Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

rbitro angolano presente no Mundial

17 de Abril, 2015

Adelino Correia (primeiro esquerda) possui curso de Organizador Internacional de Eventos

Fotografia: Jornal dos Desportos

O xadrezista Adelino Correia,  da Brigada de Forças Especiais e também actual Presidente do Conselho de Árbitros da Federação Angolana de Xadrez (FAX), foi seleccionado como um dos árbitros adjuntos, para o Campeonato Mundial de Xadrez Amador que decorre de 13 a 22 do corrente,  em Porto Carras, na Grécia.

Numa das prova mais bem disputada do planeta, o angolano habilita-se a adquirir uma norma que  pode catapultá-lo como árbitro Internacional. Note-se que Adelino Correia já possui uma norma de provas com carácter  internacional.

Adelino Jacinto Correia,  possui também o curso de Organizador Internacional de Eventos feito em Luanda pelo Grande Mestre brasileiro,  Darcy Lima,  Instrutor da Federação Internacional de Xadrez (FIDE) para área de organização.

A indicação do angolano partiu do grego Nikolaos Kalesis que o nomeou com anuência do árbitro Internacional,  Sotiris Logothetis, também de nacionalidade grega,  em função das qualidades , além de dominar as línguas oficiais (inglês e francês), reconhecidas pela FIDE, que é um dos critérios indispensáveis para quem quiser fazer carreira nesta área do saber do “jogo -ciência”.

Note-se que,  as Forças Armadas Angolanas (FAA), no âmbito da preparação e formação dos seus militares e com a directiva do Chefe do Estado Maior General das FAA, tem vindo a realizar varias actividades desportivas,  em que o xadrez tem sido a modalidade que mais se tem destacado nos últimos três anos.

Xadrezistas afectos aos ramos militares em Angola já possuem pontuação Internacional ( vulgo ELO FIDE), pelo que com mais participação em provas internacionais podem num futuro breve alcançarem o título de Candidatos a Mestres, Mestres FIDE e Mestres Internacionais.

Neste particular,  o tenente coronel Emanuel Fernandes(Manucho), chefe da caravana da Selecção Militar que participa no Mundial de Xadrez Amador, que decorre no Hotel Grand Xalkidiki, confirmou que as chefias das FAA estão a fazer um esforço para que o xadrez faça parte da preparação lúdica dos militares, indo ao encontro  dos anseios dos melhores xadrezistas militares da actualidade.


Fraude

Gaioz está suspenso


Gaioz Nigalidze arrisca uma pena pesada - 15 anos de suspensão e a perda do título de grande mestre - devido ao “crime” que chocou o mundo do xadrez: o georgiano foi apanhado a fazer batota com o telemóvel, na casa de banho, durante um torneio no Dubai. O episódio “surpreendente” mostra o “problema recente” que ameaça o desporto--ciência, resume  o presidente da Federação Portuguesa de Xadrez, Francisco Castro.

A estratégia infame de Gaioz Nigalidze, actual bicampeão nacional da Geórgia, foi descoberta no fim de semana, durante o Open do Dubai (nos Emirados Árabes Unidos), quando este jogava com o arménio Tigran Petrosian. O adversário estranhou o comportamento do georgiano, de quem já suspeitara num encontro anterior: “Ele corria para a casa de banho e respondia prontamente às minhas jogadas.

Reparei que se dirigia sempre para o mesmo cubículo, apesar de os outros estarem livres, e pedi ao árbitro para ficar de olho nele.”

A suspeita tinha fundamento: os juízes, quando foram averiguar, encontraram um smartphone - que estava escondido e tapado com papel higiénico - com uma aplicação de estudo de tácticas de xadrez.

Nigalidze ainda negou que o telemóvel fosse seu, mas o facto de ter sessão iniciada nos seus perfis das redes sociais expôs por completo a trapaça.