Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angolanos vo hoje em busca da primeira vitria

Silva Catuti - 08 de Julho, 2019

Angolanos aspiram redimir-se da derrota sofrida h quatro anos

Fotografia: DR

A selecção nacional defronta hoje, às 11H00, no pavilhão Isaac Gálvez em Villanova i Lá Geltru, a França para a segunda jornada do grupo preliminar A em jogo de importância crucial para os dois conjuntos, já que  pode definir o futuro na prova. As duas equipas vêm de derrotas na primeira jornada.
Angola perdeu por 4-5 com a Itália, enquanto os franceses tiveram sorte igual, 1-3, diante da Espanha. Embora as análises mostrem que, até o quarto lugar da primeira fase pode dar campeão mundial, ninguém deseja ficar em tal posição. O quarto classificado do mundial é submetido a uma liguei-lhe, com o primeiro classificado da taça intercontinental e, caso vença, apura-se para os quartos-de-final, onde vai defrontar o primeiro classificado de um dos grupos preliminares do mundial, de acordo com o regulamento da prova. Missão difícil.
Vale recordar que foi através da liguei-lhe que Angola, vindo da Intercontinental, chegou ao quinto lugar, no Mundial passado. Este dado demonstra que as equipas vindas da Intercontinental trazem uma dinâmica vencedora e podem estragar as ambições das mais cotadas dos Jogos Mundiais.
O jogo em si é um reencontro. A última vez que se defrontaram, a França venceu por 3-1, beneficiando do factor casa, em 2015, na cidade de La Roche Sur Rion. Embora esteja fora de seu território, mas condições que lhes foram favoráveis, mantêm-se forte porque, afinal, a prova se disputa em território europeu.
Angola, entretanto, mudou muita coisa de lá para cá. A França nunca defrontou Angola desde que está sob o comando de Fernando Fallé. Este pode ser o ponto. Fallé desconhece também a filosofia de Fabian Savreux, técnico francês, mas os jogadores conhecem.
O jogo abre a dupla jornada do dia, Fallé pode efectuar as alterações no cinco inicial. Diante da Itália, entrou com Veludo à baliza, João Pinto "Mustang", Tino Boy, Anderson Silva "Nery" e André Centeno. Nery sai da equipa por lesão, mas Tino Boy pode também ser substituído por Big, por opção.
Savreux vai apostar no núcleo duro, onde se destacam Carlo di Benedetto, Bruno de Benedetto, Roberto di Benedetto.
Na tabela classificativa, o maior número de bolos marcados é o factor que favorece Angola na terceira posição do grupo, relegando os franceses para o fundo.
A arbitragem para o jogo apenas hoje vai ser conhecida. Espera-se por um bom trabalho da equipa de arbitragem. Aliás, o primeiro dia foi marcado por boas arbitragens.
As altas temperaturas, que se registam e se prevêem em Espanha, podem influenciar o jogo. Aliás, foi um factor citado por Fallé no primeiro jogo, mas as equipas jogam sob o mesmo tecto.

CONTRARIEDADE
Nery volta a falhar


Azar só pode ser para Nery e Angola. Pela segunda vez, neste ano, o jogador é entregue ao departamento médico, depois de já lá ter estado aquando da disputa da Taça das Nações de Montreux, Suíça.
Nery levou uma "sticada" da cabeça no jogo com a Itália e levou alguns pontos. Se tiver de jogar, só com a zona afectada bem protegida.
No final do jogo, Fernando Fallé deu como certa a ausência do jogador hoje, mas a última palavra pertence ao departamento médico.
Em Montreux, o atleta teve lesão na zona da clavícula e esteve em dúvida para o Mundial. Teve de recuperar durante meses em Portugal para estar aqui em Barcelona.

OBJECTIVO
Organizar para vencer
é o lema dos espanhóis

Domingues Alejandro, argentino que orienta a Espanha, vai alinhar de início Marti Zapater, na baliza, Alberto Casanovas, Nil Roças, Pau Bargallo e Jordi Adroher. No banco e prontos para as encomendas estarão Marti Casas, Ignacio Alabart, Sérgio Vila, Antonio Perez e Xavier Malian.
Para os italianos, vencer é também objectivo. Mais do que vencer, os italianos esperam corrigir o que esteve mal na meia-final de Nanjing, China, onde perderam com o rival de hoje por 0-4.
A equipa, bronze da Europa, tem dado conta de si. Começa a colher timidamente os frutos da renovação iniciada há alguns anos. Ainda assim, é quase certo que não vai travar a Espanha em casa.
Massimo Mariotti, para a difícil missão, vai sair com Léo Barozi à baliza, David Motaran, Mattia Cocco, Domenico Illuzzi  e Alessandro Verona.
Para as encomendas, ainda tem  Leonardo Squeo, Marco Paginini, Massimo Tatarani e Riccardo Gnata.

