21 com o terceiro parcial de 25-8 (65-44). A partir daí, as favoritas geriram serenamente para fechar em 86-67.


COI
Isinbayeva foi eleita
para Comissão de Atletas


Yelena Isinbayeva, de 34 anos, foi impedida de lutar pela revalidação do seu título na sequência da exclusão da Rússia pela Associação das Federações Internacionais de Atletismo (IAAF), após o escândalo de doping patrocinado pelas autoridades de Moscovo – apesar de a atleta nunca ter sido especificamente implicada.

Em declarações à imprensa russa, a atleta não escondeu a sua frustração por não ter podido participar nos Jogos Olímpicos.

“Nunca poderei concordar com o facto de me terem banido, nunca o poderei perdoar”, disse. Isinbayeva foi eleita  pelos seus pares (um universo de 5.185 atletas) para um mandato de oito anos, juntamente com a alemã Britta Heidemann (esgrima), o sul-coreano Ryu Sueg-min (ténis de mesa) e o húngaro Daniel Gyurta (natação).

O presidente do COI, Thomas Bach, manifestou entretanto a sua expectativa de trabalhar com Isinbayeva e com os três outros novos membros.
“Os atletas estão no coração dos Jogos Olímpicos. A sua voz é muito importante para o COI”, disse.

Entretanto, a agência EFE noticiou que Isinbayeva deveria anunciar ao longo do dia de ontem no Rio de Janeiro o final da sua carreira.


REN QUIAN
Chinesa de 15 anos
é a medalhista mais jovem


A chinesa Ren Quian, que conquistou quinta-feira o ouro da prova da plataforma de 10 metros dos saltos ornamentais, tornou-se aos 15 anos e 180 dias a mais jovem medalhista até o momento dos Jogos Olímpicos Rio-2016.

Nascida a 20 de Fevereiro de 2001, Ren supera a japonesa Mima Ito, que na terça-feira passada conquistou, aos 15 anos e 300 dias, a medalha de bronze na disputa por equipas do ténis de mesa.

Ren Qian totalizou 439,25 pontos, a também chinesa Si Yajie (prata) 419,40 e a canadense Meaghan Benfeito (bronze) 389,20. A China venceu esta prova olímpica em sete dos últimos oito Jogos.

Ren também tornou-se a segunda atleta mais jovem da história a vencer a final da plataforma de 10 m, atrás apenas do seu compatriota Fu Mingxia, que em Barcelona-1992 conquistou o ouro com apenas 13 anos e 346 dias.

A chinesa terá o desafio de defender o título em Tóquio-2020. Fu conseguiu o "bi" olímpico em Atlanta-1996 e venceu quatro vezes a medalha de ouro na prova.

Ao ser questionada como é ser campeã olímpica tão jovem, Res afirmou:  Sinto muito bem. Sou jovem, mas ganhei a medalha. Penso que de agora em diante treinarei  com mais força e poderei concentrar-me no meu futuro".