Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angolanos estão de malas aviadas

31 de Outubro, 2014

A ansiedade de chegar ao Rio’2016 é a mola impulsionadora para uma boa participação no Southern African Shooting Championship

Fotografia: Jornal dos Desportos

Uma delegação composta por 15 atiradores vão representar o Angola no campeonato da Zona VI de tiro de 8 a 10 de Novembro, nas cidades de Joanesburgo e  Durban, na África do Sul. O grupo composto por 11 atiradores individuais e quatro outros em representação da selecção nacional viaja na próxima semana.

O vice-presidente da Federação Angolana de Tiro, Paulo Silva, disse que para além dele, a selecção nacional é integrada  por Ricardo Lopes, Jorge Perestrelo e Emerson Gomes.

Para o dirigente, o objectivo é obter medalhas, até porque já obteve a de "ouro", nos Gambos, alcançou o segundo lugar em Windhoek e gostaria de medalhar na África do Sul.

O atirador angolano admitiu que não vai ser tarefa fácil, pois os anfitriões são adversários “muito  fortes", jogam em casa e conhecem bem o campo.

O dirigente, que reside no Lubango, afirmou que o torneio pré-olímpico, que dá qualificação aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016, vai ser disputado no campo de tiro de Gambos, em Novembro de 2015. Portanto, o torneio da África do Sul é uma etapa que vai servir de preparação, segundo Paulo Silva.Para preparar a estada da delegação angolana, o secretário geral da Federação Angolana de Tiro, Adelino Chaves, trabalha naquele país desde o passado dia 26 do corrente. O responsável tratou da creditação dos atletas para o "Southern African Shooting Championship".

O evento desportivo vai juntar a nata dos melhores atletas da região austral. A disputa envolve atiradores da Namíbia, África do Sul, Zimbabwe, Botswana, Moçambique e Zâmbia.

Para Adelino Chaves, o evento permite aos atletas angolanos chegar no "Africano" mais bem esclarecidos do ponto de vista competitivo e a presença no zonal VI é a razão da motivação.

"Conhecer bem o campo, o meio ambiente e todos os aspectos intrínsecos ao torneio da zona  traduz-se na melhoria da performance dos nossos atletas no campeonato africano a decorrer no mesmo local. Portanto, não podemos perder a oportunidade de estar na antecâmara daquilo que vai ser a competição de maior expressão à escala continental", disse.

O responsável federativo informou ainda que a viagem para o zonal VI serve também para suprir a lacuna da não realização do Tornio Internacional da Namíbia. Todos os anos, os atiradores nacionais aproveitam esse evento para ganhar experiência junto de colegas de vários países convidados. Por razões técnicas, o evento foi suspenso no ano em curso.


SELECÇÃO NACIONAL
Cantinton acolhe
treinos amanhã


Os atletas da Selecção Nacional de tiro deslocam-se amanhã e domingo ao fosso olímpico do Regimento de Defesa Anti-aérea, localizado no bairro Cantinton, para a realização de uma sessão de treinos visando a disputa do zonal VI de apuramento para o Campeonato Africano, a decorrer de 7 a 9 de Novembro na cidade de Pretória, África do Sul.

Constituída pelos atiradores Ricardo Lopes, Pigui Chaves, Jorge Perestelo, Paulo Silva e Emerson Gomes, o treino vai estar focado na melhoria dos níveis de precisão com vista a obtenção de presença no pódio do Southern African Shooting Championship.

O grupo vai desembarcar com antecedência na África do Sul para aproveitar o dia de sessão de treinos livres. O objectivo é a adaptação à altitude e ao posicionamento das pranchas no fosso olímpico de Wattlespring Gun Club, local que também vai acolher o Campeonato Africano no início de 2015.

Além dos integrantes da selecção nacional embarcam para a África do Sul os atiradores individuais Francisco Gastão, Paulo Alves, Baptista Borges, Anthony Chaves, Artur Anastácio e Humberto Carvalho, cujo propósito é a participação numa prova paralela ao zonal VI, em que vão estar presentes vários atiradores de prestigiado nível competitivo. 

O secretário-geral da Federação Angolana de Tiro, Adelino Chaves, disse, em declarações ao Jornal dos Desportos, que "a presença no pódio do zonal é um imperativo por parte da selecção, pois Angola projecta o regresso às grades conquistas no panorama internacional, daí que uma preparação auspiciosa deve ser levada a cabo para que o desejo passe para a prática".

Angola esteve presente nos Jogos Olímpicos de Beijing, China, depois de ter obtido a medalha de ouro no Campeonato Africano de Argel, 2007, por intermédio de Paulo Silva.
HELDER JEREMIAS