Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Associao da Hula generaliza modalidade

18 de Janeiro, 2018

Fez saber que os atletas esto sujeitos a leses, por carncia desses protectores, que normalmente so importados, maioritariamente, a partir da China.

Fotografia: JOS SOARES| Edies Novembro

A massificação do Taekwoandó, em todos os municípios da província da Huíla, constitui prioridade da Associação local da modalidade que iniciou um trabalho de identificação de espaços para a prática e mobilizar interessados em receber a formação de formador.
Em declarações à Angop, no Lubango, o vice-presidente da instituição, António Vapor, afirmou estar igualmente a ser feitas visitas às academias para auscultação de atletas e  sobre dificuldades na perspectiva da massificação.
A província, segundo a fonte da Angop, é a segunda maior praça da modalidade, depois de Luanda, com participações em diversos campeonatos nacionais, africanos e mundiais.
Fundada em 1995, a Associação provincial da Huíla de Taekwoandó conta actualmente com 16 academias e um total de 400 membros, repartidos pelos municípios da Chibia, Humpata, Caconda, Caluquembe, Chipindo, Quipungo e Lubango. 
Disse ser intenção abrir mais academias este ano, em 2017 entraram duas em funcionamento no Lubango, além de dois embriões, na Matala e na Jamba.
“Gostávamos de atingir também a Cacula e Quilengues, este último conta com uma equipa”, acrescentou.
Afirmou, que as limitações decorrentes da falta de patrocínios, condicionam a obtenção de materiais, como protectores para as mãos, pés, braço, antebraço, canelas, cabeça, bucal, tórax, sapatilhas, entre outros acessórios para a segurança do atleta, actualmente expostos a lesões.
Explicou que os materiais são importados, maioritariamente, a partir da China, pois, a nível do país são dispendiosos e raros,  e acrescentou estar a modalidade igualmente desprovida de uma sede e local próprios para treinos.
Fez saber que os atletas estão sujeitos a lesões, por carência desses protectores, que normalmente são importados, maioritariamente, a partir da China.