Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Associao de Benguela faz balano positivo

Jlio Gaiano, em Benguela - 17 de Novembro, 2018

Fotografia: Edies Novembro

A realização do primeiro Grande Prémio Internacional Banco BAI de Ciclismo, disputado recentemente em Benguela, foi um êxito total. Esta foi a conclusão dos organizadores do evento, para quem o mesmo abre fortes possibilidades para servir de incentivos à classe empresarial e das entidades afins do governo na província, na necessidade de se investir na massificação e no fomento da modalidade por estas paragens do território nacional.
Em declarações ao Jornal dos Desportos, o secretário-geral da Associação Provincial de Ciclismo de Benguela (APCIB), Olegário Correia “Garito”, afirmou que mexeu com as paixões dos benguelenses, que há muito já não viam a desenrolar nas principais ruas e avenidas da urbe corredores de níveis internacionais.
No seu entender, o ciclismo benguelense viu o seu ego reforçado e, mais do que isto, marcou passos significativos, rumo a consolidação de um projecto tendente a aumentar o número de participantes e de clubes na província.
“Sem receio de errar, com a realização do 1º Grande Prémio Internacional de Ciclismo, na nossa província, e pela forma como o público aderiu, puxando pela performance dos corredores, deu para perceber que estamos no bom caminho, no que tange ao processo de massificação e do fomento da modalidade. Espero que as entidades competentes na província percebam isso, e concedam os apoios necessários de forma que continuemos na mó de cima no que o ciclismo diz respeito”, comentou.
Olegário Correia lembrou ao JD, que a APCIB projecta, para os próximos tempos, revitalizar o ciclismo na cidade do Lobito e nas vilas da Catumbela e Baía-Farta. Todavia, depara-se com o desinteresse e a (gritante) falta de incentivos da parte do empresariado local em apostar na modalidade. O Sporting do Lobito e a Casa do Pessoal do Porto do Lobito, podem servir de experiência para o referido projecto.
“O grande problema com que nos deparámos, assenta na falta de material desportivo, como bicicletas e acessórios. No Lobito, por exemplo, a direcção do Sporting e da Casa do Pessoal do Porto, manifestaram o interesse em abraçar o projecto, mas sem meios fica difícil (…)”, revelou.
No Grande Prémio Internacional Banco BAI do Ciclismo, ganho pela formação do BAI/Sicasal/Petro de Luanda (8h30’26’’), a província de Benguela competiu com cinco equipas, tendo a Jair Transportes se destacado entre as demais. A formação benguelense, capitaneada por Igor Silva “Chumbo”, registou, durante a competição, 8h30min39seg, a escassos 13 segundos abaixo da equipa vencedora (BSPL).
 
LOBITO BIKE
NO CERTAME

A cidade do Lobito, que acolheu duas etapas, das quatro disputadas, fez-se representar no evento com três ciclistas, Benedito Sokolo, Abdedelaziz Guardado e Edson do Rosário, pela equipa Lobito Bike. Para Olegário Correia, foi uma participação positiva, a julgar pela forma como se entregaram ao longo da prova.
“Não esqueçamos que o Lobito já foi uma potência, precisamos de resgatá-lo da situação em que se encontra. Por isso, foi bom essa equipa ter participado do evento”, confessou.
Para além de Jair Transportes (que participou com duas equipas A e B) e Lobito Bike, juntaram-se ao grosso das equipas em representação de Benguela, o Hotel Luso e a Escola do Ciclismo Duas Rodas.


Domínio
Bruno Araújo
encanta benguelenses

Já para classificação individual, Bruno Araújo foi o destaque da prova, que contou com a participação de 60 ciclistas nacionais e 8 estrangeiros, sendo 1 americano, 1 português, 1 francês e 5 são tomenses, que pedalaram nas principais estradas de Benguela, atraindo moldura humana assinalável, durante os quatro dias que decorreu a prova.
O jovem ciclista afecto ao BAI/Sicasal/Petro de Luanda, foi na verdade, a grande atracção do público. Diante dos potenciais candidatos e mais experimentados em eventos do género, não se acobardou e chamou para si a conquista dos principais prémios: o de montanha; de meta-volante; de combinado; de juventude; e por quente.
Um feito que mereceu dos presentes admiração. “O rapaz é bom. Aliás, ali está um jovem, que promete muito para o ciclismo nacional. Sinceramente, mereceu os prémios a si atribuídos”, comentou um dos assistentes presentes no local de premiação, na ponta da Restinga, no Lobito. 
Entretanto, o ciclista Igor Silva, em presentação da Jair Transportes de Benguela, foi o grande vencedor do circuito fechado individual, com o registo de 33’54’’, percorridos em 30 kms, redimindo-se do desaire sofrido na 1ª etapa inicial da contenda, ganha por Dário António da BSPL.