Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Associação aborda corrida com pilotos

Hélder Jeremias - 03 de Abril, 2013

Motoqueiros de Luanda voltam às pistas depois de longo período de férias

Fotografia: Jornal dos Desportos

Os aspectos em torno da realização do Grande Prémio 4 de Abril, a ter lugar sábado, a partir das 11 horas, no circuito internacional “Jorge Varela” vão ser debatidos, hoje, pela direcção da Associação Provincial de Motocross de Luanda e pilotos associados, em reunião a realizar-se na sede social da instituição.

Pontuável para a primeira jornada do Campeonato Nacional de Motocross de Luanda, o evento promovido pelas autoridades nacionais enquadra-se no leque das actividades alusivas aos 11 anos da Paz em Angola. A prova é aguardada com grande expectativa pelos amantes do espectáculo sobre rodas. 

O encontro a ser dirigido pelo presidente da instituição, Alfredo Pitra, vai servir também para passar em revista os últimos acontecimentos que causaram preocupação no seio dos amantes do motocross, tais como a morte do piloto Bebutchan e a regularização dos pilotos que este ano se vão estrear na categoria dos 150cc.

De acordo com Alfredo Pitra, as condições técnicas e administrativas para o Grande Prémio 4 de Abril estão criadas, pelo que apenas falta resolver a questão financeira. O Ministério da Juventude e Desportos já garantiu a disponibilização dos recursos necessários para o efeito.

O responsável associativo frisou que vai manter, nas próximas horas, um encontro com o Director Nacional dos Desportos, António Gomes “Tony Estraga”, durante o qual vão ser apresentadas as necessidades para se levar em diante a empreitada alusiva ao 11º aniversário da Paz em Angola.

Alfredo Pitra reiterou a disponibilidade da associação em colaborar com instituições que queiram realizar competições noutras províncias, desde que seja apresentado um programa bem definido e com a devida antecedência.

“Depois do defeso que o campeonato provincial observou, estamos convictos que, no sábado, vamos dar o início da época 2013. Para nós, é gratificante comemorar a Paz, conquistada com grande esforço”, disse Alfredo Pitra.


INCONGRUÊNCIA

Prova de Kupapatas desaponta Moreira


A realização de uma corrida de motorizadas de 50cc no Largo da Independência, no último sábado, em Luanda, deixou desapontado o proprietário da Escola de Motocross de Viana, Carlos Moreira.

Para o dirigente desportivo, o gesto da Associação Provincial de Motocross de Luanda representa um desrespeito à classe e demonstra que os efectivos da direcção não estão focados no desenvolvimento da modalidade. Pois, comportaram-se como “mercenários” que se atarefam com interesses alheios aos da classe.

“Todos nós ficámos surpreendidos e tristes por sermos informados que a direcção da Associação organizou aquela prova sem o consentimento dos associados. Reprovamos este procedimento, porque espelha a falta de profissionalismo e confiança por parte de quem foi mandatado para velar pelos interesses da classe”, desabafou Carlos Moreira.

No dizer do dirigente desportivo, o mais triste é que o evento sucedeu quando a maior parte dos pilotos da capital se encontrava no circuito do Zango a efectuar uma sessão de treinos com vista à primeira jornada do campeonato provincial, agendada para sábado no circuita do Gamek.

ALFREDO PITRA NEGA APOIO

O presidente da Associação de Motocross de Luanda, Alfredo Pitra, negou o envolvimento da instituição na corrida de motorizadas de 50cc (Kupapatas), que o largo da independência acolheu na tarde de sábado último.

Em declarações ao Jornal dos Desportos, Alfredo Pitra disse que tomou conhecimento do acto quando se encontrava a descansar na sua residência e constatou através dos órgãos de comunicação social que se tratava de um evento organizado por pessoas sem qualquer vínculo com os desportos motorizados.

Ao reagir às alegações segundo as quais a associação estava por trás do sucedido, Alfredo Pitra considerou de “infundadas”, uma vez que aquela classe de motorizadas não está filiada na Associação provincial. Pitra salientou que tais actos “deveriam ocorrer sob égide da Federação Angolana dos Desportos Motorizados”.
HÉLDER JEREMIAS