Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angolanos prontos a nadar para o pódio

06 de Maio, 2015

O palco da competição africana da zona IV mereceu obras de reabilitação para conferir melhor qualidade e acolher maior número de espectadores

Fotografia: Jornal de Desportos

Os olhos da natação africana estão virados para Angola, palco do campeonato do Zonal IV, que se disputa a partir de hoje até o dia nove, na piscina olímpica do Alvalade. Entre atletas e oficias de nove países, mais de 250 participantes animam a competição da zona austral do continente africano, em Luanda.

O desequilíbrio, entre as diferentes selecções participantes, vão arrancar os aplausos dos prosélitos que estiverem nas bancadas. Os zambianos e sul-africanos, conhecidos por papões da zona, vão ter de provar que são as melhores selecções em “território” estranho.

Perante a nata angolana, sedenta de pódio, depois do quarto lugar em Kampala, no ano passado, os sul-africanos e zambianos devem puxar pelos braços. Os jovens capitaneados pelo nadador Pedro Pinotes traçaram como, meta chegar ao pódio da primeira competição que se disputa em Angola.


O desejo de vestir as cores da selecção nacional  traduz um sentimento de angolanidade e  orgulho de celebrar os 40 anos de independência nacional a 11 de Novembro. É com esse valor intrínseco que cada um dos integrantes da selecção nacional entra na piscina olímpica do Alvalade.

No seio da comunidade desportiva angolana, a ansiedade é grande. Pedro Pinotes e Yara Lima são apontados como as principais referências da natação angolana. Nos seus ombros reside a responsabilidade de assegurar a motivação dos restantes membros do grupo.

À conversa com estudantes e desportistas, o pódio foi o tom mais ouvido. Os entrevistados manifestaram desejo de ver Angola no lugar mais alto, para preservar a imagem que identifica a Nação no mundo das nações. Cada um dos integrantes é encorajado a assumir a responsabilidade de “nação” antes de pensar no ego.

Mateus Gabriel, funcionário público, apela ao público a comparecer na piscina olímpica do Alvalade a fim de incentivar os atletas nacionais em busca do pódio.

“Se cada um dos estudantes ou trabalhador público, assim como desportistas com tempo livre, assistir a uma das sessões de cada jornada, os nossos atletas vão sentir-se empolgados para conquistar o pódio.

O incentivo faz bem a quem é direccionado. Os nossos nadadores precisam do empurro”, disse.

Maria Madalena, estudante universitária, chama a atenção da delegação oficial.

“Muitos atletas angolanos fazem estreia numa competição internacional e o acompanhamento psicológico a esse grupo é importante. Aos treinadores e outros membros da equipa técnica cabe-lhes aconselhar e medir os níveis de ansiedade de cada atleta”, teceu.

A competição é disputada pela África do Sul, Moçambique, Botswana, Tanzânia, Quénia, Ilhas Maurícias, Uganda, Zâmbia, Malawi.


OBJECTIVO
Pedro Pinotes ambiciona o pódio do zonal IV


O nadador angolano Pedro Pinotes, a maior referência da selecção nacional no campeonato africano Zonal IV, que se disputa de seis a nove do corrente em Luanda, manifestou-se optimista  numa prestação “honrosa”, mas apela à presença massiva do público para se atingir o pódio.

O capitão do Sporting de Portugal disse, que o combinado angolano está consciente das dificuldades a encontrar, a julgar pela qualidade das demais equipas. Contudo, acredita, que o factor casa, vai ser determinante para a classificação final.

“Contamos com o apoio do público para fazer o factor casa, decisivo. A equipa nacional está ligeiramente melhor em relação ao ano passado. Estamos com um maior número de atletas e isso, favorece pelo facto de nos permitir amealhar mais pontos e catapultar para o pódio”, disse
Manifestou-se profundamente satisfeito por Angola assumir a realização da 13ª edição do Zonal IV, porque faz com que os atletas se esforcem mais, para não defraudar as expectativas do público, valorizar as boas condições (em termos gerais) disponibilizadas e todo o apoio do Executivo para o êxito da selecção nacional.

