Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Arajo defende nova estratgia

Helder Jeremias - 09 de Fevereiro, 2016

Clube de Tnis de Luanda rene scios na sexta-feira para a marcao da data da assembleia-geral ordinria daquela instituio

Fotografia: Paulo Mulaza

 Sebastião Araújo que é membro de direcção do Clube de Ténis de Luanda defendeu recentemente em Luanda a adopção de fórmulas mais eficazes, por parte do Ministério da Juventude e Desportos, clubes e agentes desportivos, em busca de melhor qualidade de ténis para os atletas nacionais.O veterano da modalidade das raquetes começou por elogiar a existência de novos projectos de massificação do ténis, tais como "Criança em Movimento" e "Pitangana" que "são iniciativas louváveis", mas considera "insuficientes" na medida em que o alto nível competitivo está intrínseco ao binómio esforço individual e recursos materiais.

Sebastião Araújo socorre-se da vasta experiência nas lides do ténis e afirma a sua tese de que a modalidade deve passar a ser uma preocupação exclusiva dos clubes e agentes desportivos vocacionados para o efeito, devem estes canalizar recursos para esgrimir projectos exequíveis."O modelo adaptado é contraproducente, ou seja, não passa de uma ilusão acharmos que o ténis será uma modalidade massificada, tal como no caso do andebol , basquetebol ou futebol. O ténis é uma modalidade que exige recursos e quem não os tem deve  conformar-se com tal realidade e procurar outras disciplinas mais acessíveis", justificou Sebastião Araújo.

Na qualidade de membro da cúpula directiva do clube da baixa luandense, o antigo craque frisou em abordagem à reportagem do Jornal dos Desportos,  que a direcção da qual faz parte vai continuar a apoiar os projectos que têm solicitado a cedência de campos para a realização dos respectivos eventos, desde que estes passem a pagar um valor mínimo para ajudar o clube a fazer face aos custos de manutenção do imóvel.

"Temos um piso construído há 84 anos, cujo uso constante implica a regular manutenção assim como o pessoal a funcionar todos os dias para manter todas as áreas de serviços e jardinagem. Isto significa que temos despesas todos os meses e não podemos permitir que determinados projectos se limitem a  fazer o uso das infra-estruturas sem qualquer custo, quando alguns deles até pagam salários ao técnicos e pessoal para supervisão", justificou Araújo. 

ELEIÇÕES
A direcção do Clube de Ténis de Luanda reúne-se na sexta-feira a partir das 9h00 na sua sede, localizada no Estádio dos Coqueiros, com os sócios para abordarem  questões prementes a volta da realização da assembleia geral ordinária, com vista a eleição dos corpos sociais, no âmbito da renovação do ciclo olímpico.A aprovação da acta da assembleia geral anterior, marcação da data das eleições e a constituição da comissão eleitoral dominam a agenda de trabalhos, na qual ainda vão aflorar questões inerentes ao funcionamento geral e balanço de actividades levadas a cabo pelo elenco de Adolfo Razóil.

De acordo com Hélio José "Dedé", membro da direcção, a realização do conclave representa uma forma de vincar o rigor e transparência do funcionamento do clube, dado o facto dos clubes não serem obrigados a realizar escrutínios, uma visão partilhada com o colega Sebastião Araújo daí que ambos encorajem a que"todos os sócios estejam presentes no evento".

Questionados sobre a situação do ténis nacional, os responsáveis desportivos preferiram limitar-se a falar do trabalho levado a cabo pelo clube, numa altura em que carecem de informações sobre o que se produz à escala nacional.
"Preferimos falar sobre o nosso clube que é de facto um dos grandes alfobres da modalidade, o resto compete às distintas Associação e ao órgão reitor da modalidade", convergiram.