SEMBLANTES ALEGRES
NO ESPANHA-ITÁLIA

Motivadas pelas vitórias, que em nada surpreenderam, na primeira ronda, italianos e espanhóis têm motivos para entrar sorridentes no jogo de hoje, pontuáveis para a segunda jornada do grupo preliminar A. O semblante pode não bastar para escamotear os objectivos que cada um traz ao jogo.
A jogar em casa, os catalães não querem manchar o percurso na primeira fase. Seria decepcionar as enchentes no pavilhão Isaac Gálvez, que só se fazem quando os "de casa" descem ao tapete.
 SILVA CACUTI | VILANOVA I LA GELTRÚ

GRUPO-B
Portugal e Argentina
 ajustam contas


Argentina-Portugal é destaque do dia na segunda jornada do Campeonato do Mundo,que decorre desde sábado até ao dia 14 do corrente, em Barcelona. O duelo entre dois pretendentes ao título está reservado para o fim da jornada, às 21h00, no pavilhão do Centro Desportivo Municipal Isaac Galvéz, antevendo-se desde já uma disputa electrizante e desfecho imprevisível.
É o confronto entre o finalista vencido da edição passada e o terceiro classificado, o que faz antever uma partida disputada sob o signo do equilíbrio dada a equivalência da qualidade dos contendores.
O jogo entre os favoritos aos primeiros lugares da série vai, certamente, definir desde já o líder. Quem sair vitorioso tem meio caminho andado para ocupar o primeiro lugar no final desta fase preliminar da competição, apesar de o empate ser uma hipótese a considerar tal é  equilíbrio de forças. É uma reedição da meia-final da edição passada disputada em Nanjing, China, onde os portugueses cilindraram os argentinos por contundentes 5-0, resultado que confere algum favoritismo à equipa das quinas. Mas, a Argentina pretende a desforra e nada melhor que nesta fase da competição, vincando a sua vontade de voltar a ocupar um dos lugares do pódio.
Em jogo estarão vinte títulos de campeões do mundo, com 15 para Portugal contra apenas cinco da Argentina. Os números dão favoritismo aos portugueses, mas estes terão de provar em campo a vantagem desta diferença em termos de "ranking". Mas, o técnico Jose Luiz Pàez "Negro" vai contar com oito jogadores que actuam em clubes portugueses, o pode ajudá-lo a encontrar os caminhos para a vitória. Constantin Acevedo, Matias Platero, Gonzalo Romero, Reinaldo Garcia, Carlos Nicolia, Lucas Ordones, Francisco Ferruccio e Ezequiel Mena jogam em clubes como Benfica, Sporting, FC Porto, Oeiras e Hóquei Clube de Braga.
Por seu turno, o seleccionador de Portugal, Renato Garrido também pode tirar partido deste facto por conhecer bem estes jogadores e deve saber como anulá-los, tal como os seus jogadores que nalgus casos são colegas de equipa dos argentinos acima citados. É uma partida escaldante, onde os espectadores vão testemunhar, certamente, jogadas de alto nível técnico. 
AMÂNDIO CLEMENTE | VILANOVA I LA GELTRÚ

DESPIQUE
Duelo sul-americano
promete ser escaldante


Igualmente empolgante promete ser o desafio entre a Colômbia e o Chile, numa espécie de "derby" sul-americano. As hipóteses de vitória estão repartidas em cinquenta por cento para cada lado. O duelo está marcado para as 13h00, no pavilhão do Centro Desportivo Municipal Isaac Calvez, na cidade de Vilanova I la Geltrú.
Colombianos e chilenos, à partida, vão lutar pelo terceiro lugar da série, já que teoricamente as posições cimeiras estão reservadas para as fortes selecções de Portugal e da Argentina, que só uma grande surpresa, protagonizada por uma delas, pode afastá-las dos quartos-de-final da competição.
Estes condimentos indiciam uma partida de despique renhido, numa batalha de desfecho imprevisível. Os chilenos ostentam o título de vice-campeão sul-americano, ao passo que os colombianos são terceiros colocados, posições que colocam a selecção do Chile na condição de favorita. A Colômbia ambiciona subir alguns degraus no "ranking" Mundial, algo possível de alcançar apenas com vitórias sobre adversários teoricamente mais fortes.
O técnico André Torres, português de nacionalidade, é um grande reforço para as aspirações colombianas na competição, dada a categoria e a experiência dos treinadores lusitanos na modalidade. Aliás, além do seleccionador de Portugal, Renato Garrido, há ainda um outro a comandar uma equipa presente neste campeonato, Fernando Fallé, de Angola.
AMÂNDIO CLEMENTE | VILANOVA I LA GELTRÚ

PALAVRAS DERRAMADAS
Ó Cristina, não deu!


