Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Assembleia-geral da Federao revoga apuramento em zonais

Silva Cacuti - 31 de Maio, 2014

Associados reunidos em Luanda voltaram a adoptar os campeonatos provinciais como a forma ideal de qualificao das equipas para os nacionais o que retira esta competncia aos zonais

Fotografia: Jornal dos Desportos

A revogação da decisão da Assembleia-geral de 2013 no que concerne aos moldes de disputa dos campeonatos nacionais de juvenis e de juniores, foi o assunto mais badalado da Assembleia-geral da Federação Angolana de Andebol (Faand), realizada ontem no auditório do Centro de Formação de Jornalistas Cefojor, sob orientação de Teresa Cohen, vice-presidente da mesa da Assembleia-geral daquela instituição.

Conforme a decisão, mantêm-se as zonas apenas como expediente para dar maior competitividade às equipas. Para os campeonatos nacionais as Associações provinciais devem promover os respectivos campeonatos e apurar, por quotas representantes para os nacionais.

Nas quotas para os campeonatos nacionais o Namibe e  Lunda Sul passam a ter dois representantes. Luanda deve manter os quatro representantes e Benguela três. As demais províncias devem apurar um representante em cada escalão, decidiu a reunião magna onde estiveram ausentes os representantes do Uige e do Zaire.

O conclave de 2013 tinha decidido, que  a partir da presente época deviam os campeonatos nacionais de juvenis e juniores serem disputados por regiões, que apuravam, por quotas, um número máximo de 12 equipas.

O país tinha sido dividido em sete zonas, a saber: Luanda a Zona um. Benguela corresponde à zona dois e a três integra as províncias de Cabinda e Zaire. Huambo, Kuando Kubango, Bié e Cuanza Sul fazem a zona quatro. Na zona cinco estão incluídas as províncias do Cuanza Norte, Malanje, Uíge e Bengo. A Lunda Sul, Lunda Norte e Moxico, compreendem a Zona seis, ao passo que a Huila, Namibe e Cunene vão jogar na Zona sete. Conforme a Assembleia de ontem estas zonas mantêm-se, mas não definem quotas para os campeonatos.

A reunião de ontem aprovou por unanimidade as contas da Faand. Na ocasião, Joaquim Neto, presidente do Conselho Fiscal, chamou a atenção das Associações de que devem igualmente apresentar o relatórios e contas dos valores que recebem da Federação, sob pena de não receberem as ajudas que a Faand tenha para canalizar aos seus destinatários. Apenas quatro das 17 Associações apresentaram as suas contas.

 Pedro Godinho ao falar das actividades desenvolvidas, enquanto presidente da Faand, admitiu estar em falta em relação às visitas regulares aos Associados, mas garantiu que a Federação tem estado presente através de vários outros membros.

O dirigente explicou também aos Associados as vantagens que se podem tirar das parcerias estabelecidas com a Federação congénere de Espanha, no âmbito da visita ministerial àquele país.