Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angolanos chegam com bronze

Simão Kibondo - 01 de Março, 2016

Selecção de juniores ocupou a terceira posição no contra-relógio por equipas atrás de Marrocos e da Argélia

Fotografia: Jornal dos Desportos

A delegação angolana participante do XI Campeonato Africano de Ciclismo, que decorreu em Benslimane, arredores de Casablanca, capital de Marrocos, regressou ontem a Luanda, com quatro medalhas de bronze na bagagem, resultante do terceiro lugar da prova de contra-relógio por equipas na categoria de juniores. Chefiada pelo vice-presidente desportivo da Federação Angolana de Ciclismo (FACI), Justiniano Araújo, o grupo foi brindado com um jantar de confraternização, no restaurante "Feninho", nos arredores de Talatona.

No evento realizado de 21 a 26 de Fevereiro, a selecção nacional de juniores contou com a integração de Bruno Araújo (Benfica de Luanda), António Vidal e Márcio José (Hotel Luso de Benguela) e José Rocha (Jair Transporte). O terceiro lugar valeu a Angola a presença no top "ten" do ranking africano.Na classe de elite, o campeão nacional absoluto de Angola, Igor Silva, foi o quinto corredor mais rápido de África e a melhor do país na prova.

A estreia do país de Agostinho Neto no Campeonato Africano agradou os anfitriões, mormente, a Federação Marroquina de Ciclismo. A boa performance da selecção angolana na prova africana levou os anfitriões a convidá-la a permanecer em terras marroquinas para participar da Volta ao Sul de Marrocos, a partir de hoje até o dia 8 do corrente.Face aos compromissos escolares da selecção júnior e profissionais dos seniores, a delegação angolana declinou o convite, apesar da organização assumir todos os gastos de participação. A prova compreende oito etapas de provas em linha, algumas das quais acima de 100 quilómetros, em diferentes cidades. 

ROYAL MARROCOS
FACTURA BAGAGEM

A recusa do convite dos organizadores da Volta ao Sul de Marrocos custou caro aos angolanos. A companhia Air Royal Marrocos, responsável pela transportação da delegação angolana da Casablanca para Luanda encontrou um "truque" na arrumação da bagagem para extorquir dinheiro. A companhia aérea alegou que as bicicletas estavam em formato não apropriado, o que implicava o pagamento de uma taxa avaliado em 1000 dirames (dinheiro local, equivalente a 100 dólares norte-americanos).

A aplicação da taxa criou desentendimento entre a Royal Marrocos e membros directivos da delegação angolana. Por conta do incidente, o voo ficou em terra durante duas horas. Os angolanos justificavam que não cobrados "esses valores" aquando da viagem para Casablanca. Após longa conversação, para não perder o voo, a delegação angolana custeou 50 por cento do valor cobrado para 14 volumes.

COOPERAÇÃO
A  participação de Angola nos Campeonatos Africanos de Ciclismo de Casablanca serviu igualmente para estreitar os laços de cooperação com outros países do continente, com particular realce para o país anfitrião, Marrocos. A formalização do convite para participar do Tour de Marrcos, a decorrer de 1 a 10 de Abril, foi feita no final do "africano".Angola pode participar do evento com uma equipa composta por seis ciclistas e três acompanhantes. A organização do Tour  assume as despesas de alojamento, alimentação e outros apoios inerentes à estada.