Recebi a encomenda e, com sentido de missão, propunha-me a deixá-la em Lisboa, onde ia apanhar o voo de ligação. Mas não sabia o que me esperava!
Saímos tarde de Luanda. Mas não era voo da nossa Taag. Era mesmo a Tap, não saiu à hora combinada. Chegámos à Tuga mais tarde do que o previsto. Corremos para o voo de ligação, não deu para sair e fazer a entrega. A "miúda" ficou a esperar! Infelizmente, chegados à porta, embarcamos com rapidez e, postos no avião, nova demora. Não deu para saber a razão. Só fiquei com a ideia de que "na Tuga também" se atrasa. Este não é refrão do sucesso da dupla Yanick Afroman/Nagrelha. Aliás lhes sugiro que acrescentem ao refrão o "na Tuga também".
Atrasámos uns 35 minutos e chegámos a Barcelona por volta das 21h50. Tínhamos pela frente acima de 40 quilómetros por fazer para encontrar Villa Nova i Lá Geltru, cidade onde a nossa Selecção havia de jogar. 46 Quilómetros para ser mais preciso! Antes perguntamos por alguém da organização, que nos desse qualquer informação da mobilidade. Disseram-nos para encontrar um "tchico" com camisola amarela. Envolvemo-nos na procura e nada. Ficou mais tarde ainda.
O autocarro para o lugar, só restava a última carreira do dia, que sairia às 22h50. Nova espera, cerca de uma hora. Mas não faz mal. Conforme nos ferraram na proposta, ir de táxi, "nguami"!
Estávamos estafados. Éramos eu que te escrevo, o Amándio Clemente e os colegas da "Cinco", Aguilar Virgílio e Sansão Mendes.
O Amândio impunha respeito. Fazia questão de lembrar que está a seis meses da reforma e que devíamos aproveitar da sua experiência no tempo que lhe resta no activo. O homem está decidido a pendurar a lapiseira. Saíram, com o Aguilar, enquanto eu e o Mendes ficámos a tomar conta da bagagem. Eu já não conseguia manter-me em pé. No seu regresso, trouxeram baguetes, cerveja e água. Devorámos!
Chegou o autocarro e, por ser o último, a paragem já estava cheia. Andamos em pé, grande parte do percurso, à moda da Tcul. O importante era chegar!
Chegamos e quando fomos ao hotel, onde supúnhamos ter reserva, lhes encontramos fechados. Aquilo fecha às 22h00, para abrir às 7 da manhã. Do portão entreaberto, ainda tentamos chamar, em vão. Até que vimos o papel do horário.
Intrigados, fomos a outro, outro e  repetia-se a cena, até que encontramos um com movimento no bar até às três da manhã. Não havia "habitaciones". Além dos jogos, a cidade acolheu neste final de semana um festival internacional de música. Estiveram lá os Hot Chip.
Pronto! Encontrámos as cadeiras da piscina e o homem aceitou que aí passássemos a noite ou o resto dela. Foi gentil! Não sentimos frio, faz calor por cá! Também não tememos bandidos, por aqui há o máximo de segurança. Os hotéis nem têm guardas.
Acordei mais cedo que os outros, fui caminhar, fazer reconhecimento à área. Quando amanheceu, fomos ao hotel da reserva e nos "meteram dedo". Disseram que nos enviaram no e-mail, enquanto viajávamos, a informação de que, afinal, não havia disponibilidade. Pediram bué de desculpas, mas não as demos. Era necessário?
Assim mesmo, 12h32 de sexta-feira, conseguimos um quarto, quando já estávamos decididos a ir procurar alojamento em Barcelona, uns hóspedes abandonaram os quartos. Mesmo caros, vamos fazer mais como? Decidi então mandar uma explicação à directora Cristina. Mana Cristina Silva, me compreende só!

CLASSIFICAÇÃO
Angolano Mustang
lidera marcadores

O primeiro hat-trick do campeonato mundial pertence ao angolano João Pinto "Mustang", que anunciou as credenciais na primeira partida que efectuou diante da Itália.
Nem precisava! O mundo já sabe que se trata de um jogador com "olhos" para a baliza. No mundial de Nanjing, China, Mustang foi consagrado melhor marcador com 28 golos. O jogador entra para a jornada de hoje na condição de líder dos marcadores.