Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angolanos do passos para Tquio 2020

Silva Cacuti - 04 de Julho, 2019

Fotografia: DR

Pelo menos três velocistas angolanos estão perto de obter os mínimos para estar presentes nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020, depois dos resultados conseguidos recentemente durante o meeting de Tunis, Tunísia. Os números conseguidos por José Chamoleia e Regina Ndumbo, ambos da classe de T11 (deficiência visual total), os colocam na rota do mundial do Dubai a ser disputado de 1 a 15 de Novembro.
A delegação angolana logrou a conquista de 15 medalhas, sendo cinco de ouro, cinco de prata e outras cinco de bronze.
Nas provas de velocidade, o destaque no sector masculino foi José Chamoleia, que conquistou duas medalhas de ouro nos 200 e 400 metros planos e uma de bronze nos 100. Manuel Jaime, da classe T46 (amputado de membro superior), conquistou três medalhas, sendo uma de prata nos 800 metros e duas de bronze nas provas dos 400 e 1500. Oliveira André (T12/deficiência visual parcial) também arrebatou uma medalha de prata nos 400 metros. Daniel Quintas (F54, sequelas de poliomielite, lesões medulares ou amputados dos membros inferiores) falhou o objectivo no arremesso de pesos (dardo e disco).
No sector feminino, Regina Dumbo (T11), arrebatou medalhas de ouro nos 100 e 200 metros. A velocista lesionou-se durante a disputa da prova dos 400 metros. Emelóide Avelino (T11) conquistou a medalha de ouro nos 400, prata (200) e bronze (100). Rode Fernando, da classe de T12 (deficiência visual parcial), conseguiu duas medalhas: uma de bronze nos 100 metros e prata nos 200.