Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Aprovado calendrio para 2019

27 de Dezembro, 2018

A primeira prova, da prxima temporada, vai ser na Austrlia, em 17 de Maro e o ano termina com o GP de Abu Dhabi

Fotografia: DR

De acordo com a reunião realizada ontem em Paris, França, a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) aprovou o calendário da temporada de 2019 da Fórmula 1. As datas são as mesmas do calendário provisório divulgado em Outubro.
A primeira prova, da próxima temporada, vai ser na Austrália, em 17 de Março e o ano termina com o GP de Abu Dhabi, no primeiro dia de Dezembro. A milésima prova da história da categoria vai ser no GP da China, no dia 14 de Abril.
Considerando o pedido das equipas, a Fórmula 1 retirou do calendário a sequência de três provas consecutivas. Em 2018, os GPs de França, Áustria e Grã-Bretanha foram em fins de semana seguidos. Em 2019, as duas primeiras corridas são uma dobradinha e Silvestone vai estar isolada.
O Grande Prémio do Brasil foi confirmado como o penúltimo da temporada e vai realizar-se a 17 de Novembro, em Interlagos.
Sistema de punições
FIA (Federação Internacional de Automobilismo) fez uma alteração à regra das punições, no grid da Fórmula 1. O sistema é considerado muito confuso, tanto por fãs quanto por pilotos, as mudanças entram em vigor na temporada 2019, têm como objectivo simplificar um pouco o entendimento.
A mudança vai envolver os pilotos que perderem, no mínimo, 15 posições no grid. Antes, quando muitos competidores sofressem punições iguais, ao mesmo tempo, ficava complicado saber qual deles ia largar à frente. Com a nova regra, portanto, o piloto melhor colocado no treino classificativo é o que sai à frente dos outros atletas, que também foram punidos.
Até a temporada de 2018, a confusa aplicação das punições era definida de acordo com a ordem de saída dos carros do pit-lane, na primeira sessão de treinos livres de um GP. Assim, era comum observar casos como o do primeiro treino livre, para o GP da Rússia, neste ano, quando cientes sofriam punições.