Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angolanos em quarto no desfile da cerimónia

Melo Clemente - 07 de Setembro, 2016

José Chamoleia constitui a principal esperança do combinado nacional nos jogos

Fotografia: Jornal dos Desportos

Angola vai ser hoje a quarta nação, dos 176 países participantes, a desfilar na cerimónia de abertura dos XV Jogos Paralímpicos, marcado para o Estádio do Maracaná, no Rio de Janeiro, Brasil, a partir das 17h30 minutos locais, 21h30 minutos aqui em Angola.

Caberá ao Afeganistão começar o desfile, seguido da África do Sul, ao passo que a Alemanha surgirá em terceiro lugar, num evento que  vai contar com a presença de mais de 25 mil pessoas.

Sob o tema “Todos têm Coração”, a cerimónia contará com um enorme elenco de dois mil voluntários e 500 profissionais (entre coreógrafos, artistas etc.), distribuídos em dois palcos no relvado do Maracaná, onde ainda desfilarão milhares de atletas de 176 países. A apresentação ficará por conta de Fernanda Lima e do próprio Marcelo Rubens Paiva, além de Tom, o mascote Paralímpico.

“A cerimónia é o maior símbolo da tolerância e do respeito ao outro”, destacou Paiva, autor do célebre livro “Feliz Ano Velho”, em que relata as transformações em sua vida a partir do momento em que se torna paraplégico após um mergulho mal executado numa cachoeira, quando tinha 20 anos.

Esperança Gicasso, da classe T12 (deficiente visual parcial), 24 anos de idade, será a porta bandeira da delegação angolana que participa pela sexta vez consecutiva numa edição dos Jogos Paralímpicos, depois da estreia em 1996, em Atlanta, Estados Unidos da América, seguindo-se as edições de 2000, Sidney, Austrália, 2004, Atenas, Grécia, 2008, Beijing, China, e 2012, Londres, Inglaterra.

Sem José Armando Sayovo, tricampeão paralímpico e mundial dos 100, 200 e 400 metros feitos conseguidos nos Jogos Paralímpicos de Atenas, Grécia, isto em 2004, atleta que de forma unilateral retirou-se da alta competição, a Selecção Nacional tem agora as esperanças depositadas na nova coqueluche do desporto adaptado em Angola, no jovem José Chamoleia, de apenas 19 anos de idade.

Entretanto, quis o destino que a porta bandeira de Angola fosse a primeira atleta angolana a entrar em cena amanhã, quinta-feira, dia 8, na primeira eliminatória dos 100 metros.

Depois de ter ficado em quinto lugar nos 100 metros, dos Jogos Paralímpicos de 2012, competição disputada em Londres, capital da Inglaterra, a velocista angolana vai agora a procura da melhoria do quinto  posto.

No ano passado a velocista angolana arrebatou a medalha de ouro nos 100 metros, no meeting internacional da Tunísia, tendo conquistado ainda a medalha de bronze nos 200 e 400 metros respectivamente.

Em face do seu potencial, Esperança Gicasso vai seguramente se qualificar para a segunda seguinte da aludida competição.
Já o internacional angolano, José Chamoleia, principal referência do Combinado nacional nos XV Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro, começa a competir apenas na sexta-feira, dia 9, dois dias depois da realização da cerimónia de abertura dos jogos.

Angola faz representar no evento, com quatro atletas, sendo dois da classe masculina e igual número em feminino.
Trata-se de José Chamoleia, Octávio dos Santos e Bifila Buyo, todos da classe T11 (deficientes visuais totais), para além da Esperança Gicasso, da classe T12.

Das 23 modalidade que vão fazer parte dos jogos, Angola estará representada apenas no atletismo.