O tetra-campeão nacional em Portugal (proeza alcançada o mês passado) recordou que em 2014 (no Uganda) venceu as nove provas em que participou e que este ano, o seu objectivo é vencer novamente as oito categorias que vai disputar para ajudar a equipa na pontuação colectiva.“O facto de ser tido como a maior referência actual da natação angolana, eleva a minha responsabilidade, tendo em conta que a minha prestação tem muita influência para o grupo. Aos meus colegas, sobretudo, aos mais novos apelo  ao espírito de entrega, dedicação total e boa disposição anímica”, aconselhou.No Sporting Clube de Portugal desde 2007, Pedro Pinotes afigura-se como a maior referência da natação angolana da actualidade por ser 27 vezes campeão absoluto em Angola (este ano), detentor dos mínimos B para Jogos Olímpicos (200 e 400 metros estilos), assim como detém os recordes nos 200m e 400m, com os tempos e 2min4s23 e 4min24s99.Pedro Pinotes vai competir nas provas dos 200, 400 e 800 metros livres; 50, 100 e 200 metros bruços, 200 metros mariposa e 200 metros estilos.


BOA EXIBIÇÃO
Yara Lima está confiante


A internacional angolana, Yara Lima, uma das pedras fundamentais da selecção nacional de natação, disse que está ciente da responsabilidade ao vestir as cores da selecção nacional no campeonato africano da Zona IV, que se realiza a partir de hoje, até o dia nove do corrente, na piscina olímpica do Alvalade, em Luanda.

A nadadora assume-se preparada para enfrentar qualquer adversária, perante as presenças das sul-africanas e das zambianas, apontadas à priori, como as selecções favoritas à conquista das medalhas de ouro da competição, que se realiza pela primeira vez em Angola.“Vamos mostrar a África e ao mundo que também estamos preparados para subir ao pódio, porque Angola não tem só andebol, basquetebol, tiro aos pratos e canoagem”, realçou.

Yara Lima assegura, que o facto de Angola entrar na competição africana com número maior de atletas, em relação às edições passadas, vai ser vantajoso para o conjunto nacional. Por outro lado, nadar em casa diante da família e do público torna o conjunto mais forte e preparado para enfrentar os adversários.

“Temos bons atletas em diferentes categorias e acredito que são capazes de somar medalhas. É a primeira vez que vamos nadar numa prova deste nível diante do nosso público e isso,  torna-nos fortes tecnica, mental e fisicamente”, disse.

A nadadora Vanelsa Nascimento vai ser a primeira atleta nacional a estrear-se na prova dos 800 metros livres, seguido de Catarina Silva.Na 13ª edição do zonal IV, Angola compete com um total de 41 atletas, dos quais 20 do sexo feminino e 21 masculino.    
ROSA PANZO


SAÚDE
Emergência médica
está em prontidão


Os Serviços de Emergência Médica da 13ª edição do Zonal IV, a decorrer de seis a nove do corrente, na piscina olímpica do Alvalade, em Luanda, tem tudo assegurado para o êxito da competição, de acordo com Lúcia Zacarias, chefe do comissão de saúde do Comité Organizador.

A responsável garantiu, que uma equipa de dois técnicos de saúde, dois médicos, quatro enfermeiros e uma ambulância avançada, estão disponíveis para trabalhar durante 24 horas.

“Estamos a trabalhar desde a preparação da prova e até ao momento, não temos registos de anomalias com o pessoal que acompanhamos quer no local de hospedagem, no Futungo II, e quer  na piscina de Alvalade”, disse a médica Lúcia Zacarias, chefe dos Serviços de Emergência Médica.

Entre os profissionais do sector saúde com responsabilidade de garantir a segurança médica consta o director do Centro de Medicina Desportiva de Angola, o médico João Mulina, antigo meio fundista.
 ROSA PANZO


Meta
Zâmbia espreita o pódio


A selecção da Zâmbia, compete a partir de hoje, no campeonato africano da Zona IV em natação, com olhos no pódio. A delegação desembarcou na noite de segunda-feira, com uma delegação de 37 atletas, com idades compreendidas entre os 12 e os 30 anos de idade.

À conversa com  os membros da federação local e os da Embaixada da Zâmbia em Angola, no hall de chegada do aeroporto internacional 4 de Fevereiro, em Luanda, os responsáveis deixaram escapar o objectivo na competição. O grupo está moralizado e optimista em obter medalhas em todas as categorias.

Com  a missão de “observadores” excepcionais, estão três selecções em representação da Zona III, que competem por ausência de provas na sua região desportiva. Trata-se da Tanzânia, Uganda e Quénia.

O grosso das selecções participantes, desembarcou ontem, em Luanda. A África do Sul, conhecida como uma das melhores selecções de natação do mundo, trouxe à competição os seus melhores atletas para revalidar o título.

Os 42 juízes e cronometristas estão em prontidão, para colocar em prática os conhecimentos que receberam durante a formação de refrescamento, que tiveram durante os três dias em Luanda. A organização caprichou na melhoria de condições do local da prova. A piscina olímpica do Alvalade apresenta bancadas suplementares para acomodar o maior número de espectadores da boa natação.