Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Atleta cubana vira "fenómeno"

29 de Setembro, 2014

Além de Cuba e da Tailândia, apenas as selecções da Croácia, Sérvia, China e Bélgica têm atletas com menos de 18 anos.

Fotografia: AFP

Duas jogadoras chamam a atenção no Mundial feminino de voleibol, mas não  pelo que têm feito dentro de campo. O motivo que despertou interesse é a idade, 14 anos. Chatchu-On Moskri e Melissa Abreu defendem as selecções da Tailândia e de Cuba. Entre as duas, a tailandesa ganha a disputa como a mais nova do campeonato Mundial, por um mês.

Quando o assunto é desempenho dentro de campo, a cubana destaca-se. Apesar da sua equipa não ter vencido nenhum jogo até agora, Melissa é a principal pontuadora do conjunto. A jogadora cubana já marcou 52 pontos. Para se ter noção, Jaqueline, a maior pontuadora do Brasil, tem 44 pontos. A brasileira tem uma partida a menos, pois não actuou contra Camarões.

O desempenho de Melissa Abreu chamou a atenção da imprensa italiana. A atleta já foi chamada de "fenómeno" pelo jornal "Gazzetta dello Sport".
Melissa é apenas parte da renovação do voleibol cubano, que já foi tricampeão olímpico e mundial. Gretell Borrero e Heidy Alvarez são outras duas atletas menores de idade na equipa. A primeira tem 16 anos e a outra 15.

As mais experientes cubanas não são tão mais velhas. Dairilys Perez, de 24 anos, é a jogadora mais velha. Isso faz com que a média da selecção no torneio seja de 20 anos, a menor de todas. Do outro lado, Chatchu-On tem sido bem mais discreta e nem aparece entre as maiores pontuadoras da Tailândia. No entanto, a sua selecção chega ao último dia da primeira fase com oportunidade de seguir adiante na competição, enquanto as cubanas não têm como se classificar.

Diferentemente do que acontece com Cuba, Chatchu-On é a única tailandesa menor de idade. A equipa asiática tem a média de idades de 21 anos.
A diferença de idades das duas para Elena Koleva, jogadora mais velha do Mundial, que defende a Bulgária, é de 22 anos. Gabi, a mais nova do Brasil, é seis anos mais velha que as duas. Além de Cuba e da Tailândia, apenas as selecções da Croácia, Sérvia, China e Bélgica têm atletas com menos de 18 anos.